Dicas de língua portuguesa para a sua preparação

"Correios divulga ou Correios divulgam"? "Cadastro de reserva ou cadastro reserva"? Confira algumas dicas de língua portuguesa para a sua preparação e para o seu cotidiano

1. Correios divulga ou Correios divulgam?

Esta dúvida é interessante, porque nem mesmo os assessores de imprensa da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos privilegiam uma ou outra forma de concordância.  Uma simples visita à página oficial da empresa (acesso em 12/09) lemos títulos de matérias nestes termos:

Apostila de Língua Portuguesa para Concursos Públicos

Correios garante serviços à população

Correios divulga lista dos classificados na primeira etapa do concurso

Correios opera normalmente em todo o Brasil

E logo abaixo, no desenvolvimento da notícia, os editores constroem orações como:

Os Correios estão operando com normalidade em todo o Brasil

Em busca de solução para o acordo coletivo de trabalho, os Correios ofereceram na quarta-feira (5) reposição integral da inflação

O fato é que quando escrevemos/falamos  "Correios garante" ou "Correios opera", implicitamente o leitor/ouvinte deve entender que a concordância neste caso é, digamos, semântica. É como se "Correios" equivalesse à expressão "Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos" que essencialmente está no singular. Já ao preferir construções como "Os Correios operam normalmente" e "Os Correios ofereceram, claro está que a preferência do enunciador primou pelo respeito explícito ao substantivo plural "correios", algo que se torna ainda mais obrigatório por conta da inclusão (proposital?) do artigo definido plural (os).

Só para informação: "correio" é um substantivo masculino que significa a pessoa encarregada de levar ou distribuir correspondência, tendo como sinônimos mais evidentes as palavras "carteiro" e "mensageiro". O Caldas Aulete também lembra que Correio é uma empresa ou organização, pública ou privada, incumbida de receber e distribuir correspondência escrita e objetos diversos. Então, quando alguém diz que "o Correio trouxe a encomenda" não está denegrindo coisa alguma.

Apostilas com conteúdos específicos para todos os concursos públicos:

Resumo: as duas concordâncias são aceitas, o contexto explica tudo.

2. Cadastro de reserva, cadastro reserva ou cadastro-reserva?

a. O concurso do Banco do Brasil se destina à formação de cadastro de reserva no cargo de escriturário

b. O concurso do Banco do Brasil se destina à formação de cadastro reserva no cargo de escriturário

c. O concurso do Banco do Brasil se destina à formação de cadastro-reserva no cargo de escriturário

Qual das três você considera a mais adequada ao padrão culto da língua?

Não encontrei consenso quanto a esta questão, mas é possível que ainda encontre algum, futuramente. Grande parte dos editais e dos jornais impressos ou eletrônicos está consagrando constantemente a expressão "cadastro de reserva". Logicamente, ficaremos com a maioria, se bem que alguns editores de notícias estejam atualmente também opotando por uma segunda opção: "cadastro reserva" (sem hífen).

Enquanto isso, quase ninguém usa a expressão "cadastro-reserva" (deste jeito mesmo, com hífen). No entanto, se os redatores em geral adotassem no futuro a expressão hifenizada, não estariam sendo revolucionários em nada, considerando que uma das regras do uso do hífen prevê que ele é normalmente usado em palavras compostas comuns, sem preposições, geralmente com o primeiro elemento sendo um substantivo (no caso, cadastro), adjetivo, verbo ou numeralE como pela regra ambas as palavras são substantivos (cadastro e reserva), o plural da palavra composta seria, então, "cadastros-reservas". Por fim, o plural de "cadastro de reserva" pode ser "cadastros de reserva" (ênfase na locução "de reserva") ou "cadastros de reservas" (caso queiramos enfatizar o ambos os  termos). Já o plural de "cadastro reserva" será "cadastros reservas".

3. Paraolímpicos e Paralímpicos


Os atletas paralímpicos medalhistas em Londres foram recebidos pela presidenta Dilma Rousseff. (CPB)

Não poderia encerrrar essas dicas sem a palavra da moda em 2012: paralímpico. O próprio Comitê Paralímpico Brasileiro prontamente abraçou a causa e aboliu a não menos bela palavra "paraolímpico".

Nada contra a opção, ficou até mais "artística".  O Caudas Aulete online ainda não registra a nova grafia, nem o Vocabulário da ABL, porém o Priberam já acrescentou (com etimologia e tudo!). Isso é certamente uma questão de tempo.

A explicação para o fenômeno linguístico não vai ser encontrada no VOLP ou em circustâncias linguísticas profundas. Foi apenas uma incorporação (antropofagia cultural?) do vocábulo em inglês, ou seja, o famoso aportuguesamento nosso de cada dia: a adequação foi motivada pela forma inglesa do termo, contida na expressão "International Paralympic Committee", que nomeia o Comitê Paraolímpico Internacional (IPC). Segundo o setor de Comunicação e Marketing do CPB "foi uma orientação do IPC para o Brasil se alinhar mundialmente aos demais países".  Só isso.

4.Concurseiro: Existe esta palavra?

Existe, mas ainda não foi dicionarizada. Não há registros no Caudas Aulete, no VOLP, nem no Aurélio e possivelmente em dicionário algum, por enquanto. A palavra mais próxima de "concurseiro" encontrada facilmente é "concursado", que, segundo o Aurélio, tanto é o particípio de "concursar" quanto um adjetivo e indica "que se concursou: Dentre os 100 candidatos concursados, apenas dois obtiveram colocação".

Como sugestão, quem sabe não poderia ser algo do tipo:

Concurseiro.

Substantivo masculino (Neol).

1. Indivíduo que participar regularmente de concursos públicos e/ou seleções similares.

2. Concursado.

3. Que se concursou.

4. Que estuda para prestar concursos públicos de maneira disciplinada.

5. Concursando (Neol.)

 
Por Alberto Vicente

Compartilhe

Comentários

Mais Dicas