Expandir Menu PrincipalPesquisarPor Estado

Dicas para passar nos concursos e na vida

Sete dicas para turbinar sua preparação para os concursos públicos, mas a principal delas continua sendo a mesma e vale também para a vida: o esforço pessoal.

Publicado em 13/08/2015 - 09h16 • Comunicar erro

Ser um servidor público tornou-se hoje um sonho buscado por muitos brasileiros, independente de estarmos vivendo em um cenário de crise ou de prosperidade econômico-financeira. Tal sonho não pode ser entendido somente pela perspectiva da estabilidade e do salário fixo, mas precisa ser entendido também pela perspectiva da autorrealização profissional, da confiança em si mesmo, da potencial "vontade de poder" que precisamos ter para realizar alguns de nossos principais projetos.

Quando falamos de valorização do mérito pessoal (vivemos em uma meritocracia), não estamos insinuando que cada pessoa é um "pequeno deus", mas apenas querendo mostrar possuímos diversos instrumentais para realizarmos alguns dos nossos sonhos positivos na vida: força, determinação, vontade de agir (idealizar, mas sair da teoria), confiança, perseverança, resiliência, inconformismo, pensamento positivo, entre outros.

Afinal de contas, ninguém quer ficar para trás na vida. Por exemplo, uma pessoa pode ter sido nota 10 em Inglês durante todo o seu período escolar, tinha tudo para prosseguir, alcançar e manter, se não a fluência verbal, pelo menos a "fluência" para ler e escrever com certa desenvoltura. Mas ela acaba, durante a vida, "morrendo na praia", achando que o idioma é um "enigma", quando na verdade, dependia mais do seu esforço pessoal.

Nos concursos também ocorre algo parecido: uma pessoa tenta diversas vezes, mas perde, e pode acabar desistindo ainda cedo demais, quando não devia pensar assim. O mesmo fenômeno acontece no mundo dos negócios: quantos e quantos empreendimentos fecham suas portas na primeira ou segunda crise que aparece? Isso também é comum quando o assunto é atividade física: quantas vezes você começou o ano decidido a fazer meia hora de caminhada diária, mas desistiu do propósito na metade do primeiro trimestre?

Ou então: lembra daquele blog ou site que você começou a criar com tanta empolgação, cheio de ideias sobre o que escrever? Porque acabou desistindo no primeiro mês? Achou que o reconhecimento estava na esquina? Outra metáfora boa é aquela do vendedor: ele passa na sua porta e em várias portas diversas vezes, mas não desanima facilmente, pois sabe que, ainda que venham dez negativas, a qualquer momento virá um ou dois "sins", que valeram mais do que tudo.

Em concursos, nem sempre passa primeiro aquele que está mais preparado intelectualmente. Além da bagagem intelectual e mesmo da capacidade de "decorar" determinados conteúdos (até mais do que "aprendê-los"), há fatores que pesam bastante, como: dedicação, objetivo bem definido, paulatino, e não muito ambicioso (ou ganancioso), comprometimento, organização, atividade física (sim, atividade física!) e, claro, muito estudo.

Algumas pessoas deixam muitas oportunidades passarem por medo de tentar, de se sentirem derrotadas e fracassadas. Mas lembre-se: só saberemos se somos capazes se tentarmos e não nos deixarmos abater só por que não conseguimos nas primeiras vezes que tentamos. A esperança é continuar perseguindo seus objetivos, trabalhando no ramo que se apresentar, mas manter a chama acesa. Nunca pense em desistir, a não ser que esteja com os dias contados (e mesmo assim, persista!).

Para turbinar a sua preparação, listamos uma série de dicas (escolhemos a primeira como a principal), para te ajudar a alcançar o seu sonho. É possível garantir uma coisa: vale à pena seguir a maioria delas, lembrando-se de que nenhuma dica valerá alguma coisa se o esforço pessoal não for acionado.

1. Ninguém irá fazer as coisas que precisarão ser feitas por você. Durma a partir de hoje sem essa ilusão.

Siga seu objetivo de passar no concurso até conseguir sua realização. Se seu foco for conseguir um bom emprego na área privada, estude para consegui-lo. Se seu objetivo é se manter no atual emprego, seja o melhor funcionário que puder ser, faça coisas que colega algum já fez para beneficiar a empresa. Não tenha medo de "querer aparecer", independentemente de ser ou não ser bem remunerado, somente tenha medo de se tornar ambicioso, bajulador, traidor ou coisa do tipo. Em concursos, não adianta tentar apenas a primeira vez, fracassar e desistir. Nos empregos, não adianta só reclamar e dar desgosto ao patrão, que também tem os motivos dele para não lhe pagar o que você merece, pode acreditar que tem!

2. Coloque em sua mente que a única pessoa que mais pode te ajudar é apenas esta: você mesmo!

Esta segunda dica, no fundo, é um reforço da primeira. Então, seja seu próprio aliado, trabalhe a seu favor, não o contrário. Busque a auto-preservação em meio a tanta concorrência. Isto não significa que você vai ter que deixar de contar com a ajudar de seus familiares, amigos e colegas, pois ajuda é sempre bem vinda, venha de onde vier. Hoje temops muitos recursos didáticos disponíveis, que podem relativamente turbinar o aprendizado, mas tecnologia por tecnologia não valerá muito se a pessoa não der algo de si para alcançar algum resultado.

3. Procure traçar horários de estudos. Mas procure seguir tais horários.

Isto pode ser um dilema para muitos, ou já virou um prazer para outros. Criar um ambiente de estudo sem interrupção, barulhos ou qualquer outra coisa que venha incomodar e cortar a sua linha de pensamento pode ser visto como uma utopia, mas precisa ser encarado como meta para que possamos pelo menos tentar competir. Sabemos que, para quem trabalha, um cronograma enxuto significa abnegar de várias coisas, inclusive abnegar do cansaço...

Mas voltamos às duas dicas iniciais: é preciso encontrar alguma luz em você mesmo!

4. Dê ênfase às matérias de que você "menos gosta", tentando resistir à antipatia.

Muitas vezes são essas matérias que obviamente menos dominamos e, por isso mesmo, criamos uma grande resistência ou antipatia para estudá-las. Mas até isso precisa ser revisto com cuidado, porque em ensino-aprendizagem as coisas fluem melhor quando a pessoa está gostando do que vem estudando/conhecendo.

Alguns têm uma visão extrema ou "paulo-freiriana" da educação, e dizem que devemos aplicar os conteúdos à nossa realidade. Porém, nos concursos ou nos empregos nem sempre isso é possível. Você pode tentar aplicar conhecimentos de Informática a várias situações de sua vida prática, mas nem sempre achará essa facilidade para lidar com conteúdos de Direito Tributário, Raciocínio lógico ou Geometria Analítica... O jeito é lutar contra determinadas antipatias que cultivamos na vida...

5. Saiba dividir seu tempo para o lazer e os estudos.

Alguns anos atrás, acompanhamos na imprensa a notícia de que um grupo de estudantes abriu mão de curtir o carnaval visando intensificar os estudos para um disputadíssimo concurso do Senado Federal. Tratava-se de um caso excepcional, haja vista o fato de que as provas seriam aplicadas dentro de alguns dias.

Esse tipo de conduta, embora até louvável, não é a regra, mas a exceção. Com um pouco de organização, disciplina e força de vontade, dá para conciliar uma rotina de estudos eficiente com uma vida onde haja espaço para lazer, diversão e pouco ou nenhum stress.

Os "concurseiros radicais" talvez irão condenar tal postura "relaxada", mas preferiremos correr este risco. A qualidade de vida, alguma atividade física (ainda que seja apenas fazer uma leve caminhada 5 vezes por semana), associada a uma boa prática de estudo geralmente são fatores muito mais produtivos do que a tradicional imagem da pessoa trancafiada estudando 12 horas por dia.

6. Faça uma redação todos os dias e busque atualização sobre a atualidade. Por quê?

Apesar de muitas vezes nos encontrarmos desmotivados para escrever por escrever, sem ter alguém para nos ler, prosseguimos afirmando que ESCREVER É PRECISO.

