Entenda como funciona o Sisu, o Fies e o Prouni

Sisu, Fies e Prouni são programas de adesão que visam abrir portas para estudantes do Brasil conseguirem o tão sonhado diploma de graduação. Saiba mais.

Entenda como funciona o Sisu, o Fies e o Prouni: a imagem mostra sala de aula com carteiras vazias

Cada programa tem seu público. - Foto: Pixabay

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é porta de entrada para várias instituições de ensino superior em todo o país. Mas, além disso, no Brasil, existem três grandes programas de adesão para estudantes conseguirem ingressar em universidades públicas e privadas. Sisu, Fies e Prouni são sistemas criados para ajudar os brasileiros, especialmente de baixa renda, a conquistarem o sonho de ter um diploma de nível superior.

Veja como funciona cada um deles na matéria abaixo:

Como funciona o Sisu?

Sisu é a sigla para Sistema de Seleção Unificada em que estudantes utilizam suas notas do ENEM para pleitear vagas nas universidades públicas. O portal permite que os candidatos verifiquem quais são as oportunidades disponíveis em cada instituição parceira. É possível consultar as vagas por região, faculdade e curso desejado. Cada pessoa tem direito de selecionar duas opções para pleitear em qualquer lugar do país. 

Todo ano, é estipulado um prazo de três dias para quem fez um exame nacional se inscrever. Ao final de cada um dos dias do Sisu, as universidades disponibilizam em quanto foi fechada a nota de corte para aquela vaga específica. Assim, é possível saber se a sua nota no ENEM daquele ano é o suficiente para te garantir uma oportunidade na faculdade.

Durante esses três dias, os candidatos podem mudar o curso e a instituição em que deseja ingressar. Ao final, caso seja aprovado nas duas opções, o estudante deverá escolher apenas uma. No entanto, se não passar em nenhuma das duas, entrará em lista de espera e poderá entrar na segunda chamada. É bom ficar muito atento, porque, mesmo que você não passe de primeira, a universidade desejada pode fazer mais convocações.

Como funciona o Fies?

Fies significa Fundo de Financiamento Estudantil, que é um programa criado para ajudar os estudantes a financiar cursos de nível superior em universidades privadas. No entanto, não é qualquer pessoa que pode solicitar o Fies. É necessário ter renda familiar de até dois salários mínimos e meio (R$ 2.700 de acordo com o valor vigente em 2021).

Além disso, o estudante precisa ter um fiador para conseguir a aprovação do financiamento. É importante saber também que é possível solicitar essa ajuda em qualquer período do ano, não necessariamente antes de iniciar a graduação. Vale ressaltar também que o Fies varia de acordo com a necessidade do aluno e é baseado nas seguintes fases:

  1. Utilização: enquanto o estudante ainda está na faculdade é necessário pagar uma taxa de R$ 150,00 a cada rês meses. Esse valor é referente aos juros do financiamento;
  2. Carência: quando o estudante conclui a graduação, tem um prazo de 18 meses para conseguir juntar o dinheiro a ser pago para o Fies. Nesse período, ele continua pagando os R$ 150,00 por trimestre pelos juros;
  3. Amortização: quando o prazo de carência acaba, o estudante pode parcelar o valor que falta pagar em três vezes o tempo do curso. Dessa forma, se a graduação durou cinco anos, então o prazo para quitar o financiamento será de 15 anos.

Como funciona o Prouni?

Prouni é a abreviação de Programa Universidade para Todos, criado para oferecer bolsas a estudantes que são membros de família de baixa renda. As bolsas podem ser integrais ou parciais em instituições de ensino superior privadas. Dessa forma, os alunos podem ter 100% do curso garantido pela universidade ou pagar por apenas 50% da mensalidade.

As regras para participar do Prouni são:

  • Ter feito todo o ensino médio em escola pública ou ter cursado em escola privada como bolsista;
  • Tirar pelo menos 450 pontos no ENEM sem zerar a redação;
  • Possuir renda familiar de até um salário mínimo e meio (R$ 1.600 de acordo com o valor vigente em 2021) para concorrer à bolsa integral;
  • Possuir renda familiar de até três salários mínimos (R$ 3.300 de acordo com o valor vigente em 2021) para concorrer à bolsa parcial.

A inscrição no Prouni é muito parecida com o registro no Sisu. Durante o período em questão, os estudantes devem:

  1. Acessar o portal do programa com número de inscrição e senha do último ENEM;
  2. Escolher até duas opções de curso, instituição e turno que disponibilizem bolsa.

Mas é necessário ficar atento a alguns pontos:

  • A nota de corte é calculada da mesma forma que o Sisu, sendo assim o candidato pode verificar se está dentro do curso desejado todos os dias;
  • Algumas instituições pedem outros requisitos além dos do Prouni, por isso, é preciso verificar as vagas nos sites das universidades antes de se inscrever;
  • Ao final do período de inscrição, os candidatos são ranqueados de acordo com as suas notas no ENEM e pré-selecionados dentro do número de bolsas ofertadas;
  • Cada instituição de ensino faz duas chamadas, então, se você não passou de primeira, verifique quando saíra a segunda e tenha os documentos para a matrícula em mãos.

Curiosidades antes de se inscrever nos programas de adesão

Você sabia que é possível unir Prouni e Fies na hora de entrar numa faculdade? A partir de 2015, o Ministério da Educação (MEC) lançou diretrizes autorizando o candidato a utilizar bolsa parcial do Poruni e financiar o restante da mensalidade pelo Fies. Antes disso, o estudante só poderia participar dos dois programas se fossem utilizados para entrar em dois cursos e instituições diferentes.

Antes de se inscrever nos programas de adesão, você precisa fazer uma pesquisa detalhada para garantir suas chances. Tanto no caso do Sisu, como no caso do Prouni, que usam a nota do ENEM como condição para entrar numa graduação, você precisa:

  • Confirmar no site do MEC se aquele curso ou instituição oferecem diplomas válidos pelo Ministério;
  • Analisar os rankings divulgados pelas universidades. Muitas instituições privadas garantem estar entre as melhores, mas é preciso confirmar a informação e verificar se o diploma será interessante para o mercado de trabalho;
  • Não é porque uma instituição tem muitos alunos matriculados que ela é, necessariamente, boa.

Para conferir todos pontos importantes antes de se registrar no Fies, no Prouni ou no Sisu, veja o que é informado nos portais de cada programa. Converse também com professores, amigos, familiares e pessoas que você conhece que já passaram por essa etapa. E na época de se inscrever, fique muito atento aos prazos!

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Comentários

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »