Edital Concurso UTFPR - Campus Pato Branco

Ministério da Educação
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Comissão Permanente de Concurso Público – CPCP
Câmpus Pato Branco
EDITAL Nº 044/2012 – CPCP – PB - Abertura

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O PROVIMENTO DE CARGO DA CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR, NA CATEGORIA FUNCIONAL DE PROFESSOR DO MAGISTÉRIO SUPERIOR - CLASSE ADJUNTO.

De ordem do Magnífico Reitor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, consoante o contido no Decreto 7.485, de 18 de maio de 2011, publicado no Diário Oficial da União de 19 mde maio de 2011, torno público que, no período de 13/06/2012 a 01/07/2012, estarão abertas as inscrições para o Concurso Público de Provas e Títulos, destinado ao provimento de 03 (três) cargos da Carreira do Magistério Superior, categoria funcional de Professor do Magistério Superior, "Classe Adjunto", para atender a UTFPR, Câmpus Pato Branco, na Área/Subárea especificadas no Anexo I, nos termos do presente Edital.

1. DOS REQUISITOS PARA A INVESTIDURA NO CARGO

1.1 A investidura do candidato no cargo está condicionada ao atendimento dos seguintes requisitos:

a) Ser brasileiro nato ou naturalizado ou, ainda, no caso de nacionalidade estrangeira, apresentar comprovante de permanência definitiva no Brasil;

b) Estar em gozo dos direitos políticos;

c) Estar quite com as obrigações militares e eleitorais;

d) Ser portador de diploma de graduação reconhecido pelo MEC e de pós-graduação de curso credenciado pela CAPES exigidos para o cargo que irá concorrer, conforme Anexo I, com validade nacional;

e) Possuir aptidão física e mental para o exercício das funções do cargo;

f) Possuir idade mínima de 18 (dezoito) anos;

g) Não ter sofrido, no exercício de função pública, penalidade incompatível com a investidura em cargo público federal, prevista no artigo 137, parágrafo único, da Lei nº 8.112/90;

h) Não receber proventos de aposentadoria ou exercer cargo/emprego público que caracterizem acumulação ilícita de cargos, na forma do artigo 37, inciso XVI, da Constituição Federal.

1.2 Os títulos de pós-graduação obtidos no exterior deverão, obrigatoriamente, estar revalidados no Brasil.

1.3 Os documentos comprobatórios dos requisitos fixados nos subitens precedentes deverão ser apresentados após a aprovação do candidato, por ocasião da convocação para assumir o cargo.

1.4 Anular-se-ão, sumariamente, a inscrição e todos os atos dela decorrentes, se o candidato não comprovar que, no ato da investidura no cargo, satisfazia os requisitos constantes dos subitens 1.1 e 1.2.

2. DA INSCRIÇÃO

2.1 A inscrição deverá ser efetuada pela Internet, no endereço eletrônico www.utfpr.edu.br, das 08 (oito) horas do dia 13/06/2012 às 20 (vinte) horas do dia 01/07/2012. Após o preenchimento do formulário de inscrição, o candidato deverá imprimir a GRU (Guia de Recolhimento da União), que deverá ser paga exclusivamente no Banco do Brasil, impreterivelmente até o dia 02/07/2012.

2.2 Antes de efetuar o recolhimento da taxa de inscrição, o candidato deverá certificar-se de que preenche todos os requisitos exigidos para a participação no Concurso Público, pois a taxa, uma vez paga, só será restituída em caso de revogação ou anulação plena do Concurso.

2.2.1 Caso o candidato não tenha acesso à Internet, poderá efetuar a inscrição no período de 13/06/2012 a 01/07/2012, nos dias úteis, no horário das 14 (quatorze) horas às 17 (dezessete) horas, na Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos (COGERH) da UTFPR, sita na Via do Conhecimento, Km 01, Pato Branco - PR.

2.3 Caso ocorram problemas técnicos no servidor da Internet que atende a UTFPR, no último dia das inscrições, o prazo será prorrogado até as 15 (quinze) horas do dia 02/07/2012. A UTFPR não se responsabiliza por solicitações de inscrições não recebidas por motivo de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento de linhas de comunicação, bem como outros fatores que impossibilitem a transferência de dados.

2.4 A partir do dia 10/07/2012, o candidato deverá consultar, via Internet, se foi confirmado o pagamento de sua inscrição, bem como o ensalamento (local das provas). A UTFPR - Câmpus Pato Branco - disponibilizará, no mesmo período e no endereço citado no subitem 2.2.1, atendimento para os candidatos que tenham dificuldade de acesso à Internet.

2.5 É vedada a inscrição condicional ou por correspondência.

2.6 A Comissão Permanente de Concurso Público não receberá pedidos de correção, alteração ou inserção de dados após a efetivação do pedido de inscrição. Caso necessite, o candidato deverá inutilizar a GRU e o código de acesso e fazer uma nova inscrição, observado o disposto no subitem 2.1.

2.7 A inscrição implica em compromisso tácito, por parte do candidato, de aceitar as condições estabelecidas para a realização do Concurso, dentre elas as constantes do presente Edital.

