É possível passar em concursos gastando pouco?

Três dicas para se preparar bem, levando em conta as peculiaridades de cada concurso e o baixo custo.

Um dos grandes aspectos a serem pesados pelos concurseiros de hoje é delimitar até quanto é preciso investir para garantir um bom preparo. Afinal, qual o custo efetivo de uma boa preparação? Sabemos que, seja qual quanto for esse valor, será sempre um custo relativo, pois envolve uma série de fatores, alguns dos quais "imateriais" (horas dedicadas, foco, disciplina, reclusão, etc) e outros bem materiais (livros, apostilas, CDs, DVDs, assinaturas de serviços, cursos presenciais / à distância, deslocamentos, taxas de inscrição, alimentação, etc). Você deve ter conhecido em sua caminhada casos de pessoas que chegaram longe "gastando" apenas esses "bens imateriais", como também sabe de inúmeras outras que aliaram os dois "patrimônios" e também chegaram lá.

Com qual desses dois tipos de pessoa você se parece? Fica a pergunta para sua reflexão.

Apostilas com conteúdos específicos para todos os concursos públicos:

De qualquer forma, se sua pretensão é participar de um concurso, principalmente aqueles cuja concorrência não seja tão expressiva, ou que não demande, intelectualmente, uma preparação em longo prazo, há maneiras de garantir um bom aproveitamento nos estudos, com bastante qualidade e, principalmente, a um baixo custo.

É sempre importante dizer que não há receitas mágicas quanto a isto. Por isso, não espere novidades mirabolantes, nem um milagre vindo do céu para "fechar" a sua futura prova. Por falar nisso, se você costuma participar de concursos confiando constantemente em um milagre ou em um acaso, saiba que, embora Deus seja soberano até para esses fins, Ele não costuma ter parceria com os covardes, desleixados e/ou acomodados. Portanto, antes de qualquer coisa, em vez de sair confiando em qualquer fórmula certeira, confie inicialmente em uma pessoa: você mesmo.

Dito tudo isso, vamos recordar aqui três dicas essenciais para quem não tem como gastar tudo o que ganha em concursos, mas tem muita força de vontade:

Vá com mais frequência a bibliotecas públicas.

Tecnologias hoje são encontradas facilmente e fartamente, mas a relevância de uma biblioteca tradicional precisa sempre ser lembrada. Muitas pessoas hoje, bem colocadas no serviço público, pela quais poucos acreditavam que chegariam a algum lugar na vida, não tiveram condições financeiras de pagar bons livros e bons cursos, mas foram frequentadoras assíduas desses estabelecimentos do saber.

Até bem pouco tempo, bibliotecas eram as principais fontes de referência quando o assunto fosse estudar, independente da finalidade (vestibular, concursos, estudos regulares, etc). Mas atenção: muitas bibliotecas públicas, municipais e estaduais, possuem acervo defasado e limitado. Então, prefira as melhores. Atualmente, certamente pouquíssimas bibliotecas públicas atingem o nível de qualidade das bibliotecas universitárias. Portanto, a dica é esta: visite com mais frequência as bibliotecas de universidades federais e estaduais, pois elas possuem melhor acervo. Além disso, com o avanço da computação, muitas bibliotecas públicas já contam com pontos de acesso à rede mundial de computadores. Tendência boa, essa de unir o útil ao agradável. Só não se esqueça do bom e prático costume de fazer anotações, pois, com exceção de estudantes e professores, nesses locais não costuma ser possível fazer empréstimos de livros.

Utilize as ferramentas que a internet proporciona.

Aliada à busca de fontes bibliográficas sólidas nas bibliotecas, a internet é outra grande ferramenta de preparação para todo concurseiro/vestibulando/estudante. Quem não possui computador próprio, hoje não pode sequer alegar que visitar lan houses é caro, pois não é. Além disso, tem se proliferado no país os centros digitais comunitários, oferecendo acesso à web gratuito e de qualidade.

Trata-se de uma verdadeira "biblioteca" virtual multimídia que, quando bem utilizada, pode fazer a diferença em qualquer certame. É possível encontrar na rede hoje muito material de qualidade para sua preparação, de serviços pagos a gratuitos (noticias atualizadas sobre concursos, conteúdos específicos, vídeo-aulas, fóruns, livros em formatos digitalizados), embora também possa ser encontrado muito conteúdo com visíveis deficiências de conteúdo. Mas caberá a você ter sabedoria para aliar aquilo que for útil aos seus estudos àquilo que você já possui de conhecimento prévio ou formação intelectual. Não vai ser preciso pesquisar muito no Google para que você encontre pelo menos parte do conteúdo de que necessita e compartilhe isso nas suas redes sociais.

Forme um pequeno grupo de estudos.

Até aqui falamos que tanto o concurseiro bem paramentado quanto o autodidata podem se dar bem utilizando bibliotecas e a internet. Agora, para encerrar, o Concursos no Brasil deixa esta última dica, que é tão essencial quanto as duas outras: nunca estude absolutamente sozinho, pois ninguém é uma ilha.

Ainda que você não tenha o privilégio de interagir com professores e colegas de cursos preparatórios, procure se unir a pessoas com objetivos e interesses similares aos seus, forme grupos de estudos, nem que seja com apenas dois ou três componentes. Se está difícil para você se relacionar com os outros frequentadores de bibliotecas, hoje é muito fácil agregar pessoas pela internet - as redes sociais estão aí dizendo um "adeus solidão" a todo momento.

Aproveite essas dicas, pois, como dissemos, ainda que não sejam novas, merecem ser sempre lembradas.

Deixe a sua opinião nos comentários.

Compartilhe

Comentários

Mais Dicas