Concurso PRF 2021: quais serão as etapas? Saiba todos os detalhes

Concurso PRF 2021 exige que seus candidatos passem por diversas etapas para poder selecionar os melhores profissionais.

Concurso PRF: quais serão as etapas, agente da PRF

Concurso PRF terá 1.500 vagas. - Foto: PRF Paraná/ Divulgação

Na véspera de Natal (24/12), o concurso PRF foi autorizado. Com isso, muitos concurseiros passaram a querer saber mais sobre como será o certame da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Pensando nisso, elaboramos um rápido guia sobre quais serão as etapas do concurso PRF.

Vale lembrar que, segundo a Portaria SEDGG/ME nº 25.412, o concurso PRF ofertará 1,5 mil vagas para o cargo de Policial Rodoviário Federal. Entre as exigências está a de que é preciso que o candidato tenha pelo menos nível superior em qualquer área. A remuneração será de R$ 10.357,88, sendo que há a previsão de gratificações conforme a MP 837/2018.

Concurso PRF: quais serão as etapas?

Com base em editais anteriores e na coletiva de imprensa feita pela PRF no dia 06/01/2021, o concurso PRF poderá ter oito fases mais dois procedimentos de avaliação em casos específicos, sendo:

  • Provas objetivas;
  • Provas discursivas;
  • Prova de títulos;
  • Teste de aptidão física (TAF);
  • Avaliação psicológica;
  • Procedimento biopsicossocial (só para cotas PcD);
  • Procedimento de heteroidentificação (só para cotas para negros);
  • Avaliação de saúde;
  • Investigação social;
  • Curso de Formação Profissional.

Abaixo, detalhamos cada uma das etapas para que você saiba o que esperar dos trâmites do concurso PRF.

1. Provas objetivas do concurso PRF

O concurso PRF terá provas escritas objetivas que costumam ser divididas em blocos. Confira as disciplinas:

Bloco I

Primeiro bloco com 55 questões sobre:

  • Língua Portuguesa;
  • Raciocínio Lógico;
  • Informática;
  • Física;
  • Ética e Cidadania;
  • Geopolítica;
  • Língua estrangeira (inglês ou espanhol).

Bloco II

  • Legislação de Trânsito, com 30 questões

Bloco III

  • Administrativo;
  • Constitucional;
  • Penal e Processual Penal;
  • Legislações especiais;
  • Direitos Humanos e Cidadania.

2. Prova discursiva do concurso PRF

A prova discursiva costuma cobrar um texto de até 30 linhas sobre temas relacionados ao cargo, à PRF ou a qualquer objeto cujo tema esteja previsto na bibliografia recomendada. Dois examinadores avaliam o texto e dão notas. Uma média é feita para se obter a pontuação final. Entre os critérios estão a ortografia, coerência, coesão e domínio do conteúdo apresentado.

O Concursos no Brasil tem um guia completo de estudos para o concurso PRF. Além disso, existem artigos que podem te ajudar a montar um cronograma de estudos, fazer revisão ou mesmo escrever uma redação nota 10. Vale a pena conferir!

3. Prova de títulos

A prova de títulos é aplicada ao cargo de Policial Rodoviário Federal e tem como função selecionar os candidatos que possuem melhores qualificações profissionais e tempo de experiência em cargos públicos.

"Para o concurso de Policial Rodoviário Federal, é exigido graduação em qualquer nível superior reconhecido pelo MEC - não importa a área de formação, já que a diversidade fortalece a instituição", disse José Hott durante a coletiva de imprensa.

O concurso PRF cobra os seguintes critérios em provas de títulos:

  • Doutorado;
  • Mestrado;
  • Especialização (Pós-graduação e outros cursos;
  • Exercício em cargo público de natureza policial.

As pontuações podem variar de acordo com a banca organizadora e as necessidades estipuladas pelo edital. Além disso, novos critérios podem ser adicionados. Vale ressaltar que esta etapa não possui caráter eliminatório. No entanto, para fins de classificação, ela pode ser determinante.

4. Teste de aptidão física (TAF) da PRF

Quem se classifica após as provas escritas e de títulos, obtendo a nota mínima estipulada pelo edital, deverá passar pelo Teste de Aptidão Física (TAF). As metas que devem ser atingidas pelos candidatos variam entre homens e mulheres. Geralmente, são cobrados os quatros testes a seguir:

  • Flexão em barra fixa;
  • Teste de shuttle run (ir e vir);
  • Impulsão horizontal;
  • Flexão abdominal;
  • Corrida de 12 minutos.

Antigamente, era cobrada a prova de natação. No entanto, nos últimos certames, a PRF já não costuma utilizar este tipo de teste. O Teste de Aptidão Física possui caráter eliminatório.

Durante a coletiva, Hott informou que não terá prova de natação, já que durante a pandemia é difícil encontrar clubes e piscinas para o treino. O diretor-executivo ainda disse que estão estudando a inclusão de um teste de agilidade, mas isso ainda está sendo analisado junto com a banca organizadora.

5. Avaliação psicológica

A avaliação psicológica possui caráter eliminatório. Esta etapa é conduzida por um profissional da área e tem como função analisar a aptidão comportamental do candidato. A função de Policial Rodoviário Federal possui muitas ocorrências ao longo de um dia, lidando com fiscalizações, acidentes, prisões e diversas outras ações que podem afetar a parte psicológica do indivíduo.