2.8 Não haverá isenção total ou parcial do valor da taxa de inscrição, exceto para o candidato que, na forma do Decreto nº 6.593, de 02.10.2008, estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal - CADÚNICO - e for membro de família de baixa renda.

2.9 A isenção deverá ser solicitada mediante:

a) Requerimento do candidato contendo o nome completo; a indicação do Número de Identificação Social - NIS, atribuído no CADÚNICO; data de nascimento; gênero; número do RG com data de emissão; CPF; nome completo da mãe;

b) Apresentação do boleto gerado no momento da inscrição via Internet; e c) Declaração de que é membro de família de baixa renda.

2.9.1 A declaração, de próprio punho, deverá ser firmada sob as penas da lei.

2.9.2 Considera-se família de baixa renda:

a) Aquela com renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo; ou:

b) A que possua renda familiar mensal de até três salários mínimos.

2.9.3 Considera-se renda familiar mensal a soma dos rendimentos brutos auferidos por todos os membros da família.

2.9.4 Considera-se renda familiar per capita a razão entre a renda mensal e o total dos indivíduos na família.

2.9.5 O candidato interessado em solicitar a isenção de pagamento de taxa deverá fazê-lo no período improrrogável de 15/06/2012 a 20/06/2012, procedendo da seguinte forma:

a) preencher todos os campos obrigatórios no formulário de inscrição;

b) marcar a opção Sim no campo referente à isenção da taxa de inscrição do formulário de inscrição;

c) inserir o Número de Identificação Social (NIS) no campo indicado no formulário;

d) conferir os dados e imprimir a GRU (Guia de Recolhimento da União) gerada no momento da inscrição, guardando-a como comprovante de inscrição, nela observando o respectivo código de acesso e o número do protocolo de inscrição para uso futuro.

2.9.6 A simples entrega da documentação não garante ao interessado a isenção do pagamento da taxa de inscrição.

2.9.7 Após a entrega da documentação, não serão aceitos acréscimos ou alterações das informações prestadas.

2.9.8 O candidato é responsável pela veracidade de suas informações e pela autenticidade da documentação apresentada, respondendo civil e criminalmente pelo teor das afirmativas.

2.9.9 Os pedidos de isenção serão analisados pela Comissão Permanente de Concurso Público com base nas informações do Sistema de Isenção de Taxa de Concurso - SISTAC - do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

2.9.10 Os pedidos de isenção deferidos e indeferidos serão divulgados até o dia 26/06/2012, no endereço eletrônico do Concurso.

2.9.11 Não haverá recurso contra o indeferimento da solicitação de isenção da taxa de inscrição.

2.9.12 O candidato cuja solicitação tiver sido indeferida poderá efetivar sua inscrição no concurso, no período de 27/06/2012 a 01/07/2012, efetuando o pagamento até dia 02/07/2012.

2.9.13 O candidato que não tiver seu pedido de isenção deferido e que não efetuar o pagamento da taxa de inscrição na forma e no prazo estabelecido no item anterior estará automaticamente excluído do concurso.

2.10 Para efeitos deste Edital de Concurso Público não se aplica a reserva de vagas aos candidatos com deficiência, de que trata o art. 37, inciso VIII, da Constituição Federal, art. 5º, § 2º da Lei nº 8.112/90, art. 37, § 1º do Decreto nº 3.298, de 20/12/99 e Decreto nº 5.296, de 01/12/2004, tendo em vista que o presente edital oferece menos de 5 (cinco) vagas.

2.11 No ato da inscrição, o candidato deverá, obrigatoriamente, optar somente por uma única Área/Subárea.

3. DAS PROVAS

3.1 O Concurso constará das seguintes provas:

a) Escrita, com leitura pública;

b) De Desempenho Didático;

c) De Títulos.

3.2 As Provas Escrita, com leitura pública e de Desempenho Didático terão caráter eliminatório, sendo que a de Títulos terá caráter classificatório.

3.3 Em todas as atividades programadas para o Concurso, os candidatos deverão apresentar-se com antecedência mínima de 30 (trinta) minutos, munidos de documento oficial de identidade, comprovante de inscrição, caneta esferográfica tinta azul, tonalidade escura, ou preta, ponta média, e outros materiais previstos pela Banca Examinadora e constantes do programa da Área/Subárea, se for o caso.

3.3.1 A ausência do candidato a qualquer etapa eliminatória do concurso implicará a sua exclusão do certame.

3.4 Não será permitida a entrada do candidato no local das provas, após o horário estabelecido.

3.5 Durante as provas, não será permitido consulta a livros, revistas, folhetos e anotações, bem como o uso de calculadora, computadores ou outros instrumentos, exceto se previstos pela Banca Examinadora, no respectivo programa.

3.6 Não haverá, sob qualquer justificativa, segunda chamada para as provas.

4. DA PROVA ESCRITA

4.1 A Prova Escrita será dissertativa, sobre tema a ser sorteado dentre os tópicos que compõem o programa, que está disponível no Anexo II deste edital.

