Concurso Prefeitura de Feira de Santana - BA 2018: Professor

Concurso Prefeitura de Feira de Santana - BA prorrogou inscrições para 100 vagas no cargo de Professor. As oportunidades são para diversas disciplinas.

A Prefeitura de Feira de Santana, no Estado da Bahia, publicou o primeiro termo de retificação do edital de nº 001/2018 referente ao seu concurso que vai preencher 100 vagas para Professor em oito diferentes disciplinas. Entre as modificações, foi informado que o concurso Prefeitura de Feira de Santana - BA teve inscrições prorrogadas, inclusão de nova modalidade de solicitação de isenção e correção de algumas nomenclaturas.

Leia também: Concurso Prefeitura de Feira de Santana - BA 2018: Guarda Municipal

Vagas concurso Feira de Santana

O concurso está sob os cuidados da AOCP Concursos Públicos e, em disputa, estão 100 vagas, todas elas para Professor da Educação Infantil ao Ensino Fundamental (nomenclatura retificada). As vagas estão distribuídas entre as seguintes disciplinas: Arte (5), Ciências (4), Educação Física (13), Geografia (4), História (4), Língua Portuguesa (5), Matemática (5) e Pedagogia (60).

Dentro do total de vagas, haverá reserva para candidatos portadores de necessidades especiais, afrodescendentes e indígenas e alunos oriundos de escola pública ou bolsistas em escolas particulares. A remuneração para o cargo é de R$ 2.009,13 para 20 horas semanais.

Inscrições concurso Feira de Santana

As inscrições foram prorrogadas e agora poderão ser realizadas até o dia 13 de agosto de 2018 por meio do endereço eletrônico www.aocp.com.br. O valor da taxa de inscrição será de R$ 100,00.

Provas

O concurso Prefeitura de Feira de Santana - BA será composto por prova objetiva, prova de redação e prova de títulos.

A prova objetiva será realizada provavelmente no dia 02 de setembro de 2018, valerá 100 pontos e será composta por 50 questões, distribuídas da seguinte forma:

  • Professor de Pedagogia: 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Raciocínio Lógico e Matemático e 30 questões de Conhecimentos Específicos;
  • Professor de Língua Portuguesa: 20 questões de Conhecimentos Pedagógicos e 30 questões de Conhecimentos Específicos;
  • Demais cargos: 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Conhecimentos Pedagógicos e 30 questões de Conhecimentos Específicos.

Serão aprovados na prova objetiva, os candidatos que obtiverem a nota mínima de 50 pontos.

A prova de redação valerá até 20 pontos, sendo aprovados os candidatos que obtiverem a nota mínima de 10 pontos. Esta prova deverá ter de 15 a 30 linhas, sendo que somente serão corrigidas as redações dos candidatos aprovados na prova objetiva.

A prova de títulos valerá 10 pontos e serão aceitas as seguintes titulações:

  • Curso de pós-graduação: um ponto por título, sendo aceito até dois títulos;
  • Curso de mestrado: três pontos por título, sendo aceito apenas um título;
  • Curso de doutorado: cinco pontos por título, sendo aceito apenas um título.

Para concorrer na prova de títulos, serão aceitos os certificados relacionados à área da educação ou na área em que o candidato concorre.

Validade

O concurso Prefeitura de Feira de Santana - BA terá validade de dois anos, contados da data de sua homologação, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da administração pública.

Edital

O edital está disponível no site da organizadora, juntamente com seus anexos, e também está publicado na edição de 10 de julho de 2018 no Diário Oficial do Município de Feira de Santana, a partir da página 1.

Feira de Santana

Acidade de Feira de Santana foi fundada em 1833 e fica no centro-norte da Bahia, a cerca de 120 km da capital Salvador, fazendo divisa com outros 13 municípios. A cidade possui uma população de cerca de 630 mil habitantes, sendo a segunda mais populosa da Bahia.

A história do município inicia no século XVIII quando um casal de portugueses iniciou a construção de uma capela em homenagem a São Domingos e Santana. O local era trajeto de quem seguia rumo aos estados do Piauí e Goiás.

Feira de Santana é criada quando se emancipa do município Cachoeira. A região teve um papel importante na história do Brasil, visto que uma das heroínas da independência, Maria Quitéria, nasceu em São José das Itapororoca, quando esta pertencia ao município de Cachoeiras, que por sua vez, englobava também Feira de Santana.

O último processo seletivo

O último processo seletivo realizado pela Prefeitura de Feira de Santana - BA aconteceu em janeiro de 2018, quando o município abriu 40 vagas, todas elas para Médico do SAMU. Este processo seletivo foi composto apenas por prova de títulos.

Para Professor, a Prefeitura de Feira de Santana - BA havia realizado em abril de 2017 um processo seletivo para preencher 300 vagas para Professor do Ensino Fundamental do 1º ao 5º ano, todas elas para área de Pedagogia.

A organizadora

A AOCP Concursos Públicos, responsável pelo atual concurso de Feira de Santana, é uma organização civil e sem fins lucrativos. Os candidatos não devem confundir "AOCP Concursos Públicos" com "Instituto AOCP", pois são pessoas jurídicas distintas, isto é, não são a mesma entidade.

A AOCP é mais voltada para a realização de concursos nos âmbitos estadual e municipal, enquanto que o Instituto AOCP atua - preferencialmente - nos concursos de órgãos federais. Assim, a AOCP já realizou diversos concursos, entre eles os de Juiz de Fora, SUSIPE, CINBESA, IPAMB e DESENBAHIA. Mas a lista de certames é bem vasta, comprovando que tais empresas são experientes e capacitadas, indicando também que uma farta quantidade de provas anteriores está à disposição.

