O que é Criptografia? (Revisão para provas de concursos)

Revisão de Criptografia: um assunto bastante cobrado em provas de diversos concursos pelo Brasil.

como-estudar-para-concurso-publico-em-pouco-tempo

A massificação do uso da internet obriga os usuários a buscarem cada vez mais proteção para as informações que circulam no ambiente virtual.

A criptografia é o processo de transformação de uma mensagem ou arquivo em códigos, ordenados de forma diversa do original, de modo a garantir o sigilo e a integralidade da informação. A codificação possibilita que somente o remente e o destinatário, por meio de chaves, mecanismo similar a senha, tenham acesso ao conteúdo original.

O uso de técnicas para o embaralhamento das informações, com objetivo de torná-las ilegíveis e garantir o seu sigilo em relação a terceiros não é um processo novo nas comunicações humanas. Há registros históricos de que na Grécia Antiga usava-se a codificação de mensagens para comunicações militares, denominadas cifra de transposição ou cítala espartana.

A codificação das mensagens no período compreendido entre a Idade Antiga até a Segunda Guerra mundial, quando eram utilizadas as máquinas eletromecânicas pelos alemães, é classificada como Criptografia Clássica.

Progresso da Criptografia

Na Criptografia Moderna, que se estende da guerra fria até os dias de hoje, houve uma evolução significativa dos métodos criptográficos. Foram descobertos a criptografia hash, que através de uma string (sequência de caracteres) calcula um identificador digital de tamanho fixo; a criptografia por chave simétrica ou chave secreta em que tanto o emissor quanto o receptor da mensagem partilham a mesma chave para codificar e descodificar a mensagem.

Mas o grande salto na segurança da codificação das mensagens deu-se com a criptografia por chave assimétrica ou chave pública. Essa é baseada no uso de pares de chaves, onde a chave pública é usada para codificar a mensagem e a chave secreta para descodificar. Assim, uma mensagem codificada com a chave pública, só pode ser descodificada com a chave secreta a qual estiver relacionada.

A vantagem da criptografia por chave simétrica é a velocidade do processo. Por outro lado, a chave assimétrica colocou um ponto final no problema de partilhamento de chaves, existente na simétrica, e viabilizou a comunicação segura entre pessoas comuns.

Assinatura digital

Há casos em que não é necessário criptografar as informações, mas conferir com segurança a sua autenticidade e integridades. Para isso, usa-se a assinatura digital, que por meio da aplicação de uma função de criptografia verifica se o documento não foi modificado durante o envio.

No entanto, para utilizar a assinatura digital é necessário possuir a certificação digital. O Certificado Digital é o documento eletrônico que possibilita a troca segura de informações entre duas partes, com a garantia da identidade do emissor, da integridade da mensagem e de sua confidencialidade, se for o caso. Ele funciona como uma carteira de identidade eletrônica das partes envolvidas numa transação.

No Brasil, desde 2001, quando da criação da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP Brasil, vinculado ao Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, os documentos digitais passaram a ter validade oficial em todo o país. O Certificado digital é emitido por autoridades certificadoras, credenciadas pelo Instituto, que comprova a identidade da pessoa que assina o documento.

Autenticação

A autenticação digital é um instrumento básico de proteção do fluxo de documento no ambiente virtual. Ela garante a identificação correta da procedência do documento eletrônico.

A premissa básica de validação é de que o autor tenha acesso a algum código exclusivo, que pode ser por meio de senhas, SMS ou e-mail.

Mais seguros que esses meios, são os pequenos hardwares (tokens ou smart card) que armazenam chaves criptográficas. Geradas essas codificações, todo o conteúdo do dispositivo estará protegido, pois não é possível copiá-lo ou retirá-lo dos equipamentos. Outro método bastante utilizado é a autenticação biométrica, principalmente por meio de impressão digital.

Por Helena Barcelos: Jornalista, formada em Comunicação Social pela UFMG.

Alberto Vicente
Redator
Formado em Letras pela UEFS, colabora com o time Concursos no Brasil desde 2011, produzindo conteúdos sob medida para os seus leitores. Começou a escrever textos para a internet no ano de 1997 e não parou mais.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »