Concurso IBGE 2021: saiba TUDO sobre o cargo de Recenseador

Das 207.332 vagas previstas no concurso IBGE 2021, cerca de 183.100 vão ser destinadas para Recenseador. Saiba os detalhes sobre o cargo.

Cargo de Recenseador do IBGE 2021: logo do IBGE em fundo branco

Os contratos terão vigência ao longo de um ano. - Foto: Divulgação/IBGE

Em portaria divulgada no dia 29 de janeiro, foram confirmadas 207.332 vagas temporárias para o Censo Demográfico de 2021. Desse total, 183.100 oportunidades vão ser destinadas aos profissionais classificados no cargo de Recenseador (84% do quantitativo). O concurso IBGE seria realizado ainda em 2020, mas acabou sendo adiado devido ao contexto nacional de pandemia.

Agora, com a retomada do certame, o edital de abertura será publicado em até seis meses, contando a partir da data da portaria. Em nossa matéria, você confere todos os detalhes sobre o cargo de Recenseador, que conta com o maior quantitativo de vagas temporárias.

Concurso IBGE 2021: distribuição de todas as vagas confirmadas

Com base na portaria divulgada, as 207.332 vagas do concurso IBGE 2021 serão distribuídas da seguinte maneira:

  • Agente Censitário Municipal (ACM): 5.500 vagas;
  • Agente Censitário Supervisor (ACS): 18.420 vagas;
  • Agente Censitário de Pesquisas por Telefone: 180 vagas;
  • Supervisor Censitário de Pesquisas e Codificação: 12 vagas;
  • Recenseador: 183.100 vagas;
  • Codificador Censitário: 120 vagas.

Detalhe importante: os contratos terão vigência ao longo de um ano, mas é possível que ocorra prorrogação por igual período. Tudo dependerá das necessidades apontadas e justificadas pelo IBGE.

Concurso IBGE 2021: detalhes sobre o cargo de Recenseador

Antes do concurso IBGE ser adiado, o Cebraspe já havia liberado o edital de nº 3/2020 para o cargo de Recenseador. Alguns detalhes poderão ser modificados com o lançamento do novo documento regulamentador, que deve ocorrer neste ano de 2021, mas as principais diretrizes provavelmente vão ser preservadas. Para ingressar nessa carreira, os interessados precisam ter concluído o ensino fundamental.

As remunerações serão calculadas pelo setor censitário de unidades recenseadas (domicílios urbanos e/ou rurais), pelo tipo de questionário, por meio das pessoas recenseadas e com base no registro de coleta de dados. Todos os profissionais classificados vão atuar em jornadas de ao menos 25 horas semanais, sem contar a participação no treinamento do IBGE.

Atribuições do cargo de Recenseador

  • Cumprir as orientações recebidas por meio do serviço de mensagens no seu dispositivo móvel de coleta;
  • Apresentar-se ao informante com o uniforme e o crachá de identificação fornecido pelo IBGE e o documento de identidade citado no crachá;
  • Assumir a responsabilidade pela segurança e uso adequado do equipamento eletrônico e acessórios fornecidos pelo IBGE para execução de seu trabalho;
  • Coletar as informações do Censo Demográfico 2020 em todos os domicílios do setor censitário que lhe foi atribuído no âmbito da sua Área de Trabalho, registrando-as no dispositivo móvel de coleta, de acordo com as instruções recebidas e dentro do prazo para comparecer ao Posto de Coleta, conforme determinação do Agente Censitário Municipal ou do Agente Censitário Supervisor;
  • Manter o sigilo dos dados emitidos pelo informante;
  • Consultar relatórios diversos de acompanhamento de coleta no dispositivo móvel e sanar as eventuais pendências apontadas;
  • Zelar pelo bom uso de todos os materiais e equipamentos recebidos;
  • Devolver, ao fim do contrato, todos os materiais recebidos, garantindo que sejam devolvidos nas mesmas condições em que foram recebidos;
  • Entregar ao Agente Censitário Municipal ou ao Agente Censitário Supervisor o computador de mão com as entrevistas realizadas e outras informações coletadas, de acordo com as instruções recebidas;
  • Manter o supervisor informado sobre a coleta de dados no setor censitário, quando impossibilitado de comparecer ao Posto de Coleta;
  • Manter produção e padrão de qualidade adequados, cumprindo os índices de produtividade mensais estabelecidos pela Unidade Estadual;
  • Participar de treinamentos;
  • Preservar o sigilo das informações;
  • Reconhecer os limites e a área do setor censitário que lhe for designado, acompanhado pelo Agente Censitário Municipal ou pelo Agente Censitário Supervisor quando necessário, registrando as falhas e/ou inconsistências porventura encontradas na descrição dos limites;
  • Respeitar todo arcabouço legal e ético inerente à função, bem como denunciar todo e qualquer tipo de fraude;
  • Retornar aos domicílios recenseados para complementar as informações e/ou corrigir as falhas apontadas pela supervisão;
  • Manter-se atualizado acerca dos conceitos e procedimentos definidos para a coleta de dados;
  • Transmitir regularmente os dados das entrevistas coletadas e manter a versão de software atualizada no dispositivo móvel de coleta, de acordo com as instruções recebidas;
  • Executar outras tarefas correlatas que lhe forem atribuídas por seus superiores hierárquicos.