4.1.1 A Prova Escrita avaliará o candidato quanto à:

a) Capacidade analítica e crítica do tema, com pontuação até 30 pontos;

b) Complexidade e acuidade dos conteúdos desenvolvidos, com pontuação até 25 pontos;

c) Articulação e contextualização dos conteúdos desenvolvidos, com pontuação até 20 pontos;

d) Clareza no desenvolvimento das ideias e conceitos, com pontuação até 15 pontos;

e) Forma (uso correto da língua portuguesa), com pontuação até 10 pontos.

4.1.2 Nos casos de fuga ao tema ou ausência de texto, o candidato receberá nota zero na prova escrita.

4.2 As provas escritas serão realizadas no dia 13/07/2012, às 09 (nove) horas, com sorteio do ponto às 08 (oito) horas para as áreas de Agronomia/Microbiologia Agrícola e Fitopatologia e Ciências Sociais Aplicadas/Economia Geral e no dia 20/07/2012, às 09 horas, com sorteio de ponto às 08 (oito) horas para a área de Agronomia/Fitotecnia, nos locais constantes do ensalamento a ser divulgado conforme o item 2.4.

4.3 Após o sorteio do ponto, o candidato terá uma hora livre para consulta bibliográfica; transcorrido esse prazo, terá início a prova, com duração máxima de 03 (três) horas.

4.4 A UTFPR fotocopiará as provas escritas, após seu término, lacrando as cópias juntamente com os seus originais.

4.5 No dia 13/07/2012, a partir das 15horas, cada candidato das áreas de Agronomia/Microbiologia Agrícola e Fitopatologia e Ciências Sociais Aplicadas/Economia Geral , procederá à leitura de sua prova escrita original, em sessão pública, em local a ser divulgado no sorteio de ponto para a prova escrita. No dia 20/07/2012, a partir das 15horas, cada candidato da área de Agronomia/Fitotecnia , procederá à leitura de sua prova escrita original, em sessão pública, em local a ser divulgado no sorteio de ponto para a prova escrita.

4.5.1. No início da sessão pública será sorteada a sequência de candidatos para a respectiva leitura.

4.5.2. A banca acompanhará a leitura pela cópia, e, ao seu final, recolherá a prova original.

4.5.3 Durante a leitura não poderá ocorrer nenhuma correção ou acréscimo no que foi anteriormente redigido pelos candidatos.

4.5.4. O não comparecimento do candidato no horário e local estabelecidos para a leitura das provas implicará na eliminação automática do candidato faltoso.

5. DA PROVA DE DESEMPENHO DIDÁTICO

5.1 Para a Prova de Desempenho Didático estarão convocados todos os candidatos inscritos para o Concurso Público que realizarem a Prova Escrita, bem como a leitura pública da mesma, em ordem alfabética.

5.2 A Prova de Desempenho Didático consistirá em uma aula perante a Banca Examinadora de, no máximo, 50 (cinquenta) minutos, com a finalidade de verificar os conhecimentos e a capacidade didática do docente. O tema será sorteado dentre os pontos constantes do programa.

5.3 A prova de Desempenho Didático será realizada dia 15/07/2012, a partir das 8h30min, para as áreas de Agronomia/Microbiologia Agrícola e Fitopatologia e Ciências Sociais Aplicadas/Economia Geral e no dia 22/07/2012 para a área de Agronomia/Fitotecnia na Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR - Câmpus Pato Branco, sita na Via do Conhecimento, Km 01, Pato Branco, PR, nos locais indicados no ensalamento publicado conforme o item 2.4.

5.4 O ponto para a Prova de Desempenho Didático (PDD) será sorteado com 24 horas de antecedência, às 8h30min do dia 14/07/2012  para as áreas de Agronomia/Microbiologia Agrícola e Fitopatologia e Ciências Sociais Aplicadas/Economia Geral e às 8h30min do dia 21/07/2012  para a área de Agronomia/Fitotecnia, sendo o ponto único para todos os candidatos.

5.5 Os recursos didáticos de que o candidato pretenda fazer uso durante a prova, com exceção de quadro, giz ou caneta, computador e projetor multimídia, deverão ser por ele mesmo providenciados e instalados, sob sua inteira responsabilidade.

5.6 Os candidatos, ao se apresentarem para a Prova de Desempenho Didático, nos locais e horários estabelecidos no item 5.3, deverão entregar à Banca Examinadora 01 (uma) via do "Curriculum Vitae", padrão Lattes, contendo cópias dos diplomas de graduação e pós-graduação; 01 (uma) cópia do Memorial Descritivo em que conste a comprovação a que alude o subitem 6.1; e um Plano de Aula em três vias idênticas, este último contendo:

a) Identificação do tema;

b) Identificação dos pré-requisitos;

c) Objetivos;

d) Desenvolvimento do tema;

e) Metodologia de avaliação;

f) Bibliografia.

5.6.1 O Memorial Descritivo deve apresentar os documentos comprobatórios a que alude o item 6.1, em ordem de apresentação, e ter todas as páginas numeradas.

