O que muda com a redução da taxa Selic para 2,25% ao ano?

Veja o que acontece com os seus investimentos em renda fixa com a redução da taxa Selic.

redução da taxa Selic, cédula de reais

Impactos da redução da taxa Selic afetam seu dia a dia. - Foto: Pixabay

Nesta quarta-feira, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) anunciou a redução da taxa Selic. No caso, ela caiu, de 3% para 2,25%, o menor índice da história do Brasil. Especialistas apontam que o corte na taxa básica de juros tem a ver com a crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Esta foi a oitava vez seguida que o Copom decidiu reduzir o índice. No caso, a redução foi de 0,75 ponto, algo que já havia sido especulado pelo mercado financeiro. Apesar do corte não ter causado surpresas, ele é sentido em vários aspectos da sociedade, principalmente nos investidores mais conservadores que focam seu dinheiro naquilo que é chamado de renda fixa (poupança, Tesouro, CDI, CDB, entre outros).

E como a redução da taxa Selic te afeta?

Muita gente se pergunta: como a queda da taxa Selic pode me afetar? E eis a resposta: muito! A queda da taxa Selic está diretamente relacionada com o rendimento de diversos tipos de investimentos em renda fixa. Entre eles, podemos citar os mais famosos: a poupança e o CDI.

Acontece que, tanto a poupança, quanto o CDI ou CDB, utilizam a taxa Selic como forma de parâmetro para o rendimento do dinheiro depositado. Se a taxa Selic é maior, o dinheiro rende mais. Se ela cai, o rendimento também regride. Dependendo da situação, pode até perder para a inflação, o que quer dizer que a sua quantia guardada está perdendo o poder de compra.

Simulação

Veja a simulação de investimento de R$ 5.000,00 em renda fixa, atualmente, com a Selic a 2,25% e entenda seu impacto real no período de um ano:

InvestimentoDinheiro no final de um ano
PoupançaR$ 5.078,75
CDB 90% (grandes bancos)R$ 5.077,04
CDI 100%R$ 5.045,60
Tesouro (CBCL + corretagem)R$ 5.066,00

Existe algo bom nesse corte da Selic?

Nem tudo é ruim com a redução da taxa Selic. Apesar de indicar que a economia vai mal e que o PIB está em queda, o corte pode sim beneficiar algumas pessoas. Por ser uma taxa de juros que serve como parâmetro para vários outros aspectos econômicos, a Selic impacta diretamente nos juros de empréstimos. Isso quer dizer que, se você deseja fazer um empréstimo, a taxa de juros a ser paga será menor.

Outro detalhe é que com o corte da taxa Selic, o dólar tende a aumentar. Isso não é necessariamente uma regra, mas em situações como a atual, de crise econômica, geralmente acontece. Para quem deseja fazer compras baseadas na moeda americana, o corte, obviamente, é ruim. Porém quem realiza vendas para o exterior está comemorando, já que o câmbio é favorável.

E agora? Onde colocar o dinheiro?

Onde colocar o dinheiro? Esta é uma das perguntas mais feitas recentemente. Se não bastasse a crise provocada pelo novo coronavírus, a grande volatilidade da bolsa de valores e o valor do dólar em disparada, nem mesmo a renda fixa parece ser tão vantajosa.

Para se ter ideia do quão impactante é essa redução da taxa Selic, até mesmo o dinheiro que está guardado no FGTS passa a render mais com o corte. A rentabilidade do FGTS é de 3% ao ano. Isso quer dizer que, se você tem dinheiro no fundo, não é vantajoso que você o retire e aplique na poupança ou em aplicações que rendam 100% do CDI.

É interessante notar que, ao contrário dos últimos anos, quando a taxa Selic estava em 14% como em 2015, o FGTS e seu rendimento eram criticados. Hoje, passa a ser, ao menos momentaneamente, um bom lugar para deixar o dinheiro quando o assunto é renda fixa.

Tenha bom senso

Portanto, fica a recomendação para que você tenha bom senso. Caso sinta qualquer tipo de insegurança em relação ao seu investimento, leia análise de corretora como a XP, Clear e BTG Pactual. Faça leituras em sites como o InfoMoney. E por fim, se a insegurança persistir, converse com o gerente do seu banco ou com algum familiar seu que saiba como realizar investimentos.

Mesmo após ter ouvido conselhos e ter estudado sobre o tema, tenha muita cautela. Afinal, estamos passando por um período de grande instabilidade econômica onde o que é imprevisível costuma ocorrer com maior frequência.

Por fim, fica o nosso incentivo de que você, caso ainda não tenha começado, comece a ler e estudar um pouco mais sobre o básico de economia e investimentos. Apesar de parecer ser algo maçante e difícil, após o primeiro contato, o aprendizado começa a ficar mais fácil e assim você verá que não algo tão difícil. Entre os benefícios está o fato de que você aprenderá a como gerenciar melhor seu dinheiro, seja ele pouco ou muito.

Veja também:

Compartilhe

Comentários