Saberes necessários para elaborar um plano de estudos

Ao elaborar um bom plano de estudos para concursos, lembre-se de que ser determinado e conhecer bem o "terreno" onde se pisará são requisitos importantes.

Quem é concurseiro de carreira sabe que hoje é mais fácil ganhar na loteria do que ser aprovado em um concurso público de alta concorrência sem se dedicar aos estudos. Com bancas examinadoras cada vez mais exigentes, principalmente quanto às habilidades de raciocínio e de interpretação dos candidatos, foi-se o tempo em que dar o velho "chute" nas questões resultava em chances reais de ser provado.

A determinação do concurseiro é um dos primeiros pilares para a construção de um bom plano de estudo. Ela certamente vai resultar em uma aprovação. Alguém poderá objetar: "ah, mas a determinação é algo inerente à personalidade de cada um". Sim, mas nada impede que ela também seja estimulada em sua vida e isso inclui tomar as decisões certas para começar a agir em prol de uma aprovação futura.

A este respeito, é essencial e bem vinda a intervenção de quem entende de concursos ou tenha experiência em sala de aulas preparatórias. Os profissionais podem lhe ajudar a elaborar um plano de estudos que se encaixe no seu "ritmo de vida", mas saiba que isso pode significar abrir mão de alguns prazeres, ainda que temporariamente.

Saber a dimensão da concorrência pode ajudar - Para se fazer um plano de estudo que leve à aprovação o essencial é primeiro saber qual a real dimensão da concorrência dos concursos que irá prestar. Esta é a recomendação primordial de João Ricardo Marques Melo, que é formado em administração, concurseiro aprovado em três certames (está no aguardo de ser convocado pelos órgãos) e também professor de cursinho preparatório para concursos. "É importante que você tenha noção dos números de concorrentes para ganhar a garra necessária para estudar. Não é hora de se iludir, o momento é colocar os pés no chão e a cabeça nos estudos".

Provas anteriores - A segunda dica é pegar o máximo de provas antigas que puder daqueles concursos almejados, separando pelo menos os dois últimos exames de cada certame, a fim de que seja possível construirmos metodologicamente uma noção de como os conteúdos são cobrados. Claro que a preparação não será pautada por apenas isso, mas, sem dúvidas, saber qual estilo da banca examinadora do concurso pretendido é um bom passo para a execução do plano de estudo. Os especialistas tendem a lembrar desse detalhe frequentemente.

Conteúdos específicos, básicos e redação - Dedique-se a estudar com profundidade os conteúdos específicos de cada concurso. Lembre-se que eles são os grandes diferenciais na hora de "puxar" sua colocação "para cima", levando você à aprovação. Como as provas avaliam a totalidade dos saberes cobrados, é preciso sempre revisar as matérias básicas também, como raciocínio lógico, português e informática.  

Caso seja cobrada a prova de redação, treine o máximo que puder a sua capacidade de colocar pensamentos, principalmente no papel (porque sabemos que a "logística" das seleções ainda não avançou tanto ao ponto de podermos responder às provas de concursos digitalmente, em uma sala com computadores adequados).

Lembramos também que, ao produzir seus textos, confira detalhes que parecem insignificantes, mas qualquer banca irá certamente observar, tais como o estado de sua caligrafia (tem gente que escreve uma redação até aceitável, porém inteligível, por não escrever as palavras com uma caligrafia ao alcance de nossa compreensão), além dos aspectos gramaticais todos. Afinal de contas, o ato de escrever exige, essencialmente, a leitura, a capacidade de articular as ideias presentes nos textos lidos aos seus conhecimentos prévios, e a escrita, enquanto prática exaustiva - isto é, o treino.

Tais sugestões, embora simples, podem ser de grande valia na hora de organizar sua vida de estudos. Assim, saiba que muitas vezes depende muito do próprio concurseiro aumentar consideravelmente as chances de ser aprovado, e não apenas dos materiais, dos recursos financeiros ou da disponibilidade de tempo que possa ter. Pense nisso.

Compartilhe

Comentários

Mais Dicas