Dicas para concursos da Educação: o Currículo Escolar

Cada instituição tem por dever de elaborar o planejamento curricular, incorporando os componentes escolares.

O Planejamento Curricular visa orientar o trabalho do docente na prática pedagógica na sala de aula, abrangendo o planejamento das experiências vivenciadas pelos alunos em uma escola. Assim, o planejamento é o processo de tomada de decisões sobre a dinâmica da ação escolar.

Entretanto, o modo de planejar constitui-se de uma ferramenta que ensina a ação educativa na escola. Isto porque a maior preocupação é com a proposta geral das experiências de aprendizagem que a escola possa promover ao discente, através dos diversos componentes curriculares.

Cada instituição tem por dever de elaborar o planejamento curricular, incorporando os componentes escolares que, direta ou indiretamente, fazem parte do processo educativo. Esses componentes são: o diretor, o supervisor pedagógico, o orientador educacional e os professores. Estes, juntos, definirão os objetivos, o conteúdo básico e esquematizarão os métodos e as estratégias de avaliação.

Contextualização dos conteúdos

A contextualização dos conteúdos permite levar para sala de aula questões presentes no cotidiano do discente, possibilitando melhorar o processo de ensino e aprendizagem do mesmo. Entretanto, ao selecionar e organizar os conteúdos de ensino de uma aula o professor deve levar em consideração a realidade vivenciada pelos alunos.

Os conteúdos constituem-se de um elemento de mediação no processo de ensino. Eles permitem ao discente, através da assimilação, se apropriar do conhecimento histórico, cientifico, cultural acerca do mundo. Além disso, possibilitam a construção de convicções e conceitos.

Seleção dos conteúdos

Os conteúdos de ensino devem ser vistos como uma relação entre os seus componentes, matéria, ensino e o conhecimento que cada aluno já traz consigo. Não basta apenas a seleção e organização lógica dos conteúdos para transmiti-los.

Os conteúdos devem incluir elementos da vivência prática dos alunos para torná-los mais significativos, mais vivos, mais vitais, de modo que eles possam assimilá-los de forma ativa e consciente.

O trabalho com projetos traz uma nova perspectiva para compreender o processo ensino aprendizagem. Permite situar-se como uma proposta de intervenção pedagógica que dá à atividade de aprender um novo sentido, em que as necessidades de aprendizagem afloram na tentativa de se resolver situações problemas.

O projeto provoca situações de aprendizagem, ao mesmo tempo reais e diversificadas.

Currículo e cultura: visão interdisciplinar e transversal do conhecimento

Conforme a Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB, nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996, “os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e da clientela. ”

O currículo escolar é um espaço de produção e de política cultural, em que os materiais existentes operam como matéria prima de criação, recriação e, acima de tudo, de contestação e transgressão. Nestas circunstâncias, o currículo possui um papel bem definido, como ambiente de discussões ideológicas, onde sucedem conflitos nas áreas da política, social e cultural.

A cultura na escola possui um sentido a mais do que ser simplesmente uma discussão de conteúdos na elaboração do currículo escolar. Portanto, a diversidade cultural na escola tem se tornado uma barreira que precisa ser ultrapassada através da implantação de uma cultura precisa.

O currículo escolar e a construção do conhecimento

Currículo escolar nada mais é que a distribuição dos conteúdos a serem estudados. Ele também significa a distribuição das atividades a serem executadas pelos estudantes em todo o seu percurso.

O currículo escolar incorpora discussões sobre os conhecimentos escolares, sobre os procedimentos e as relações sociais que conformam o cenário escolar. Afinal, é nesse cenário que os conhecimentos se ensinam e se aprendem. É nele também que ocorrem as transformações que desejamos efetuar nos alunos (as), sobre os valores que almejamos incluir e sobre as identidades que pretendemos construir.

O Currículo escolar associa-se, portanto, ao conjunto de esforços pedagógicos desenvolvidos com intenções educativas. E, por inúmeras vezes, discrimina as origens culturais dos discentes ao impor que a educação comum seja homogeneizadora. Isso, por conseguinte, dificulta a criação de oportunidades educativas igualitárias.

Desta forma, é necessário que a escola realize uma avaliação dos seus pressupostos. Ela precisa relacionar conteúdo do ensino com a realidade e valores vivenciados no cotidiano do aluno.

Assim, haverá participação igualitária e aprendizagem efetiva, além de ser atendida a diversidade cultural que a escola acolhe.

Compartilhe

Comentários

Mais Dicas