Você talvez nem perceba, mas nossa sociedade está cada vez mais sendo o que chamo de uma "sociedade do que está escrito". As novas tecnologias estão aí para comprovar que precisamos dominar a linguagem escrita para expressar nossos pensamentos e, principalmente, divulgá-los. Portanto, escreva bastante, mas, sempre que possível, procure alguém para avaliar os seus textos. Não escreva para si mesmo, principalmente se estiver se preparando para um concurso, pois isso acabará atrapalhando.

Por outro lado, não se trata de fazer redação somente porque concurso público e seleção de emprego exigem. Redação é para a vida. Escrever na modernidade deveria ser obrigação de muito mais gente. Boa redação e algum conhecimento sobre a atualidade não são requisitos válidos apenas para submissão a provas, mas para a vida como um todo.

Artigos que podem potencializar sua Redação:

-7. "Concurso não se faz para passar, mas até passar" (William Douglas)

Eis uma afirmativa que você deve levar sempre em conta. A média dos que passaram em concursos públicos é de 12 tentativas até sua realização, isso a depender do tipo de concurso, do "grau de complexidade" das matérias cobradas. Portanto, não se desespere se entrou no "meio" agora e já esperava sucesso na primeira, segunda ou terceira tentativas.

Em matéria de concursos, a máxima do poeta/cantor é válida: "tente outra vez, não diga que a vitória está perdida, tenha fé em Deus, tenha fé na vida". Entretanto, se você estudou até passar em um determinado concurso e ainda assim não está satisfeito com o rumo que a sua vida tomou no desempenho daquela atividade profissional, lembre-se de que você tem ainda direito a tentar de novo e trilhar uma outra direção, mesmo que não seja na iniciativa pública.

O que mais dizer?

A lista de dicas não se resume a essas sete e finalizaremos deixando apenas aqueles lembretes que já fazem parte do dever de casa de milhares de concurseiros espalhados pelo Brasil:

- Reúna provas de concursos anteriores ou comercializadas através de cadernos de testes e livros, separe o material de consulta permitido pelo edital, o número de questões, o tempo de prova, etc. E faça a prova! Tente simular uma prova do modo mais próximo possível daquele que irá encontrar no dia do concurso. Encare a simulação como peça integrante da grande engrenagem que se chama "estudar".

- Leia o edital com o máximo de atenção, para ter certeza de que sua opção pela área de atuação oferecida não foi equivocada. Afinal, caso seja aprovado e convocado, de certa forma aquela será a sua ocupação nos próximos anos. Não vale ficar reclamando do cargo futuramente...

- Estude cada vez mais, pois quanto mais estudar mais aprenderá, desde que seja um estudo concentrado. E lembre-se de outro detalhe: ninguém nasce sabendo. Não tenha vergonha de perguntar sobre qualquer assunto que não domina, seja humilde.

- Tenha motivação. De certa forma, isso já foi lembrado antes, só que por outras palavras. Mas a motivação nos dá força para continuar tentando e, principalmente, agindo. Em sua caminhada, certamente passará por momentos de desânimo e nessa hora será muito importante encontrar forças ao seu redor, seja no conselho de um amigo, seja na leitura de um artigo ou testemunho de motivação, seja por meio de sua crença religiosa ou por quaquer outro meio.

- Descanse e relaxe dias antes de fazer a prova, procurando não pensar e falar na prova. Afinal, você já estudou tudo que tinha para estudar, agora é só aguardar o dia da prova para colocar em prática o que aprendeu com seus estudos e dedicação e nada melhor do que uma mente relaxada e fresca para se dar bem. Na véspera das provas o pior consolo é a tensão.

- Fique calmo na hora de fazer a prova, respire fundo e saiba que você não tem obrigação de passar, mas aproveite ao máximo a oportunidade que lhe foi concedida e dê o melhor de si.

Sucesso!

[email protected]

Sobre o Autor/Blog

Dicas sobre concursos públicos. Artigos, reportagens especiais e materiais de estudo que vão ajudar na sua preparação. Fale com a redação: Alberto Vicente Silva ([email protected])

Deixe a sua opinião