5.7 A prova de desempenho didático ocorrerá em sessão pública e haverá gravação em meio eletrônico de voz.

6. DA PROVA DE TÍTULOS

6.1 Para efeito da Prova de Títulos, somente serão considerados:

a) livros, trabalhos ou artigos em anais de congressos e em revistas técnicas de circulação nacional e/ou internacional, trabalhos ou artigos na área a que o candidato irá concorrer, e patentes devidamente registradas;

b) relação dos projetos em que o candidato aparece como coordenador ou colaborador, financiados por órgãos públicos como, por exemplo, CNPq, CAPES, FINEP, etc., com cópia das cartas de aprovação, bem como do comprovante de conclusão, se for o caso;

c) orientação de dissertação de mestrado e de tese de doutorado, anexando cópia da capa, do resumo e da página que contém a assinatura da banca examinadora;

d) participação em Bancas Examinadoras de dissertação de mestrado e de tese de doutorado;

e) comprovante de tempo de exercício de magistério no ensino médio/técnico ou superior;

f) comprovante de tempo de experiência profissional, exceto magistério, na área do Concurso.

7. DA AVALIAÇÃO

7.1 Para cada Área/Subárea, será constituída uma Banca Examinadora, encarregada da elaboração, aplicação e avaliação das provas, composta de um mínimo de 03 (três) membros designados pelo Reitor da UTFPR.

7.2 As provas serão avaliadas na escala de 0 (zero) a 100 (cem) pontos.

7.3 Na avaliação dos títulos, serão atribuídos os seguintes valores:

a) Publicação de livros, trabalhos ou artigos em Anais de congressos e em revistas técnicas de circulação nacional e/ou internacional, na área a que concorre, e patentes, até o limite 50 pontos:

1. livro: 6 pontos por livro;

2. editor ou organizador de livro publicado: 4 pontos por livro;

3. tradução de livro: 4 pontos por livro;

4. capítulo de livro: 2 pontos por capítulo;

5. tradução de capítulo de livro: 2 pontos por capítulo;

6. trabalhos em periódicos: 2 pontos por trabalho;

7. publicação em sítio eletrônico especializado com ISSN: 1 ponto por publicação, até o limite de 3 pontos;

8. trabalhos completos em congressos internacionais: 1 ponto por trabalho, até o limite de 5 pontos;

9. trabalhos completos em congressos nacionais: 0,6 ponto por trabalho, até o limite de 3 pontos.

10. patentes devidamente registradas: 2,5 pontos por patente, até o limite de 5 pontos.

b) Projetos financiados: 1 ponto por projeto, até o limite de 10 pontos.

c) Orientação, co-orientação de dissertações e teses, até o limite de 20 pontos:

1. orientação: 2 pontos por orientando de mestrado;

2. co-orientação: 1 ponto por orientando de mestrado;

3. orientação: 4 pontos por orientando de doutorado;

4. co-orientação: 2 pontos por orientando de doutorado.

d) Participação em bancas examinadoras: 1 ponto por banca, até o limite de 5 pontos.

e) Comprovante de tempo de exercício de magistério: 1 ponto por ano, até o limite de 10 pontos.

f) Comprovante de tempo de experiência profissional, exceto magistério, na área a que concorre: 1 ponto por ano, até o limite de 5 pontos.

7.4 Para fins de pontuação de que trata o subitem 7.3, alínea "a", itens 7 a 9, somente serão considerados os trabalhos produzidos nos últimos 10 anos, a contar de 2002.

7.5 O candidato poderá ser arguido pela Banca Examinadora sobre o seu memorial descritivo, em seguida à Prova de Desempenho Didático.

8. DA APROVAÇÃO

8.1 Serão considerados aprovados os candidatos cuja média aritmética entre as notas das Provas Escrita e de Desempenho Didático seja igual ou superior a 60 (sessenta) e que a nota em cada uma dessas provas não seja inferior a 50 (cinquenta) pontos.

9. DA CLASSIFICAÇÃO FINAL

9.1 Para obtenção da classificação final dos candidatos aprovados, utilizar-se-á a média ponderada, atribuindo-se peso 3 (três) à Prova Escrita, peso 4 (quatro) à Prova de Desempenho Didático, e peso 3 (três) à Prova de Títulos.

9.2 Em caso de empate entre dois ou mais candidatos terão preferência àquele com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, conforme dispõe o parágrafo único do art. 27 da Lei nº 10.741/2003. Persistindo o empate ou em caso de não haver candidato na situação prevista no dispositivo legal em comento, terá preferência para efeito de desempate o candidato que, na seguinte ordem:

1º. Obtiver maior número de pontos na Prova de Desempenho Didático;

2º. Obtiver maior número de pontos na Prova Escrita;

3º. Obtiver maior número de pontos na Prova de Títulos;

4º. For o mais idoso.

10. DA DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS

10.1 O resultado final do Concurso será divulgado pela Comissão Permanente de Concurso Público, em Edital afixado na Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos, Cãmpus Pato Branco da UTFPR, e disponibilizado pela Internet no endereço eletrônico do concurso em www.utfpr.edu.br.

10.2 A Banca Examinadora deverá dar vista de prova escrita, das pontuações obtidas na prova didática e na apreciação de títulos, mediante solicitação do candidato, por escrito, após a divulgação do resultado do concurso. O prazo para solicitação de vista da prova escrita será concomitante ao prazo destinado à interposição de recurso conforme estabelecido no subitem 10.3.

