SEDUC - AM lança concurso

Secretaria da Educação do Amazonas divulgou concurso para preenchimento de 8.175 vagas com vencimentos de até 4.143,06.

O Governo do Estado do Amazonas, através da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC), tornou público os editais de abertura dos concursos públicos (números 01, 02 e 03/2018) para preenchimento de 8.175 vagas para todos os níveis de escolaridade. A organização do concurso está por conta do Instituto Acesso.

Estão sendo ofertadas vagas para Professores (diversas disciplinas/segmentos), Tradutores e Intérpretes de Libras, Merendeiros, Pedagogos, Assistentes Sociais, Bibliotecários, Contadores, Engenheiros (Civil, Eletricista, Mecânico), Estatísticos, Fonoaudiólogos, Nutricionistas, Psicólogos e Assistentes Técnicos. As jornadas de trabalho serão de 20 a 40 horas semanais, e os vencimentos iniciais terão valores a partir de R$ 1.525,06 até R$ 4.143,06, mais benefícios como auxílio alimentação e vale transporte (mediante solicitação individual).

As inscrições estão abertas até às 23h59min de 20 de maio de 2018, considerando o horário de Manaus, no endereço eletrônico https://concursos.institutoacesso.org.br/index/abertos/. Haverá taxa de inscrição no valor de R$ 50,00 a R$ 70,00.

A seleção dos candidatos, a depender da vaga em disputa, dar-se-á por meio de etapas como: prova escrita objetiva, prova escrita discursiva, prova prática e avaliação de títulos. As provas serão realizadas na cidade de Manaus e em outros 61 municípios, tais como: Amaturá, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Borba, Humaitá, Ipixuna, Jutaí, Manicoré, Nhamundá, Santa Isabel do Rio Negro, Santo Antônio do Içá, São Gabriel da Cachoeira, São Paulo de Olivença, Tabatinga, entre vários outros, na data provável do dia 08 de julho de 2018. 

O prazo de validade do concurso será de dois anos, contados a partir da data de homologação do resultado final, podendo ser prorrogado pelo mesmo período a critério da Administração.

Editais e atualizações: https://concursos.institutoacesso.org.br/index/abertos/

Dicas para as provas SEDUC - AM (Professores): Variações linguísticas; norma padrão

Os estudos linguísticos começaram na Índia com Panini. Nesta época, os estudos sobre a língua era um pouco intuitivos, comparativos e com interesses religiosos. No século XX, a publicação do livro póstumo O Curso de Lingüística Geral, que reuniu anotações feitas por alunos de Ferdinand de Saussure, foi responsável por dar inicio à Linguística Moderna. Esta passa a ser abordada como ciência, ignorando influências religiosa e determinando o seu objeto de estudo: a Língua.

A obra de Saussure tem características estruturalistas, uma vez que afirmava ser a língua uma estrutura que se relaciona entre si, regida por um conjunto de regras internas. No Curso, o linguísta fala dessas regras fazendo uma analogia com um jogo de xadrez e, demonstra - através da famosa “Metáfora do Jogo de Xadrez” - que essas regras internas não são aquelas definidas pela gramática normativa, mas sim aquelas que o individuo obtém na fase de aquisição da linguagem. O que fica claro que, mesmo que um sujeito não tenha notório saber das regras gramaticais, ele ainda sim possui a habilidade de comunicação.

Outras correntes linguísticas, como o Funcionalismo, tratam a língua fora desse padrão rigoroso do estruturalismo saussuriano, mostrando que a língua está em constante interação com a sociedade. Aqui, a tese é de que a gramática pode e deve se adaptar de acordo às necessidades de comunicação. É como se o funcionalismo "aceitasse" melhor o coloquialismos, considerando que os espaços sociais são variados, mas fundamentais para a construção da língua, que é dinâmica, traço característico de sua vivacidade.

Com isso, a fala, que é individual e viva, necessita adaptar-se constantemente às necessidades de comunicação, visto que o Funcionalismo adota a sociedade como um fator influenciável da mesma. A linguística, sobretudo a funcionalista, não despreza a importância do estudo da língua, do ponto de vista da gramática normativa. Contudo, trata-se de uma ciência que não desmerece os outros pontos de vista, incluindo aí as variações existentes na língua e na fala.

Existe uma diferença clara entre a fala e a escrita. E não somente isso: existem variações linguísticas em todo o território nacional (mais ocorrentes na língua falada, por ser mais "adaptativa") as quais devem ser consideradas em todo estudo da língua. A escrita geralmente adota as regras da gramática normativa, enquanto que a fala pode seguir variadas regras, nem sempre encontradas na gramática normativa. Seria a construção da sua própria gramática, como é defendida pelos Funcionalistas.

A fala, portanto, é muito mais dinâmica e opta sempre por seguir sentenças mais fáceis, já a escrita exige que sejamos o mais claro possível com o uso dos signos linguísticos, que muitas vezes podem causar dúvidas, estranhamento ou variados sentidos, dependendo do contexto.

