Concurso UNILAB: Edital 18/2019 - Assistente em Administração

Concurso UNILAB - Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira oferece vagas para Assistente Administrativo.

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) publicou o edital nº 18/2019 referente ao seu concurso público para provimento de 23 cargos efetivos na carreira técnico-administrativa. O concurso UNILAB será realizado pela Fundação Cearense de Pesquisa e Cultura - FCPC.

Todas as 23 vagas em disputa são para o cargo de Assistente Administrativo. Deste total, 14 são de ampla concorrência, 4 são para pessoas com deficiência e 5 são para pessoas negras.

Para concorrer ao cargo é necessário possuir o ensino médio completo.

O vencimento é de R$ 2.446,96, acrescido de R$ 458,00 referente ao auxílio alimentação. O regime de trabalho é de 40 horas semanais.

Inscrições

As inscrições serão realizadas apenas via internet, através do endereço eletrônico www.unilab.fcpc.ufc.br e durante o período de inscrição, que vai de 01 a 11 de agosto de 2019.

O valor da taxa de inscrição é de R$ 90,00.

Poderão solicitar a isenção da taxa de inscrição os candidatos que pertençam a família inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), do Governo Federal, cuja renda familiar mensal per capita seja de até meio salário mínimo nacional e/ou os candidatos doadores de medula óssea em entidades reconhecidas pelo Ministério da Saúde.

Provas

O concurso UNILAB será composto por prova objetiva e por prova de redação oficial.

As provas serão realizadas na data provável de 15 de setembro de 2019, nos municípios de Fortaleza ou Redenção. O horário de início das provas será às 09 horas, considerando o horário de Fortaleza.

Para realizar as provas, o candidato deverá comparecer ao local de sua realização munido de caneta esferográfica de tubo transparente, de tinta azul ou preta e documento original de identidade com foto.

A prova objetiva valerá 100 pontos e será composta por 50 questões, cada uma delas valendo dois pontos. Serão 10 questões de Língua Portuguesa e 40 questões de Conhecimentos Específicos.

Será eliminado do concurso o candidato que responder incorretamente a pelo menos sete questões da Prova de Língua Portuguesa e/ou 25 questões da Prova de Conhecimentos Específicos.

A prova de redação oficial também valerá 100 pontos e envolverá a produção de um texto que deverá ter, pelo menos, 20 linhas. A temática da redação será baseada no conteúdo programático, conforme o edital.

Para cada linha abaixo do limite mínimo, será descontado cinco pontos da nota da redação.

Serão corrigidas as redações dos candidatos aprovados na prova objetiva e classificados em até 20 vezes o número de vagas ofertadas.

Serão eliminados do concurso público os candidatos que obtiverem a nota zero na redação.

Critérios de desempate

Em caso de igualdade na nota final entre candidatos, serão adotados os seguintes critérios de desempate:

  1. Candidato com idade igual ou superior a 60 anos;
  2. Candidato com o maior número de acertos em Conhecimentos Específicos;
  3. Candidato com a maior nota na redação oficial;
  4. Candidato de maior idade, considerando-se dia, mês e ano.

Validade

Este concurso público será válido por um ano a contar da data da publicação do seu resultado, podendo ser prorrogado por mais um ano, a critério da UNILAB.

Edital

Para outras informações sobre o concurso UNILAB, consulte o edital publicado no Diário Oficial da União, em sua edição de 31 de maio de 2019, página 319, seção 3.

Veja orientações de prova:

Administração Pública: da burocrática à gerencial

A Administração Pública é definida como sendo o conjunto de ações, serviços e colaboradores que compõem o poder público. Geralmente, esse conjunto é separado por áreas e serviços prestados.

Ao longo do tempo, a Administração Pública passou por uma série de reestruturações, visando otimizar os serviços prestados.

A mudança mais atual é a que transforma este conjunto de ações de burocrática para gerencial.

Administração Pública Burocrática

A Administração Pública Burocrática é aquela em que se baseia em regulamentos rígidos e inflexíveis, geralmente possui uma hierarquia bem definida e tem como principal fator resultante a burocracia.

Neste tipo, há uma intensa diferenciação do público e do privado, bem como são nítidas as diferenças entre o administrador e o político.

O controle na Administração Pública burocrática é feito a partir de um intenso foco nos processos. Quando essa abordagem surgiu, tinha como objetivo combater a corrupção e o nepotismo, tendo como cernes a impessoalidade e a hierarquização.

Esse tipo de Administração Pública tem como principais criticas:

  • A separação entre o Estado e a sociedade cria um distanciamento dos objetivos a serem atingidos (principalmente no que se refere ao atendimento das demandas);
  • Como há uma hierarquia bem definida, há maiores chances de abusos de poder;
  • Os políticos devem também ser administradores, uma vez que administram as contas públicas.

Administração Pública Gerencial

Já a Administração Pública Gerencial é aquela em que o Estado é visto como uma empresa. Nesse modelo os cidadãos são os clientes e os políticos são os administradores.

Ainda neste modelo os principais objetivos são: eficiência, gestão estratégica, avaliação de desempenho e controle dos resultados.

Como pode ser observado, seus objetivos dialogam com os princípios da administração de empresas privadas.

A Administração Pública Gerencial é tida como uma consequência natural dos avanços científicos e tecnológicos e muitos pesquisadores afirmam que ela é o modelo capaz de tornar o Estado competitivo (com outros países).

O principal objetivo desse modelo administrativo é atender as demandas atuais da sociedade, principalmente no que se refere ao favorecimento da democracia e a revisão das funções do poder público.

No que diz respeito a atender as demandas da democracia, a Administração Pública Gerencial é defendida como um modelo que funciona mais do que o modelo burocrático.

Dessa forma, em resumo, o Estado Gerencial se baseia na pluralidade e na democracia. No entanto, não se exclui totalmente a Administração Pública Burocrática, uma vez que a mesma é inevitável, pois o Estado precisa ser burocrático e ter uma hierarquia em determinados momentos.

Ocorre que na Administração Pública Gerencial, o modelo burocrático não é posto de lado e sim flexibilizado.

No Brasil, o primeiro Presidente a propor a migração para o modelo gerencial foi Fernando Henrique Cardoso, apesar de não ter conseguido executá-la em plenitude. Desde então, o país concilia os dois modelos, com estratégias diversas.

Contudo, é importante lembrar que, apesar da Administração Pública Gerencial ter fundamentos do setor privado, a gestão pública não pode ser confundida com a gestão privada, uma vez que a primeira deve atender as demandas da população e a gestão privada visa o lucro.

Compartilhe

Concursos por E-mail
Assine nosso boletim para receber Concursos Ceará diretamente no seu e-mail