10.3 Será admitido recurso, devidamente fundamentado, indicando com precisão os pontos a serem examinados, mediante requerimento dirigido à Comissão Permanente de Concurso Público desta Instituição e protocolado na Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos (COGERH) da UTFPR - Câmpus Pato Branco, sita na Via do Conhecimento, Km 01, Pato Branco, PR, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, a partir da publicação do resultado final.

10.4 Não será aceito recurso via postal, via fac-símile ou correio eletrônico.

10.5 Os recursos serão apreciados pela Comissão Permanente de Concurso Público e decididos pelo Reitor no prazo de 07 (sete) dias úteis. O resultado estará à disposição dos interessados na Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos (COGERH) - Câmpus Pato Branco.

10.6 O resultado do Concurso Público, uma vez homologado pelo Reitor, será publicado no Diário Oficial da União, através de Edital, constituindo-se o único documento capaz de comprovar a habilitação do candidato.

11. DO PROVIMENTO DOS CARGOS E DO APROVEITAMENTO DOS CANDIDATOS HABILITADOS

11.1 O provimento do cargo dar-se-á no nível inicial da Classe Adjunto, da carreira do Magistério Superior, no regime de trabalho de Dedicação Exclusiva, com a remuneração correspondente e definida em Lei, no Regime Jurídico de que trata a Lei nº 8.112/90 ou em outro que venha a substituí-lo.

11.1.1 São atribuições gerais do cargo a docência e a participação nas atividades de graduação, pesquisa, extensão, assistência e administração da UTFPR.

11.2 Os candidatos habilitados serão nomeados rigorosamente de acordo com a classificação obtida, considerada a vaga existente ou outras que venham a existir na carreira do Magistério Superior, de que trata a Lei 7.596/87 e suas ulteriores modificações, na área do Concurso e/ou em outras correlatas, do Quadro de Pessoal da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Câmpus Pato Branco, devendo ministrar aulas em todos os níveis de ensino da UTFPR.

11.2.1 Além da Área/Subárea para a qual foi nomeado, o candidato deverá, eventualmente, assumir aulas de Área/Subárea correlata, desde que possua qualificação para isso.

11.3 A classificação do candidato não assegurará o direito ao seu ingresso automático no cargo para o qual se habilitou, mas apenas a expectativa de nele ser investido. A UTFPR reserva-se o direito de chamar os habilitados na medida das necessidades da Administração.

11.4 O candidato habilitado que lograr classificação e for convocado para assumir o cargo somente será nomeado se obtiver parecer favorável em exame de aptidão, composto de parecer cardiológico, oftalmológico e psiquiátrico, emitidos por médicos de sua preferência e clínico geral e psicológico, na forma dos subitens 11.4.1 e 11.4.2.

11.4.1 No dia marcado para a consulta com o clínico geral indicado pela UTFPR, o candidato habilitado deverá apresentar, além dos pareceres indicados no subitem anterior, os seguintes exames/avaliações:

a) hemograma completo;

b) glicemia;

c) urina tipo 1 (EAS);

d) creatinina;

e) colesterol total e triglicérides (lipidograma);

f) AST (TGO);

g) ALT (TGP);

h) citologia oncótica - papanicolau (mulheres);

i) PSA (homens acima de 50 anos);

j) mamografia (mulheres acima de 50 anos);

k) raios-X de tórax PA e perfil;

l) pesquisa de sangue oculto nas fezes - método imunocromatográfico (homens e mulheres, acima de 50 anos);

m) eletrocardiograma, com parecer do especialista;

n) avaliação oftalmológica, com parecer do especialista;

o) avaliação psiquiátrica, com parecer do especialista.;

p) avaliação psicológica.

11.4.2 A avaliação psicológica, a ser feita por profissional indicado pela UTFPR, em conjunto com os demais exames de aptidão, possui caráter eliminatório e consistirá na realização de entrevista individual, visando identificar se o candidato possui perfil adequado ao exercício das atividades inerentes ao cargo. Nos casos em que o profissional psicólogo julgar necessária avaliação mais aprofundada, poderão ser aplicados testes psicológicos individualizados, cuja avaliação será "apto" ou "inapto" para a ocupação do cargo.

11.5 O provimento do cargo fica condicionado à apresentação de todos os documentos originais comprobatórios dos requisitos relacionados nos subitens 1.1 e 1.2.

11.6 No período de três anos, após o início do exercício, não serão aceitos pedidos de remoção ou redistribuição e nem de alteração do regime de trabalho, salvo nos casos de estrito interesse da Administração.

11.7 A inexatidão das afirmativas ou irregularidades de documentos, ainda que verificadas posteriormente, eliminarão o candidato do Concurso, anulando-se todos os atos decorrentes da inscrição.

12. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

12.1 O Concurso terá validade de 01 (um) ano, a contar da data de publicação da homologação do resultado final no Diário Oficial da União, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período, mediante ato próprio da autoridade competente.

12.2 A convocação dos candidatos habilitados para se manifestarem, em prazo determinado, sobre a aceitação ou não do cargo, será feita através de correspondência registrada, não se responsabilizando a UTFPR pela mudança de endereço sem comunicação prévia, por escrito, por parte do candidato.

