Processo seletivo Ministério da Economia: 350 vagas! Até R$ 8,3 MIL

O processo seletivo Ministério da Economia contempla oportunidades temporárias para projetos de transformação digital. Edital será publicado em breve!

Processo seletivo Ministério da Economia: Fachada do Ministro da Economia (ME)

Os candidatos classificados vão desempenhar suas funções pelo prazo máximo de quatro anos. - Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

O Ministério da Economia realizará o seu primeiro processo seletivo simplificado, tendo em vista que a pasta foi criada em 2019 pelo governo do presidente Jair Bolsonaro. De acordo com a portaria de nº 16.017/2020, 350 vagas serão preenchidas em caráter temporário. Os profissionais classificados no processo seletivo Ministério da Economia devem atuar em projetos de transformação digital de serviços públicos.

Atualmente, a pasta conta com 90.748 funcionários em exercício e outros 5.369 profissionais afastados. Os servidores em funções comissionadas, especificamente vinculados à administração pública, correspondem ao total de 16.016. A maioria deles atua diretamente no Ministério da Economia e representam 48,60% do quantitativo geral.

Ficou curioso e quer saber mais detalhes preliminares antes da publicação do edital de abertura? Acompanhe a matéria completa logo abaixo. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site, como simulados e artigos. Temos certeza de que existe um material feito especialmente para você!

Processo seletivo Ministério da Economia: situação atual

Em mensagem encaminhada ao Concursos no Brasil, a assessoria da pasta informou que o projeto para contratação da banca já está sendo elaborado. O certame será composto de provas objetivas e análise de títulos, mas ainda não existe uma previsão exata para o lançamento do edital de abertura.

A portaria de nº 16.017/2020, por outro lado, estabeleceu o prazo de até seis meses para que o documento regulamentador seja devidamente disponibilizado. Enquanto a portaria nº 17.830, de 27 de julho de 2020, estabeleceu a comissão especial que será responsável pelo processo seletivo simplificado.

Confira, na íntegra, a mensagem encaminhada pela assessoria do Ministério da Economia:

Cargos, vagas e vencimentos no processo seletivo Ministério da Economia

Após retificação na portaria autorizativa, publicada em 10 de julho de 2020, os cargos e vagas para o próximo processo seletivo Ministério da Economia foram divulgados, sendo:

  • Especialista em gestão de projetos: 50 vagas;
  • Especialista em infraestrutura de Tecnologia da Informação-TI: 50 vagas;
  • Especialista em ciência de dados: 50 vagas;
  • Especialista em segurança da informação e proteção de dados: 50 vagas;
  • Especialista em análise de processos de negócios: 50 vagas;
  • Especialista em experiência do usuário: 50 vagas;
  • Especialista em desenvolvimento de software: 50 vagas.

Apesar de a retificação não informar os requisitos para concorrer às vagas, conforme lei que regulamenta o processo seletivo, sabe-se que as vagas serão destinadas a profissionais com nível superior completo. Os candidatos classificados devem receber vencimentos previstos no valor de R$ 8.300,00

Processo seletivo Ministério da Economia: etapas de avaliação

Não existe previsão para a publicação do edital do processo seletivo Ministério da Economia. O que se sabe até o momento é que a pasta tem até seis meses para publicá-lo.

Outra informação que já foi confirmada com a assessoria de imprensa do Ministério da Economia refere-se às etapas do processe seletivo, que será composto por provas objetivas e por provas de títulos.

Processo seletivo Ministério da Economia: duração dos contratos temporários

Os candidatos classificados vão desempenhar suas funções pelo prazo máximo de quatro anos. Todas as eventuais prorrogações devem ser determinadas pela própria pasta, dependendo das necessidades de excepcional interesse público.

Para mais informações, acesse a portaria de nº 16.017/2020 pelo Diário Oficial da União (edição 129 do dia 08 de julho de 2020, seção 1, página 15)!

Concurso anterior da extinta pasta de Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG)

O último concurso do Ministério da Economia foi realizado em 2015 pela Cebraspe, quando a pasta ainda era denominada como Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).

Foram ofertadas, ao todo, 556 vagas efetivas para profissionais de nível superior. As remunerações variaram entre R$ 3.625,42 e R$ 5.596,31 em jornadas de 20 ou 40 horas semanais.

Confira os cargos que estavam na disputa:

  • Administrador (6);
  • Assistente Social (7);
  • Geógrafo (17);
  • Geólogo (16);
  • Analista Técnico - Administrativo (83);
  • Analista de Tecnologia da Informação (300);
  • Arquivista (9);
  • Técnico em Assuntos Educacionais (1);
  • Contador (14);
  • Arquiteto (16);
  • Economista (7);
  • Engenheiro (54);
  • Médico (4).

O mesmo concurso também contou com oportunidades para a Escola Nacional de Administração Pública (ENAP):

  • Técnico de Nível Superior (4); e
  • Técnico em Assuntos Educacionais (18).

As inscrições puderam ser realizadas entre os dias 16 de junho e 06 de julho de 2015, especificamente no site da banca organizadora. Para isso, os interessados tiveram que pagar uma taxa conforme o cargo escolhido:

CargosTaxa de inscrição em R$
Arquiteto, Economista, Engenheiro e Geólogo100,00
Demais cargos90,00

As isenções foram permitidas aos candidatos inscritos no CadÚnico e que fossem membros de família com baixa renda.