De acordo com a assessoria do Instituto AOCP, os examinadores que elaboram as provas da AOCP não são os mesmos que elaboram as provas do Instituto AOCP. Dessa forma, recomenda-se aos candidatos que, quando forem estudar por provas anteriores, prefiram a banca com a correspondência exata.

Dicas para as provas Feira de Santana: Programa Nacional dos Direitos Humanos III

Você, que está se preparando para o concurso para o magistério de Feira de Santana, aproveite para relembrar um dos assuntos a serem cobrados nas provas, que é o Programa Nacional dos Direitos Humanos III (PNDH 3). Trata-se da versão atualizada da Política Nacional para Garantia, Efetivação e Defesa dos Direitos Humanos na Sociedade Brasileira. Foi instituído pelo Decreto nº 7031, de 21 de dezembro de 2009 e atualizado pelo Decreto nº 7177 de 12 de maio de 2010.

O PNDH 3 tem como base estruturante os princípios que formam a sociedade democrática, justa e igualitária. Tais princípios são:

  • Diálogo permanente entre Estado e sociedade civil;
  • Transparência em todas as esferas do governo;
  • Prioridade dos Direitos Humanos nas políticas internas e relações internacionais;
  • Separação da Igreja e Estado, garantindo o caráter laico desse Estado;
  • Fortalecimento do pacto federativo;
  • Universalidade, todos tem garantidos seus direitos como cidadãos, independente de sexo, cor, raça ou opção sexual;
  • Indivisibilidade, direitos sociais, econômicos e culturais são condição para garantia dos direitos civis e políticos dos cidadãos e vice e versa;
  • Escolha pelo desenvolvimento sustentável;
  • Respeito à diversidade;
  • Combate às desigualdades com erradicação da fome e extrema pobreza.

O Programa foi dividido em seis eixos orientadores da política nacional de proteção aos direitos humanos, com trabalho em conjunto de todas as secretarias, ministérios e órgãos do governo, em todas as suas esferas.

O eixo I trata da interação democrática entre estado e sociedade civil. Nesse eixo é colocada a participação ativa da sociedade nas decisões do governo, como instrumento de fortalecimento da democracia. Nele ainda se propõe a promoção dos direitos humanos como objetivo central das políticas públicas e da criação de instrumentos que fortaleçam os direitos humanos.

O eixo I trabalha a integração e ampliação dos sistemas de informação sobre direitos humanos, com transparência das ações do governo e criação de mecanismos de monitoramento dessas ações para garantia e efetividade desses direitos.

O eixo II enfoca o desenvolvimento e os direitos humanos, buscando um desenvolvimento sustentável com inclusão social e econômica; valorização da diversidade regional; participativo, com valorização da pessoa humana como sujeito central do processo de desenvolvimento e de combate a discriminação. Esse eixo traz os direitos ambientais como direitos humanos, onde preservar é necessário para garantir o futuro das próximas gerações.

O eixo III reflete os direitos necessários para exercício da cidadania plena como o acesso, para todos, à documentação básica, destacando acesso ao registro de nascimento; acesso à alimentação de qualidade; acesso à saúde, educação, trabalho digno, cultura, lazer, esporte e moradia àqueles de baixa renda ou em vulnerabilidade social.

Esse eixo ainda orienta sobre a promoção dos direitos de crianças e adolescentes, enfoca o combate às desigualdades estruturais que afetam grupos sociais excluídos ou vulneráveis, como a população negra, índios mulheres, idosos, portadores de deficiências; respeito à livre orientação sexual e identidade de gênero com combate à violência, intolerância e discriminação; respeito à diversidade cultural e religiosa com liberdade de culto.

O eixo IV trabalha a segura pública, acesso à justiça e combate à violência, com enfoque na democratização e modernização do sistema de segurança com melhoria na formação dos profissionais envolvidos, objetivando uma abordagem mais humana e na proteção dos direitos; maior participação popular na elaboração das políticas de segurança; enfrentamento e controle do tráfico e circulação de armas no país; combate ao tráfico humano; combate ao racismo nas suas variadas formas; combate à violência institucional, com eliminação de práticas desumanas; melhoria do sistema carcerário; modernização do código penal e promoção de uma justiça mais rápida, efetiva e acessível a todos os cidadãos, para melhor compreensão e defesa dos seus direitos.

O eixo V mostra a educação como espaço para promoção, garantia e efetivação dos direitos humanos. A educação vai ser facilitadora no processo de aquisição de conhecimento sobre Direitos Humanos e os princípios democráticos, favorecendo o desenvolvimento de uma sociedade justa e igualitária capaz de garantir a defesa de seus direitos.

O eixo VI vai enfocar o direito à memória e à verdade como Direito Humano da cidadania e dever do Estado, preservação da memória histórica e construção da verdade pública e modernização da legislação que promove o acesso ao direito à memória e à verdade, fortalecendo a democracia.

Esse eixo busca orientar sobre o dever do Estado, de resguardar o direito dos cidadãos de saber sobre a verdade em relação a fatos ou momentos históricos, que marcaram a sociedade brasileira, em que houve desrespeito aos direitos humanos. O eixo enfatiza a obrigação do Estado em criar formas de apuração às violações desses direitos que possam ter ocorrido e a preservação dessa memória histórica a fim de evitar que tais fatos aconteçam novamente no futuro.

Por fim, vale ressaltar que o Programa Nacional dos Direitos Humanos não é normativo. Ou seja, são apenas diretrizes e orientações sobre como tratar os direitos humanos no âmbito de uma sociedade democrática, diversa e ao mesmo tempo desigual, em suas relações sociais.

Para saber mais, adquira a Apostila FEIRA DE SANTANA – BA - PROFESSOR - PEDAGOGIA

Compartilhe