12.3 O candidato convocado terá 03 (três) dias úteis para manifestar-se sobre a aceitação ou não do cargo e mais 03 (três) dias úteis para apresentar à Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos a documentação exigida para a sua nomeação.

12.4 O não pronunciamento do candidato habilitado no prazo estabelecido para esse fim facultará à Administração a convocação dos candidatos seguintes, sendo seu nome excluído do Concurso.

12.5 Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Permanente de Concurso Público.

Curitiba, 30 de maio de 2012.

Adelaide Strapasson

Presidente da Comissão Permanente de Concurso

Público

Carlos Eduardo Cantarelli

Reitor

ANEXO I AO EDITAL Nº 044/2012- CPCP - PB - Abertura

Área/ Subárea

VG

CH

T

Requisitos

Agronomia/Fitotecnia.

01

DE

M/T

Graduação em Agronomia com Doutorado em Agronomia ou em Fitotecnia ou em Tecnologia de Sementes, com concentração na área do concurso e/ou tese defendida na área do concurso.

Agronomia/Microbiologia Agrícola e Fitopatologia.

01

DE

M/T

Graduação em Agronomia com Doutorado em Fitopatologia ou em Microbiologia Agrícola ou em Agronomia com área de concentração na área do concursou e/ou tese defendida na área do concurso.

Ciências Sociais Aplicadas/Economia Geral.

01

DE

T/N

Graduação em Ciências Econômicas com Doutorado em Ciências Econômicas ou em Desenvolvimento Regional ou em Desenvolvimento Rural ou em Tecnologia ou em Administração ou em Meio Ambiente e Desenvolvimento ou em Planejamento Territorial ou em Sociologia ou em Ciências Ambientais ou em Planejamento Urbano ou em Ambiente e Sociedade.

VG - nº. de vagas; CH - carga horária;

T: turno M: manhã; T: Tarde; N: Noite

DE - Dedicação Exclusiva

REMUNERAÇÃO

Titulação

Dedicação Exclusiva (*)

Vencimento Básico

RT -Retribuição por Titulação

Total

Doutorado

3.553,46

4.073,56

7.627,02

* Dedicação Exclusiva - impede o exercício de outra atividade remunerada, pública ou privada e incorpora um acréscimo de 55% sobre a remuneração do tempo integral (40 horas semanais).

TAXA DE INSCRIÇÃO - R$ 190,00

Anexo II ao Edital Nº 044/2012 - CPCP - PB - Abertura

Área/Subárea: Agronomia/Fitotecnia

Cargo: Professor do Magistério Superior - Classe Adjunto

Câmpus: Pato Branco

PROGRAMA PROVA ESCRITA

O ponto sorteado para a prova escrita será eliminado quando do sorteio para a prova de desempenho didático.

1. Instalação e inspeção de campos de produção de sementes;

2. Beneficiamento e secagem de sementes;

3. Armazenamento e comercialização de sementes;

4. Vigor e análises de sementes;

5. Legislação de sementes e mudas;

6. Crescimento e desenvolvimento de milho, arroz e feijão e sua associação à execução das principais práticas de manejo;

7. Exigências climáticas de milho, arroz e feijão e fatores importantes a considerar na definição da época de semeadura destas espécies;

8. Manejo da adubação nas culturas de milho, arroz e feijão;

9. Estratégias de controle de pragas, plantas daninhas e doenças em milho, arroz e feijão;

10. Fatores determinantes do arranjo de plantas nas culturas do milho, arroz e feijão.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

A relação a seguir contempla os livros considerados elementares, o que não impede que outros sejam utilizados para consulta.

ARAÚJO, R.S.; RAVA, C.A.; ZIMMERMANN, M.J.O. *Cultura do Feijoeiro Comum no Brasil*. Piracicaba (SP): Potafós, 1996, 786p.

CARVALHO, H. M., NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 3ª ed. Campinas: Fundação Cargill, 1988. 429p.

CARVALHO, H. M. A secagem de sementes. Jaboticabal:FUNEP, 1994. 165p. CTSBF. Comissão Técnica Sul-Brasileira de Feijão*. Informações técnicas para o cultivo do feijão na Região Sul brasileira - 2009*. Florianópolis: Epagri, 2010. 163p.

DOURADO-NETO, D.; FANCELLI, A.L. *Produção de Feijão*. Guaíba: Agropecuária, 2000, 385p. EMBRAPA/CPATB Arroz Irrigado no Sul do Brasil. Pelotas: EMBRAPAP/SOJA. 899 p. 2004.

EPAGRI. *A cultura do feijão em Santa Catarina*. Florianópolis (SC): EPAGRI (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina S.A.), 1992. 285p.

KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANCANETO, J. B. Coord. Vigor de Sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. 218p.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: FEALQ, 2005. 495 P.

PUZZI, D. Abastecimento e armazenamento de grãos. Campinas: Instituto Capineiro de Ensino Agrícola, 1986. 603p.

SANTOS, A.B.; STONE, L.F. et al. A Cultura do Arroz no Brasil, 2ª Edição, revisada e ampliada. Sete Lagoas: EMBRAPA. 1000 p. 2006.

