Os concursos públicos e as mulheres

Elas conseguem dar mais colorido ao funcionalismo público.

Março é o mês da Mulher e como não é nenhuma novidade o quanto elas assumiram altas posições no mercado de trabalho, também não seria estranho falar sobre o sucesso notório como funcionárias públicas eficientes e sensíveis. Seja em qual for o nível do cargo exercido, a verdade é que faz toda a diferença ser servidor em órgãos públicos onde se predomina a visão feminina.

Quem bem sabe disso é a técnica em enfermagem Simone Cerqueira, 42 anos, que há 22 é servidora concursada de um dos maiores hospitais públicos da Bahia. Ela afirma que em um lugar onde impera a  dor e a linha entre a vida e a morte é tênue, a mulher sabe consolar e esboçar expressões que transmitem calma em momentos tão delicados.

São características como estas que fazem a técnica em enfermagem aconselhar muitas pessoas a sempre analisar bem quando se for prestar um concurso para a área da saúde. “Nenhuma área deve ter funcionários que só olhem o lado financeiro, no entanto, acredito que em especial a área de saúde, é que precisa ainda mais de servidores comprometidos, com um lado humano mais desenvolvido. A mulher, sem dúvidas, tem a união perfeita entre o comprometimento e a sensibilidade para isso”, disse.

A hoje aposentada Célia Gama, 55 anos, dedicou 20 anos da sua vida ao serviço em uma companhia de telefonia (na sua época, essa empresa era uma estatal). Ela conta que era perceptível o diferencial que existia no atendimento aos clientes feito por mulheres, em relação aos homens. Salienta também que boa parte das funcionárias era até mesmo premiada por ter boa postura com os clientes. “Acredito que mesmo atualmente o estresse tendo tomado conta da rotina de homens e mulheres, a gente ainda consegue ter mais paciência para lidar com as pessoas”.

Assim como Simone, Célia, há tantas outras personagens da vida real oferecendo seus bons serviços a órgãos públicos. Trata-se de mulheres que, antes de servidoras, são mães, esposas, avós ou até mesmo jovens em início de carreira na vida pública, as quais, muitas vezes, deixam as agruras da vida de lado e partem para o posto de trabalho com o objetivo de servir bem aos cidadãos.

São para as mulheres de todo esse Brasil, principalmente para as concurseiras, que dedicamos não apenas este mês de março como o “Mês Mulher”, mas todos os dias do ano, para que sejam homenageadas por ter um modo tão peculiar e especial em trabalhar, que dão um colorido mais agradável ao universo do funcionalismo público.

Compartilhe

Comentários

Mais Guia do Concurseiro

Especial PRF

Veja mais »