Etapas do concurso anterior do Ministério da Economia

O concurso do extinto MPOG foi composto pelas seguintes fases:

  • Provas objetivas para todos os candidatos;
  • Provas discursivas para todos os candidatos. Elas foram aplicadas no mesmo dia das provas objetivas, com valor máximo de 30,00 pontos. Os candidatos tiveram que elaborar uma redação de até 30 linhas sobre um dos temas relacionados aos conhecimentos específicos;
  • Avaliação de títulos apenas para os inscritos no cargo de Analista em Tecnologia da Informação.

Todas as etapas classificatórias, de acordo com o edital de abertura, foram realizadas nas 26 capitais do país e no Distrito Federal.

Provas objetivas e discursivas

Tanto as provas objetivas quanto as discursivas tiveram a duração máxima de 4h30 e foram aplicadas no dia 16 de agosto de 2015. Ao todo, os candidatos precisaram responder 120 itens conforme o método Cespe.

Confira como foi a estrutura geral da etapa objetiva:

Área do conhecimentoNúmero de itensValor
Conhecimentos Básicos50120,00
Conhecimentos Específicos70

Somente foram classificados aqueles que alcançaram pelo menos:

  • 10,00 pontos na prova objetiva de conhecimentos básicos;
  • 21,00 pontos na prova objetiva de conhecimentos específicos;
  • 36,00 pontos no conjunto das provas objetivas.

Conteúdo programático do concurso anterior (área de conhecimentos básicos)

Língua Portuguesa

  1. Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados;
  2. Reconhecimento de tipos e gêneros textuais;
  3. Domínio da ortografia oficial;
  4. Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1: Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e de outros elementos de sequenciação textual. 4.2: Emprego de tempos e modos verbais;
  5. Domínio da estrutura morfossintática do período. 5.1: Emprego das classes de palavras. 5.2: Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.3: Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.4: Emprego dos sinais de pontuação. 5.5: Concordância verbal e nominal. 5.6: Regência verbal e nominal. 5.7: Emprego do sinal indicativo de crase. 5.8: Colocação dos pronomes átonos;
  6. Reescrita de frases e parágrafos do texto. 6.1: Significação das palavras. 6.2: Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.3: Reorganização da estrutura de orações e de períodos do texto. 6.4: Reescrita de textos de diferentes gêneros e níveis de formalidade;
  7. Correspondência oficial (conforme Manual de Redação da Presidência da República). 7.1: Aspectos gerais da redação oficial. 7.2: Finalidade dos expedientes oficiais. 7.3: Adequação da linguagem ao tipo de documento. 7.4: Adequação do formato do texto ao gênero.

Raciocínio lógico

  1. Estruturas lógicas;
  2. Lógica de argumentação: analogias, inferências, deduções e conclusões;
  3. Lógica sentencial (ou proposicional). 3.1: Proposições simples e compostas. 3.2: Tabelas-verdade. 3.3: Equivalências. 3.4: Leis de De Morgan. 3.5: Diagramas lógicos;
  4. Lógica de primeira ordem;
  5. Princípios de contagem e probabilidade;
  6. Operações com conjuntos;
  7. Raciocínio lógico envolvendo problemas aritméticos, geométricos e matriciais.

Noções de Administração Pública

  1. Sistema político brasileiro;
  2. Estado, Governo e Administração Pública: conceitos, elementos, poderes e organização; natureza, fins e princípios;
  3. História da Administração Pública do Brasil e Reformas Administrativas no Brasil;
  4. Organização Administrativa da União: administração direta e indireta;
  5. Ética e função pública;
  6. Ética no Setor Público. 6.1: Decreto nº 1.171/1994 (Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal). 6.2: Lei 8.112/1990 e alterações: regime disciplinar (deveres e proibições, acumulação, responsabilidades, penalidades). 6.3: Lei 8.429/1992: disposições gerais, atos de improbidade administrativa.

Atualidades

  • Tópicos relevantes e atuais de diversas áreas, tais como segurança, transportes, política, economia, sociedade, educação, saúde, cultura, tecnologia, energia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e ecologia.

Noções de Língua Inglesa (somente para o cargo de Analista em Tecnologia da Informação)

  • Compreensão de textos escritos em língua inglesa e itens gramaticais relevantes para o entendimento dos sentidos dos textos.

Noções de Informática (exceto para o cargo de Analista em Tecnologia da Informação)

  1. Noções de sistema operacional (ambientes Linux e Windows);
  2. Edição de textos, planilhas e apresentações (ambientes Microsoft Office e BrOffice);
  3. Redes de computadores. 3.1: Conceitos básicos, ferramentas, aplicativos e procedimentos de Internet e intranet. 3.2: Programas de navegação (Microsoft Internet Explorer, Mozilla Firefox e Google Chrome). 3.3: Programas de correio eletrônico (Outlook Express e Mozilla Thunderbird). 3.4: Sítios de busca e pesquisa na Internet. 3.5: Grupos de discussão. 3.6: Redes sociais. 3.7: Computação na nuvem (cloud computing);
  4. Conceitos de organização e de gerenciamento de informações, arquivos, pastas e programas;
  5. Segurança da informação. 5.1: Procedimentos de segurança. 5.2: Noções de vírus, worms e pragas virtuais. 5.3: Aplicativos para segurança (antivírus, firewall, anti-spyware etc.). 5.4: Procedimentos de backup. 5.5: Armazenamento de dados na nuvem (cloud storage).

Compartilhe

Concursos por E-mail
Assine nosso boletim para receber Concursos Brasil diretamente no seu e-mail