SILVA, P.R.F; et al. Arranjo de Plantas e sua importância na definição de produtividade em milho. Porto Alegre: UFRGS, UDESCLages, Syngenta Seeds. Evangraf 2004, 64 p.

VIEIRA, C.; TRAZILBO JR.; T.J. P.; BORÉM, A. Feijão. Viçosa: Editora UFV, 2006, 600 p. ilust..

WORDELL FILHO, J.A.; ELIAS, H.T. A cultura do milho em Santa Catarina. Florianópolis:Epagri, 2010. 480p. (Embora o titulo se refira a Santa Catarina, é um livro atual e bastante abrangente).

SOSBAI. Arroz Irrigado: recomendações técnicas da pesquisa para o sul do Brasil. Porto Alegre: Sosbai, 2010. 188p.

Anexo II ao Edital Nº 044/2012 - CPCP - PB - Abertura

Área/Subárea: Agronomia/Microbiologia Agrícola e Fitopatologia Cargo: Professor do Magistério Superior - Classe Adjunto Câmpus: Pato Branco

PROGRAMA PROVA ESCRITA

O ponto sorteado para a prova escrita será eliminado quando do sorteio para a prova de desempenho didático.

01. Microbiologia do solo: fatores que influenciam a microbiota do solo e fixação biológica de nitrogênio.

02. Bactérias fitopatogênicas: morfologia celular e funções. Crescimento e reprodução.

03. Fungos fitopatôgenicos: importância e características gerais. Estruturas somáticas e reprodutivas. Crescimento, reprodução e sobrevivência.

04. Vírus e Viróides: importância, conceitos e identificação.

05. Nematóides: importância, morfologia, nutrição, crescimento, reprodução e ciclos de vida.

06. Ciclo das relações patógeno-hospedeiro: sobrevivência, disseminação, infecção, colonização e reprodução.

07. Fisiologia do Parasitismo: mecanismos de ação dos patógenos e de defesa das plantas.

08. Epidemiologia.

09. Manejo integrado de doenças de plantas.

10. Sintomatologia e diagnose de doenças de plantas: sintomas, sinais e injúrias. Isolamento de fungos e bactérias.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

A relação a seguir contempla os livros considerados elementares, o que não impede que outros sejam utilizados para consulta.

AGRIOS, G.N. Plant Pathology. 5a ed. California: Elsevier Academic Press, 2005. 922

AMORIM, L.; BERGAMIN FILHO, A.; REZENDE, J.A.M..;. - Manual de Fitopatologia: Princípos e Conceitos. Vol. I. Piracicaba: Editora Agronômica Ceres Ltda, 2011. 704p.

CARDOSO, E.J.B.N.; TSAI, S.M.; NEVES, M.C.P. (Coord.). Microbiologia do solo. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. Campinas, 1992.

DIMITRY, T. Guia prático para identificação de fitonematóides. Jaboticabal: FCAV Fapesp, 1997, 246p.

KIMATI, H. AMORIM, L., BERGAMIN FILHO, A. CAMARGO, L.E.A. REZENDE, J.A.M . Manual de Fitopatologia. Doenças das Plantas Cultivadas. Vol 2. São Paulo: Editora Agronômica Ceres Ltda, 2005. 663p

ROMEIRO, R.S. Bactérias Fitopatogênicas. Viçosa: Editora UFV. 1995. 283p.

ROMEIRO, R.S. Métodos em Bacteriologia de Plantas. Viçosa: Editora UFV, MG, 2001- 279p. PELCZAR JR., M.J.; CHAN, E.C.S. KRIEG,N.R. Microbiologia: Conceitos e Aplicações. Vol 1. 2ª ed. São Paulo: McGraw HiII do Brasil 1996. 524p.

TIHOHOD, D.Nematologia Agricola Aplicada .Jaboticabal. FUNEP, 1993.372p.

Anexo II ao Edital Nº 044/2012 - CPCP - PB - Abertura

Área/Subárea: Ciências Sociais Aplicadas/Economia Geral Cargo: Professor do Magistério Superior - Classe Adjunto Câmpus: Pato Branco

PROGRAMA PROVA ESCRITA

O ponto sorteado para a prova escrita será eliminado quando do sorteio para a prova de desempenho didático.

1. Políticas Públicas e Desenvolvimento Local (conceito de políticas públicas, etapas de formulação da política, papel do Estado para o desenvolvimento local e modelos de análise de política pública)

2. Economia e meio ambiente (crise ambiental; conceito de economia ambiental e ecológica; capitalismo natural; ecodesenvolvimento)

3. Desenvolvimento sustentável (conceito e indicadores)

4. Estratégia de desenvolvimento sustentável (arranjos produtivos locais; empreendedorismo públicos; agroecologia)

5. Desenvolvimento regional brasileiro (desigualdades regionais, perspectivas de desenvolvimento)

6. Macroeconomia e Política Ambiental (conceito e instrumentos econômicos de política ambiental; contabilidade ambiental; mercado de carbono)

7. Microeconomia ambiental (valoração de recursos ambientais; economia da poluição)

8. Análise Estrutural dos Mercados (concentração industrial, barreiras estruturais à entrada, estrutura de mercado e inovação)

9. Política Econômica e Crescimento No Brasil Contemporâneo (Alternativas de política econômica, política econômica a partir da década de 1990, crise mundial pós 2008 e a política econômica brasileira)

10. Governança pública (princípios de governança pública; accountability (prestação de contas); governo eletrônica e governança democrática)

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

A relação a seguir contempla os livros considerados elementares, o que não impede que outros sejam utilizados para consulta.