Etapas do concurso IBGE 2021 para Recenseador

Ao que tudo indica, todos os candidatos inscritos no concurso IBGE 2021 serão submetidos às provas objetivas (caráter eliminatório e classificatório). Aqueles que estiverem concorrendo ao cargo de Recenseador vão ter que responder 50 questões. Eles deverão estudar para as disciplinas de:

  • Língua Portuguesa;
  • Matemática;
  • Ética no Serviço Público; e
  • Conhecimentos Técnicos.

As avaliações objetivas serão aplicadas nas cidades em que os postos de coleta estão sediados, com base na relação de vagas. Além dessa etapa, os candidatos ao cargo de Recenseador ainda vão participar de um treinamento promovido pelo próprio IBGE.

O que estudar para Recenseador do IBGE?

Língua Portuguesa

  1. Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados;
  2. Reconhecimento de tipos e gêneros textuais;
  3. Domínio da ortografia oficial;
  4. Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1. Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e de outros elementos de sequenciação textual. 4.2. Emprego de tempos e modos verbais;
  5. Domínio da estrutura morfossintática do período. 5.1. Emprego das classes de palavras. 5.2. Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.3. Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.4. Emprego dos sinais de pontuação. 5.5. Concordância verbal e nominal. 5.6. Regência verbal e nominal. 5.7. Emprego do sinal indicativo de crase. 5.8 Colocação dos pronomes átonos;
  6. Reescrita de frases e parágrafos do texto. 6.1. Significação das palavras. 6.2. Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.3. Reorganização da estrutura de orações e de períodos do texto. 6.4. Reescrita de textos de diferentes gêneros e níveis de formalidade.

Ética no Serviço Público

  1. Código de Ética do IBGE;
  2. Lei nº 8.112/1990 e suas alterações (art. 116, incisos I a IV, inciso V, alíneas a e c, incisos VI a XII e parágrafo único; art. 117, incisos I a VI e IX a XIX; art. 118 a art. 126; art. 127, incisos I a III; art. 132, incisos I a VII, e IX a XIII; art. 136 a art. 141; art. 142, incisos I, primeira parte, II e III, e § 1º a §4º).

Matemática

  1. Números reais. 1.1. Operações e problemas;
  2. Porcentagens. 2.1. Problemas que envolvem cálculo de percentuais;
  3. Função do 1º grau. 3.1. Representações algébrica e gráfica;
  4. Grandezas diretamente proporcionais e grandezas inversamente proporcionais;
  5. Resolução de equações do 2º grau;
  6. Unidades de medida (de comprimento, volume, capacidade, tempo, massa, temperatura e área) e resolução de problemas envolvendo grandezas (comprimento, volume, capacidade, tempo, massa, temperatura e área);
  7. Problemas envolvendo o cálculo de área e perímetro de figuras planas e volume;
  8. Leitura de mapas e plantas baixas;
  9. Localização e movimentação utilizando mapas e plantas baixas;
  10. Leitura e interpretação de tabelas e gráficos.

Conhecimentos Técnicos

  • Conhecimentos técnicos aplicados no Censo Demográfico.
Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »