Como entender os editais se eles não ajudam?

Três sugestões que deveriam ser seguidas pelas organizadoras e outras que poderiam contribuir ainda mais para ajudar aos candidatos.

Não são poucos os candidatos que, ao se inscreverem para determinado concurso, costumam se perder no “mar de editais”. Como se não bastassem apenas os editais, surgem sempre as famigeradas retificações, que são importantíssimas, mas poderiam ser dispostas de uma forma menos trabalhosa para os simples mortais...

Pior ainda é quando certos concursos/seleções públicas são realizadas quase que sem a participação ativa de alguma organizadora, que se torne responsável por “juntar” todos os documentos em um único local (um site, ou mesmo um posto presencial, por exemplo, a depender da dimensão do seletivo). Assim, há concursos cujas promotoras lançam seus editais e possíveis retificações nas imprensas oficiais, geralmente de forma descontinuada - algo que pode prejudicar aos desavisados.  Há alguns anos, por exemplo, um colega quase perdeu o prazo de uma convocação para concurso, simplesmente pelo fato de não ter tomado conhecimento da publicação oficial. Ele acabou sabendo da convocação de uma forma bastante incomum: um funcionário do órgão promotor “juntou as pistas” e descobriu de alguma forma que eu trabalhava em um órgão pelo qual esse colega teve vínculo no passado. Fui contatado e tive a felicidade de conseguir comunicar ao colega sobre sua convocação. Ou seja, ele foi convocado mais por um golpe de sorte investigativa do que por ter tomado conhecimento na imprensa. Mas quantas pessoas já perderam cargos por não ter tomado conhecimento de publicações oficiais importantes em tempo hábil? Ainda bem que hoje muitos veículos de imprensa, como o Concursos no Brasil, cumprem esse papel social de informar a concurseiros sobre eventos importantes nessa área.

O objetivo deste breve artigo é lembrar que existem maneiras práticas e simples que podem ajudar a contornar parte dessa confusão relacionada aos editais e suas retificações. São alternativas já conhecidas, mas que ainda não se tornaram um consenso. Confira:

  1. 1.      Sites de órgãos/empresas promotores e de organizadoras atualizados

O portal eletrônico de uma prefeitura qualquer, de um órgão estadual ou federal deveria ter a obrigação de se manter sempre atualizado e, quando possível, até “adiantado” em relação às respectivas imprensas oficiais. Algumas assessorias já fazem releases antecipando uma informação oficial e os candidatos só têm a agradecer por isso. Lembro, por exemplo, de algumas notícias do portal da Secretaria de Comunicação Social do Estado da Bahia, que algumas vezes deram notícias que anunciavam um evento importante sobre um concurso, que só iria sair na imprensa oficial do dia posterior. Jornalistas com esse feeling ainda precisam se multiplicar...

Os sites de prefeituras ainda são os mais defasados em relação à notícia. Muitos gestores precisam despertar para dinamizar suas páginas eletrônicas.

  1. 2.      Praticar um princípio bíblico: juntar, em vez de espalhar

O que impede uma organizadora ou órgão promotor de facilitar as coisas? Acredito que coisa alguma, tirando a falta de boa vontade. Por que essas empresas não priorizam o edital principal, e depois as retificações. Explico: uma metodologia simples seria a seguinte: no topo da página da organizadora deveriam existir dois links principais, que são o EDITAL COMPLETO e o link para INSCRIÇÕES. Abaixo desses dois, apareceriam as retificações. No entanto, já no primeiro link (o do EDITAL COMPLETO), deveriam conter todas as retificações realizadas, destacadas em vermelho ou azul. Assim, os candidatos teriam maior facilidade para acompanhar as mudanças pois bastariam acessar constantemente o link do EDITAL COMPLETO, para conferir se foi divulgada alguma correção que possa lhe interessar na disputa pública.

O esquema seria mais ou menos o seguinte.

                          PÁGINA DO CONCURSO PARA O ÓRGÃO TAL

A)    LINK PARA O EDITAL COMPLETO (QUE DEVERÁ SER REVISADO A CADA RETIFICAÇÃO PUBLICADA. O arquivo poderia ser “Edital XX/XXXX atualizado até a retificação nº XX/XXXX”)

B)    LINK PARA INSCRIÇÃO

C)    LINKS DE TODAS AS RETIFICAÇÕES (para quem quiser ter o trabalho de ler individualmente...)

  1. 3.      Mais informações por e-mail, SMS, ou outras tecnologias instantâneas

Sei que nem sempre é possível fazer ligações telefônicas para candidatos (até pelo custo), mas se cada vez mais órgãos/empresas promotores e organizadoras adotassem o e-mail e outras formas de comunicação (SMS, mensageiros instantâneos móveis ou não e tantos quantos surgirem), mais seria otimizado o acompanhamento dos eventos de um certame. Os candidatos deveriam, em primeiro lugar, manter seus contatos sempre atualizados, para poderem ser notificados sobre os eventos de um concurso de que participarem. Isso deveria ser feito até pelo menos a primeira convocação de aprovados, mas infelizmente geralmente não acontece. Todo mundo sabe do potencial existente nas redes sociais de comunicação, mas muitos gestores e organizadoras preferem desmerecer tudo isso... Quem perde é o candidato.

Encerro por aqui, mas gostaria da contribuição do candidato, seja escrita, seja falada (quem quiser, pode ligar).

Qualquer sugestão que ajude a dar mais clareza aos atos administrativos relacionados aos concursos públicos poderá ser enviada para o e-mail alberto@concursosnobrasil.com.br ou mesmo postada como comentário abaixo. Nós publicaremos as sugestões no corpo deste artigo.

Antes de escrever um comentário maldoso sobre o modo como as pessoas escrevem, apontando os "erros de português" e querendo dar uma de "dono da gramática", leia este artigo

Compartilhe

Comentários

Mais Concursos no Brasil em foco

Especial Concurso BB

Veja mais »