Além disso, por lidar com armas de fogo, é preciso que o Policial tenha controle emocional e de impulsos. Os principais critérios abordados ao longo da avaliação são:

  • Personalidade;
  • Raciocínio;
  • Habilidades específicas.

Durante a coletiva de imprensa, Hott disse que "o perfil do PRF exige uma capacidade de saúde mental, de aderência ao perfil do cargo, que é um tanto mais complexa. A gente segue apurando a capacidade ao longo do processo de seleção com a Avaliação Psicológica Continuada".

O nome desse procedimento foi ajustado justamente para reforçar que a avaliação vai acontecer diversas vezes a partir do momento que o candidato entra no CFP. Serão avaliados itens como "resiliência, atuação sob estresse, ser confrontado com situações que elevam o nível de estresse ao ponto que não são comuns no nível de sociedade geral".

6. Procedimento biopsicossocial

A avaliação biopsicossocial é realizada para quem concorre às vagas reservadas para pessoas com deficiência. Nesta fase, profissionais da área irão avaliar as capacidades do candidato e suas limitações.

Além disso, a avaliação também irá comparar os seus resultados com as condições informadas pelo candidato durante a inscrição. Portanto, é preciso que a avaliação médica indicada pelo concurseiro seja legitima, pois fraudes podem ser descobertas durante esta etapa.

Na coletiva de imprensa, Hott disse que o procedimento biopsicossocial responde a duas perguntas: a deficiência declarada está presente no candidato e, se presente, o qualifica para concorrer às cotas? Às vezes o candidato declara uma deficiência, mas que não é suficiente para concorrer às cotas. Se a junta médica definir que não é cota, vai para a classificação geral.

Se a junta medica diz que sim, faz parte das cotas, tanto o Cebraspe quanto a comissão formada por PRF com muita experiência e vivência nas diversas localidades do país vai avaliar se a deficiência é compatível com as habilidades exigidas pelo cargo da PRF.

7. Procedimento de heteroidentificação

Assim como a avaliação biopsicossocial, este também é um procedimento, não uma fase propriamente dita. No procedimento será confirmado ou não a auto declaração do candidato dentro das cotas previstas para negros.

Segundo Jose Hott, "nesse ano, a PRF vai adotar um procedimento diverso de heteroidentificação. Caso confirmada, ele segue nas concorrências das cotas. Se não se confirmar a auto declaração, aí vem a alteração: o candidato retorna para a ampla concorrência. Até então, ele era eliminado, este ano ele vai retornar para a concorrência geral".

8. Avaliação de Saúde do concurso PRF

A avaliação de saúde tem como função saber se o candidato está apto a cumprir as funções do cargo e não tem algum tipo de impedimento clínico. Testes de sangue urina, fezes e demais exames são feitos nesta etapa. Ainda haverá testes específicos com análises cardiológicas, pulmonares e oftalmológicas.

Borges disse que a avaliação terá exame toxicológico. Durante todo o CFP haverá a possibilidade da avaliação médica complementar. A Diretora de Pessoal disse "no CFP, a exemplo da avaliação Psicológica Continuada, nós também teremos Avaliação Médica Continuada durante todo o CFP".

9. Investigação social

A Investigação Social é um dos pontos cruciais do concurso PRF. Para ser Policial, o candidato deve ter uma conduta ilibada, ou seja, ser uma pessoa sem histórico de crimes, com boas relações com a sua comunidade e que é considerada um exemplo de bom comportamento moral e social pelas pessoas próximas, colegas de trabalho e por instituições.

A Investigação Social é feita pela própria Polícia Rodoviária Federal. Nela, é levantado o histórico criminal, civil e até mesmo o social do indivíduo. De certa forma, pode-se dizer que é passado um pente fino na vida da pessoa.

Se for identificado qualquer problema que não condiz com as regras do concurso ou os princípios da PRF, o candidato é sumariamente eliminado do processo.

10. Curso de Formação Profissional da PRF

A última etapa do concurso PRF é o Curso de Formação Profissional (CFP). Só chegam nesta fase os candidatos que foram aprovados em todas as demais etapas e estejam entre os primeiros colocados, conforme estipulado pelo edital.

Geralmente, após o anúncio dos aprovados, a PRF abre as inscrições online para o CFP. Os candidatos devem se registrar até o prazo determinado e depois comparecer às aulas e demais atividades relacionadas do curso.

É preciso que o candidato se atente a aspectos como o bom desempenho durante o Curso de Formação Profissional, disciplina e frequência. Durante o CFP, é previsto que o aluno receba um auxílio correspondente a 50% da remuneração que será ofertada quando o cargo for assumido.

O que ocorre depois do Curso de Formação Profissional?

Depois do Curso de Formação Profissional, os candidatos estão aptos a assumirem os seus cargos na PRF. Portanto, eles são convocados a assumirem os seus postos. Neste momento, é preciso ficar atento ao Diário Oficial da União para saber quando será preciso entregar os documentos para a nomeação.

Lembre-se: é preciso ter todos os requisitos exigidos pelo cargo. Caso contrário, o aprovado não poderá assumir o seu posto.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Comentários

Especial PRF

Veja mais »