Expandir Menu PrincipalPesquisarPor Estado

Dicas para a prova de redação do Concurso Caixa

Como se trata de uma etapa eliminatória, tome nota de alguns detalhes desta prova e leia as nossas dicas gerais para obter melhor aproveitamento.

Publicado em 24/02/2012 - 15h00 • Comunicar erro

Outro dia, perguntei a um estudante do último ano do ensino médio como andava seu desempenho em Redação, enquanto disciplina escolar. Ele me respondeu de maneira um pouco precipitada:

- Olha, eu sou até muito criativo, só que me perco um pouco na pontuação, mas isso no computador é o mínimo, pois ele corrige.

Esta resposta, embora real e limitada, me levou a algumas reflexões. De fato, o computador, a internet e os recursos que esses veículos possuem devem ser nossos aliados, mas não precisamos depender deles. O exemplo do uso de corretores ortográficos para "consertar" as barbeiragens gramaticais dos nossos textos é muito sintomático: até que ponto uma correção automática me ajuda a aprender pontuação? Acredito que em muitas situações pouco ajuda e mais atrapalha, pois pode nos levar a um comodismo inoperante. Quem de verdade se interessa pelos porquês dos corretores ortográficos?

É evidente que essa questão do uso dos corretores ortográficos como "professores de português" implica em outra, mais séria para você, concurseiro: nas provas de concursos/seleções/vestibulares ainda não existe uma brecha legal que permita o uso do Office nas provas discursivas e de redação. Não estranhe se nunca vier a existir, claro. Ou seja, na hora H será você - e somente você - que precisará por em prática o que aprendeu, não apenas porque estudou muita gramática na escola/cursinhos, mas porque aproveitou seus anos absorvendo o que conseguiu das suas leituras.

Mas toda essa introdução foi apenas para começar de uma maneira diferente o nosso artigo de hoje, que trata mais uma vez sobre o Concurso Caixa, mais especificamente sobre Redação. Iremos pontuar informativamente alguns detalhes relacionados a esta etapa do processo seletivo para Técnico Bancário Novo e propor alguns direcionamentos para melhor aproveitar o momento único da redação. Boa leitura e bons estudos.

A Prova de Redação será a segunda etapa de avaliação do concurso, com valor de 10 pontos e possuindo um caráter eliminatório. Eliminação esta que já começa na etapa anterior (a Prova Objetiva), pois ficarão de fora os que obtiverem nota ZERO na prova objetiva de Conhecimentos Básicos e/ou nota ZERO na prova objetiva de Conhecimentos Específicos e/ou nota padronizada no polo (NP) inferior a 36,00 pontos. O outro detalhe é que quem não atingir a nota mínima (6 pontos) na Redação também será eliminado

Tanto as provas objetivas quanto a de Redação acontecerão no mesmo dia e horário, mas nem todos terão a redação corrigida, pois precisarão se enquadrar nos critérios de aprovação estabelecidos pelo edital e lembrados anteriormente.

Na correção da Redação serão aceitáveis ambas as ortografias vigentes, tanto a norma anterior (vigente até 31 de dezembro de 2008), quanto a nova, que entrou em vigor em 1º de janeiro de 2009. Portanto, pelo menos até 31 de dezembro de 2012 os candidatos aptos a terem suas redações corrigidas não terão com que se preocupar quanto a isto, embora todos os especialistas recomendem que cada um assimile as novas normas ao seu cotidiano de expressão escrita o quanto antes.

Por fim, o edital estabelece ainda que a Redação deve ser estruturada como um texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo. Isto quer dizer que não poderá ser escrito nada que se assemelhe, por exemplo, a um texto em versos, ou a alguma produção escrita meramente descritiva, muito menos a um texto narrativo ou informativo. Isso parece muito claro, em uma primeira leitura, mas muita gente ainda conta histórias ou enumera coisas numa redação que não deveria ser assim! Assim sendo, é essencial que se dê a devida importância à adequação ao tema proposto e ao tipo de texto requerido.

A organização do pensamento através dos mecanismos próprios da linguagem escrita (marcas de referência textual, sequenciação das ideias, delimitação das partes do texto) e o respeito ao padrão culto da língua (adequação vocabular, ortografia, morfologia, sintaxe de concordância, de regência e de colocação) são os dois outros requisitos essenciais para que a redação seja considerada formalmente aceitável.

Artigos que podem potencializar sua Redação para concursos bancários:

No mais, é preciso que todos os participantes de concursos que avaliem por meio de redação desvinculem essa exigência como sendo uma barreira intransponível. Diferentemente do domínio técnico-teórico que cada candidato possa ter sobre os conteúdos de provas escritas discursivas, o "domínio" a ser demonstrado em um texto argumentativo-dissertativo requer de cada um não apenas o saber gramatical. Costumo também acreditar que redigir seja uma espécie de treino, aliado a uma boa prática de leitura - e aqui não estou me referindo a apenas "boas leituras", pois isso será sempre muito relativo. Uma "boa leitura" tanto pode ser a de uma obra literária, um editorial ou uma bula de medicamento, como pode ser também a redação de um pré-vestibulando qualquer (é possível extrair alguma boa ideia de textos contendo muitos erros de forma e de conteúdo, porém não estou aconselhando que sempre se dê credibilidade a textos considerados "imprestáveis").

Nem todo jornalista foi necessariamente um primor em língua portuguesa na escola, nem todo bom músico obrigatoriamente precisou revelar seus dons desde a terna infância, assim como nem todo pregador famoso que conhecemos depende apenas do "dom de Deus" para pregar. Mas com certeza, em algum momento das suas vidas, eles se sentiram investidos da obrigação de serem esforçados naquilo que iriam desempenhar, muitas vezes até como profissão definitiva, que está além dos certames. Lembremo-nos sempre que parte do que somos é revelado - e até se sobressai - através de um texto escrito. Então, sempre que estiver escrevendo pense sempre em como os outros vão lhe "enxergar" pelo que você escreve. Pode não ser a solução para seus problemas, mas o princípio dela.

Por Alberto Vicente (@infowebmais)

Sobre o Autor/Blog

Dicas sobre concursos públicos. Artigos, reportagens especiais e materiais de estudo que vão ajudar na sua preparação. Fale com a redação: Alberto Vicente Silva ([email protected])

Deixe a sua opinião