Veja quais informações NÃO precisam fazer parte do seu currículo

Elaborar um bom currículo continua sendo uma tarefa passível de causar dúvidas hoje em dia. Você está elaborando corretamente o seu?

Elaborar um bom currículo continua sendo uma tarefa passível de causar dúvidas para muitos profissionais hoje em dia. Muitos recorrem aos modelos de currículos existentes na internet; muitos acham que é suficiente "comprar" um currículo pronto em uma gráfica rápida ou lan house, pois "o que vale é a intenção"; já outros acreditam que um currículo deve ter aquele padrão enfadonho, caracterizado pela inclusão de informações antecipadamente desnecessárias e detalhes que muitas vez mais atrapalham do que ajudam. Mas será que existe essa fórmula perfeita para se fazer um bom currículo?

O fato é que nem sempre um candidato perfeito para a vaga consegue ser completamente feliz na elaboração do currículo. Afinal, não dá para saber com absoluta certeza o que deve necessariamente conter em um bom currículo, pois certamente isso dependerá da finalidade do mesmo. Mas há bons indicativos sobre o que não precisa constar nesses documentos. Exemplo disso é o levantamento recente divulgado pelo portal "Business Insider", que listou pelo menos 17 informações consideradas desnecessárias para se colocar nos currículos da atualidade.

Confira a seguir a lista:


1. Objetivo

Segundo analistas, o principal objetivo de um currículo está mais do que óbvio: é evidente que o candidato quer trabalhar na empresa. Salvo em casos bastante específicos (como naqueles em que um funcionário pretende mudar de colocação profissional e necessita justificar a mudança de área de trabalho), em geral, a informação do objetivo é desnecessária.

2. Experiências de trabalho irrelevantes

De que adianta o candidato ressaltar no currículo que já foi o "rei dos milkshakes" na lanchonete em que trabalhou, quando ainda era estudante? Pense seriamente em se livrar dessa "fama pregressa", a não ser que pretenda seguir a "carreira" de fazedor de milkshakes".

3. Dados pessoais

Ainda é grande a quantidade de currículos contendo informações como estado civil, religião, endereço completo, número do CPF, RG, cartão do bolsa família e cinco telefones de contato (mas quando se procura o candidato, somente um funciona, e às vezes, nem um). Levando-se em conta de que é até ilegal solicitar parte dessas informações, o melhor mesmo é se concetrar em informar o essencial, como por exemplo, dados sólidos de contato e o nome completo nesse campo inicial. Imagine o problema judicial que causaria se você descobrisse que não foi selecionado para a vaga por ser adepto de uma determinada religião?

4. Seus hobbies

Concorrer a uma vaga de emprego não é um jogo de "relacionamento por afinidades". Somente divulgue o seu hobbie pessoal se isto tiver estreita relação com o perfil da vaga a que concorre. Fora isso, tenha certeza de que o empregador não está interessado.

5. Informar a idade

Também precisa ser evitado, para que não se corra o risco do candidato sofrer algum tipo de discriminação pela idade.

6. Referências

As referências pessoais, comerciais ou profissionais devem ser solicitadas em outro estágio do processo seletivo, e não como constante de um currículo. Se o empregador observar a necessidade disso, tenha certeza de que ele solicitará de você.

7. Os pronomes pessoais

Seu currículo não deve incluir as palavras "eu", "me", "ela", ou "meu", informa a especialista em carreiras, Tina Nicolai, consultada pela Bussiness Insider. "Não escreva o seu currículo na terceira ou primeira pessoa. Entende-se que tudo em seu currículo é sobre você e suas experiências", conclui.

8. Endereço da conta de e-mail pessoal incompatível com o perfil profissional esperado

Esqueça aquele seu endereço "gatinha2001@....", ou "grandebrother@....". Escolha um endereço de e-mail que inspire nos empregadores mais seriedade ou profissionalismo em você.

9. Uso excessivo de palavras óbvias

Quando estiver preenchendo o campo de dados pessoais, não existe necessidade de escrever a palavra "telefone" em frente ao número real, ou "e-mail", em frente ao endereço eletrônico. Isso chega a ser bobo, dizem os especialistas.

10. Informações do trabalho atual

Um momento: você está empregado e pretende que seu futuro empregador entre em contato com a sua atual empresa? Para quê? Trata-se de uma informação perigosa e até mesmo estúpida. Isso pode levar até mesmo o seu atual empregador a monitorar seus contatos, através de sua conta de e-mail ou números de telefone. Salvo naqueles casos em que você quer mesmo ser demitido, evite a inclusão desse tipo de informação.

11. Links de redes sociais ou páginas pessoais não relacionadas com a vaga de interesse

Links para seus blogs de opinião, página do Pinterest, Facebook, Twitter, Instagram, entre outros, devem ser mencionados se realmente tiverem relação com a vaga pretendida. Nem sempre tais informações são realmente valiosas.

"Mas você deve listar URLs relevantes, tais como a sua página LinkedIn ou quaisquer outros que são profissionais e se relacionam diretamente com a posição que você está tentando adquirir", diz Tina Nicolai.

12. Informações de salário

Pretensão salarial e antigo salário são informações dispensáveis. Amy Hoover, presidente da Talent Zoo, diz que um bom currículo deve "mostrar a sua experiência e competências profissionais. Salário vem mais tarde, no processo de entrevista."

13. Fontes desatualizadas

Uma fonte padrão bastante bem aceita atualmente é a Arial, embora esse detalhe pode mudar com o tempo. Evite usar Times New Roman, apesar de ser tentador. Além disso, preste atenção ao tamanho da fonte, pois é preciso que as informações sejam visualmente agradáveis e elegantes para quem for ler o seu currículo.

14. Uso irritante de palavras do senso comum, ainda que sejam jargões do mundo corporativo

No Brasil, palavras/expressões como "proativo", "motivado", "possuo espírito de equipe", "dinâmico", "responsável", "pontual", "assíduo", entre outras, já passaram o nível do aceitável e passaram ao rol das coisas irritantes. Se não for possível evitar algumas dessas palavras, pelo menos, procure usá-las com moderação.

15. Motivos que levaram a deixar uma empresa ou cargo

Os candidatos muitas vezes pensam: "se eu explicar por que deixou o cargo no meu currículo, talvez minhas chances vão melhorar."
"Errado", diz Nicolai. "A lista de razões pelas quais você deixou o antigo emprego é irrelevante em seu currículo. Use sua entrevista para resolver esta questão".

16. Suas notas do tempo da escola/faculdade

Se a vaga a que está concorrendo não é para alguma posição na escola ou faculdade de onde você saiu, qual o motivo de mencionar notass do histórico escolar em seu currículo? Dá até para apostar que o interesse demonstrado em revelar essas notas, foi porque elas foram boas. Se fossem ruins...

17. Colocar foto

Analistas consultados pela Bussines Insider consideram a inclusão de foto no currículo como algo desnecessário, pois chega a ser "estranho", "duvidoso" e "perturbador"

Edição: Alberto Vicente

A fonte principal é: http://www.businessinsider.com/things-you-should-never-put-on-your-resume-2015-2?op=1#ixzz3WXb5gnjm

Compartilhe

Comentários

Mais Concursos no Brasil em foco

Especial Concurso BB

Veja mais »