Expandir Menu PrincipalPesquisarPor Estado

SEAS - CE prorroga edital de processo seletivo

São ofertadas 1.034 vagas para funções de níveis médio e superior, com remunerações brutas de R$ 2.200,00.

Publicado em Comunicar erro

Está prorrogado pela sefunda vez o período para inscrição de interessados em participar da seleção para preenchimento de funções temporárias no quadro de pessoal da Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo do Ceará - SEAS/CE. De acordo com o comunicado n° 36/2017, o prazo se encerra no dia 07 de julho de 2017, podendo ser feita a inscrição pelo endereço eletrônico da FUNECE (http://www.uece.br/cev).

O edital 01/2017 de seleção pública prevê contratações para ocupação das funções temporárias de Assistente Social, Psicólogo, Pedagogo (nível superior) e Socioeducador (nível médio). O valor da taxa de inscrição é de R$ 80,00 (nível médio) e R$ 130,00 (nível superior).

Apostilas SEAS - CE: Socioeducador  -  Assistente Social  - Psicólogo  - Pedagogo

A seleção tem o objetivo de ocupar 924 vagas de Socioeducador, 48 de Assistente Social, 47 de Psicólogo e 15 de Pedagogo. Ficam reservadas às pessoas com deficiência 5% da quantidade de vagas por função já estabelecidas neste edital, assim como para as que surgirem dentro do prazo de validade desta Seleção Pública. Os contratados irão receber valores brutos mensais iguais de R$ 2.200,00, mais auxílio - alimentação.

Os inscritos serão avaliados por meio de prova objetiva e avaliação de títulos, fases que ocorrerão nas cidades de Fortaleza, Juazeiro do Norte e Sobral, exceto para as vagas de nível superior, cujas atividades serão realizadas somente na cidade de Fortaleza. As avaliações, conforme o nível de escolaridade, foram alteradas e serão realizadas nos dias 29 e 30 de julho de 2017.

A seleção pública terá validade de um ano, a contar da data da publicação da homologação final no DOE, podendo ser prorrogada por igual período, por ato das autoridades que tenham determinada sua abertura.

Edital e as atualizações já publicadas estão no link: http://www.uece.br/cev/index.php/2017-04-27-17-52-34

***

Dicas sobre o Regimento Interno das Unidades da SEAS do Ceará

A prova do processo seletivo Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo - SEAS – CE 2017 trará questões versando sobre o Regimento Interno das suas Unidades. A partir da leitura atenta do documento, que possui cerca de 104 páginas na versão eletrônica (link no final), o candidato deverá analisar as principais características do funcionamento interno da SEAS, compreendendo inclusive como é o modus operandi dos profissionais que nela atuam. De início, deve ficar claro que as Unidades da SEAS - CE são as responsáveis - na prática - pela recepção, internação provisória, semiliberdade, internação sanção e internação por sentença.

O Regimento da SEAS foi elaborado em consonância com o que está disposto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e nas recomendações preconizadas no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo – SINASE. Com ele é possível entender claramente os parâmetros de normatização e funcionamento das unidades de atendimento socioeducativo, além de caracterizar a recepção e o acolhimento de natureza transitória ao adolescente acusado da prática de ato infracional, proveniente da delegacia da criança e do adolescente e das comarcas do interior do estado, que deverá ser apresentado ao judiciário.

Para entender melhor como atua a SEAS, é preciso compreender o que é uma medida socioeducativa. Trata-se de uma internação provisória aplicada ao adolescente, antes da sentença, conforme prevê o artigo 108 do ECA, e não deve ultrapassar o prazo máximo de 45 dias. Uma medida socioeducativa de semiliberdade pode ser aplicada como decisão inicial, ou como forma de progressão do regime, para aqueles adolescentes já privados de liberdade, conforme artigo 120 do ECA. Nela, o educando fica sob a custódia do Estado, sendo possível a realização de atividades externas, independente de autorização judicial. A medida socioeducativa de internação sanção pode ser aplicada por descumprimento reiterado e injustificável da medida anteriormente imposta, conforme artigo 122, inciso III, parágrafo 1º, do ECA.

O Regimento da SEAS – CE também prevê que os procedimentos internos de funcionamento, de atendimento e de segurança serão administrados pelo corpo diretivo das Unidades de Medidas Socioeducativas, sob a responsabilidade destes, respeitando devidas diretrizes regimentais. Quanto ao atendimento ao adolescente, serão garantidos os seus direitos, tais como: ter respeitada a sua individualidade e estar livre de preconceito e julgamento moral; estar salvo de qualquer tratamento desumano, vexatório ou que atente contra a dignidade da pessoa em desenvolvimento; participar de atividades escolares, pedagógicas, profissionalizantes, culturais, esportivas e de lazer, devendo ser garantida a carga horária educacional que dispõe a lei de diretrizes e bases da educação nacional; receber assistência médica e odontológica, priorizando os serviços públicos e comunitários; ter o direito à ampla defesa e ao contraditório quando lhe for atribuída conduta faltosa, antes de lhe ser aplicada a medida disciplinar, dentre outros.

Vale ressaltar, por outro, que os adolescentes internos das unidades possuem diversos deveres, tais como: cumprir o previsto no regimento e na rotina institucional; frequentar assiduamente e participar das atividades escolares e de outras atividades propostas; cumprir com todas as suas obrigações de aluno na escola e cursos profissionalizantes que estiver inserido; tomar a medicação nos horários estabelecidos; colaborar com a limpeza e conservação da unidade; portar-se sempre de forma respeitosa dentro e fora da unidade; submeter-se à revista periódica; entre outros.

Para o bom andamento das atividades da SEAS, de acordo com o Regimento Interno, é importante que os profissionais estejam permanentemente atentos às condições nas quais os socioeducandos estejam inseridos, inclusive no tocante aos aspectos da higiene e do asseio pessoal. É fundamental respeitar a dignidade dessa clientela, adotando medidas como: habitar em alojamentos em condições de higiene e salubridade satisfatórias; ter acesso, quando necessário, a atividades psicoterapêuticas; corresponder-se com seus familiares; e ter acesso a representante do Ministério Público e/ou da Defensoria Pública.

Os servidores da SEAS, portanto, devem seguir o regimento das medidas socioeducativas como forma de compreender os socioeducandos e assim oferecer uma melhor assistência, facilitando a participação da família e da sociedade, como forma de favorecer os vínculos afetivos e promover uma convivência familiar harmoniosa. Tudo isso contribui, inevitavelmente, para a ressocialização dos socioeducandos. Atuar nesta área é desafiador e requer experiência e especialização na área, como forma de compreender cada necessidade.

Esta foi apenas uma breve apresentação do Regimento Interno da SEAS – CE, mas é preciso novamente lembrar aos candidatos que é importante ler o texto integral, disponível na página da UECE/CEV (https://goo.gl/Wg9RyL). Para ter acesso ao conteúdo completo exigido nas provas da SEAS-CE 2017, adquira as Apostilas para: Socioeducador  -  Assistente Social  - Psicólogo  - Pedagogo

Concursos RelacionadosVagas
Aeronáutica - IE/EA CFS 1/2018Sargento da aeronáutica288
CAIXAEstagiárioVárias
Defensoria Pública da UniãoDefensor público17
SEJUS/CE - Secretaria da Justiça e Cidadania do CearáAgente penitenciário1.000
TST - Tribunal Superior do TrabalhoJuiz do trabalho substituto132
Marinha do Brasil (CP-CAP)Nível Médio/Técnico90
Veja todos » Concursos Abertos