BELLEN, HANS MICHAEL VAN. Desenvolvimento sustentável: uma descrição das principais ferramentas de avaliação. Revista Ambiente e Sociedade. V. VII. N.1 jan-jun 2004. p. 67-88. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-753X2004000100005&script=sci_arttext.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Dominação financeira e sua crise no quadro do capitalismo do conhecimento e do Estado democrático social. Estudos Avançados, 22 (64), 2008: 195-205.Disponível em: http://www.bresserpereira.org.br/papers/2008/08.26.Dominacao_financeira.EstudosAvancados.pdf

BRUM, Argemiro J. O Desenvolvimento Econômico Brasileiro. Petrópolis, RJ- Vozes, Ijuí-RS. Ed 28. Ed. rev. e atual. Unijui, 2011.

CAPORAL, Francisco Roberto. Em defesa de um Plano Nacional de Transição Agroecológica:compromisso com as atuais e nosso legado para as futuras gerações. Brasília: 2008. Disponível em: http://agroecologia.incaper.es.gov.br/site/images/publicacoes/em%20defesa%20de%20um%20plano%20 nacional%20de%20transio%20agroecolgica%20final.pdf

DYE, T. R.. Mapeamento dos modelos de análise de políticas públicas. In: HEIDEMANN, F. G.; SALM, J. F. (org). Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e modelos de análise. Brasília: UNB, 2009. p. 99-132.

FARIA, Luiz Augusto E. Política Econômica e Crescimento no Brasil Contemporâneo. Textos para Discussão FEE, n.004, 2007. Disponível em: http://www.fee.tche.br/sitefee/download/tds/004.pdf

HEIDEMANN, F. G. Do sonho do progresso à políticas de desenvolvimento. In: HEIDEMANN, F. G.; SALM, J. F. (org). Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e modelos de análise. Brasília: UNB, 2009. p. 23-39.

HAWKEN, Paul; LOVINS, Amory; LOVINS, L. Hunter. Capitalismo Natural: criando a próxima revolução industrial. São Paulo: Cultrix/Amaná-Key, 1999.

KUPFER, David e HASENCLEVER, Lia. Economia Industrial. Fundamentos Teóricos e Práticas no Brasil.Rio de Janeiro. Campus. 9ª edição. 2002.

LASTRES, Helena M.M.; CASSIOLATO, José. O foco em arranjos produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas. In: LASTRES, Helena M.M.; CASSIOLATO, José E.; MACIEL, Maria Lúcia (org.). Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local". Rio de Janeiro: Relume Dumará Editora, 2003.

MATIAS-PEREIRA, J. Manual de gestão pública contemporânea. São Paulo: Atlas, 2008.

MAY, Peter H.; LUSTOSA, Maria Cecília; VINHA, Valéria da (Org.). Economia do meio ambiente: teoria e prática. 3.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

NASSER, Bianca. Economia Regional, Desigualdade Regional no Brasil e o Estudo dos Eixos Nacionais de Integração e Desenvolvimento. REVISTA DO BNDES, RIO DE JANEIRO, V. 7, N. 14, P. 145-178, DEZ. 2000. Disponível: http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/revista/rev1406.pdf.

ROMEIRO, Ademar Ribeiro; REYDON, Bastiaan Philip; LEONARDI, Maria Lucia Azevedo. Economia do meio ambiente: teoria, políticas e a gestão de espaços regionais. 3. ed. Campinas: Unicamp, 2001.

SACHS, Ignacy Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Coleção Idéias Sustentáveis. Rio de Janeiro: Ed. Garamond, 2006.

SILVA, Christian Luiz da (org.). Políticas públicas e desenvolvimento local: instrumentos e proposições de análise para o Brasil, Petrópolis: Vozes, 2012.

SILVA, Christian Luiz da. Desenvolvimento Sustentável: um conceito multidisciplinar. SILVA, C.L.; MENDES, J. T. G.. Reflexões sobre a sustentabilidade. Rio de Janeiro: Vozes, 2005

SIQUEIRA, TAGORE VILLARIM DE; SIFFERT FILHO, NELSON FONTES. Desenvolvimento Regional no Brasil: Tendências e Novas Perspectivas. REVISTA DO BNDES, RIO DE JANEIRO, V. 8, N. 16, P. 79-118, DEZ. 2001. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/revista/rev1603.pdf.

SLOMSKI, Valmor. Controladoria e governança na gestão pública. São Paulo: Atlas, 2005

SOUZA, Celina. Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, jul/dez 2006, p. 20-45. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/soc/n16/a03n16.pdf.

Concurso relacionado:Concurso UTFPR abre vagas para Professor no Campus Toledo