A fala ainda pode receber influencias regionais, culturais, profissionais e até mesmo biológicas como idade e gênero. Vale lembrar também que, diferentemente do que se pensa, a fala precede a escrita (no sentido de dizer que a escrita só passou a existir após a fala). A escrita, embora seja uma "cópia" da fala, geralmente não segue influências externas, como o regionalismo, pelo menos de forma mais rápida ou perceptível em curto prazo. Sendo assim, a fala está mais suscetível à mudanças, enquanto a escrita evita a improvisação, é mais objetiva e elaborada.

Saiba mais nas Apostilas para os cargos da SEDUC - AM

REFERÊNCIAS

SAUSSURE, Ferdinand. O curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix.

CUNHA, Maria Angélica Furtado de. Linguística funcional. São Paulo: Parábola editorial.

MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de linguística. São Paulo: Contexto.

Dicas para outros cargos da SEDUC AM

Como estudar Raciocínio Lógico

Aritmética, álgebra, geometria, estruturas lógicas, frações, proporções, problemas etc. Em editais de concursos públicos o tema Raciocínio lógico pode englobar uma quantidade grande e imponente de assuntos. Isso assusta muitas vezes, mas o que fazer na hora de estudar?

Confira as dicas da professora Kellen Manoela para se dar bem nessas questões de prova.

Identifique o que é pedido no concurso

Antes de começar a estudar, leia o edital! Veja que assuntos serão cobrados e faça uma lista daqueles que você ainda não domina. A matemática é uma ciência que engloba uma quantidade muito grande de assuntos. Ela é ainda mais ampla que o que é pedido no edital do concurso. É importante identificar que fração da matemática precisa ser compreendida para a prova.

Aprenda a priorizar assuntos mais importantes

Todos os temas dentro da área de Raciocínio Lógico podem ser bem interessantes e até divertidos de se estudar. Seria muito bom aprender tudo para acertar todas as questões dessa área. Mas, infelizmente, você tem um tempo finito para se preparar para a prova. Dependendo da antecedência com a qual você começar a estudar é possível que você não tenha tempo para aprender totalmente todos os assuntos. Nesse caso o que fazer?

Sendo necessário escolher entre saber superficialmente todos os assuntos ou saber bem alguns tópicos opte pela segunda opção. Um conhecimento superficial em geral não é suficiente para chegar na resposta certa. Como as questões são de múltipla escolha o seu raciocínio inicial não é levado em conta, então é muito importante conseguir resolver corretamente todo o exercício.

Que assuntos escolher? Olhe as provas antigas para ver quais os temas que usualmente são cobrados no concurso em questão. Comece por esses temas que possuem maior probabilidade derem usados nas provas.

Organize-se

Faça um plano de estudos com metas semanais ou quinzenais. Separar a sua tarefa em metas menores tornará mais fácil avaliar o seu progresso.

Pratique

Essa é, provavelmente, a dica mais importante. Você já tentou aprender a tocar piano olhando um pianista? Lendo sobre teoria da música? Com a matemática o mesmo acontece. Ela é uma disciplina onde você só aprende fazendo.

Ler a teoria associada com cada um dos temas é um importante passo inicial, mas não deve ser o único passo. Para garantir que você vá conseguir colocar em prática a teoria você precisa resolver exercícios. Isso vai ajudar a lembrar e entender melhor a teoria.

Se possível resolva questões antigas do concurso buscado. As provas de concurso possuem um viés para o tipo de vaga aberto. É importante conhecer o contexto em que os problemas matemáticos podem aparecer.

Avalie o tempo de resolução

Em um concurso público não basta saber resolver um problema, é preciso ser rápido e resolvê-lo dentro do tempo da prova. Isso é algo que exige um certo treinamento. Faça simulados marcando o tempo de resolução dos exercícios. Isso certamente vai te deixar mais preparado tanto psicologicamente como intelectualmente para o concurso.

Não tenha medo do concurso

Qualquer que seja o seu nível de conhecimento matemático não se intimide com o concurso. Desde que você estude e pratique bastante você certamente conseguirá acertar diversas questões da área de raciocínio lógico.

Mais dcas de Raciocínio Lógico que podem lhe ajudar: I - II - III - IV - V - VI - VII

Concursos RelacionadosVagas
FUNPREVIM - Fundo de Previdência Social de ManacapuruNíveis Fundamental e Médio6
IMTRANS de ManacapuruNíveis Fundamental e Médio22
Prefeitura de BorbaTodos os níveis de escolaridade39
Prefeitura de ManacapuruTodos os níveis de escolaridade983
Prefeitura de ManicoréProfessor3
Prefeitura de UrucaráProfessor e Professor de ensino fundamental136
SAAE de ManacapuruNíveis Fundamental e Médio64
Veja todos » Concursos Abertos