UFMA abre concurso para técnico-administrativos em educação

Universidade Federal do Maranhão (UFMA) abre 40 vagas para candidatos de diversas escolaridades. Vencimentos chegam até R$ 4.180,66.

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) anunciou a realização do novo concurso público regido pelo edital nº 01/2017, para provimento de cargos técnico-administrativos em educação. As inscrições podem ser feitas de 14 de agosto a 08 de setembro de 2017.

Há 40 oportunidades para candidatos de todos os principais níveis de ensino, que possam ocupar os cargos/áreas de Assistente de Laboratório, Auxiliar em Administração, Assistente em Administração, Técnico de Laboratório – Área: Química, Técnico em Higiene Dental, Engenheiro – Área: Alimentos e Técnico em Assuntos Educacionais.

Apostilas para os cargos da UFMA (Aux. em Administração, Assist. em Administração

O vencimento básico inicial dos cargos de nível de classificação “C” será de R$ 1.945,07; dos cargos de nível de classificação “D” será de R$ 2.446,96; dos cargos de nível “E” será de R$ 4.180,66. A esses valores poderão ser acrescidos de vantagens, benefícios e adicionais.

A inscrição pode ser feita somente via internet, no site de concursos da UFMA (www.concursos.ufma.br), lembrando que será disponibilizado posto de inscrição com computadores, no mesmo período informado, em horário comercial, no Núcleo de Eventos e Concursos, Cidade Universitária do Bacanga, em São Luís.

As taxas de inscrição são as seguintes: cargos de nível de classificação “C” – R$ 45,00; cargos de nível de classificação “D” - R$ 60,00; cargos de nível de classificação “E” - R$ 100,00.

O concurso constará de provas objetivas, eliminatórias e classificatórias, que serão realizadas na data provável de 29 de outubro de 2017, no horário das 9 horas às 13 horas, exclusivamente em São Luís. A relação dos candidatos (listas geral e especial) por local e sala de aplicação das provas estará disponível no site da UFMA e nos outros locais públicos descritos no edital.

A lotação dos candidatos aprovados e nomeados dar-se-á em uma das unidades/órgãos da UFMA, a saber: São Luís, Imperatriz, Chapadinha, Codó, Bacabal, Pinheiro, Grajaú, São Bernardo e Balsas.

O prazo de validade do concurso será de dois anos, contados a partir da publicação da homologação dos resultados, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da Universidade.

Edital e atualizações devem ser conferidos: www.concursos.ufma.br

****

Dicas para as provas de Aux. e Assist. em Adm. UFMA: Elementos de Coesão

Os elementos de coesão são aqueles os que ligam as frases ou palavras dentro de um texto. Podemos dizer que tais elementos são responsáveis pela organização das ideias no plano da linguagem textual. É o uso correto desses conectivos que dará ao texto a consistência necessária para a compreensão, isto é, para que o texto comunique alguma coisa.

Dentre esses elementos, citemos os pronomes relativos e as conjunções. Muitos professores de cursinhos presenciais ou online aconselham, inclusive, que os candidatos - além de compreenderem a "lógica" por trás de cada um - memorizem pelo menos uma parte desses elementos, pois isso poderá fazer toda a diferença na hora da prova.

Com relação às conjunções, temos as coordenativas, que são:

Adição: e, nem, mas também. Julia come e brinca.
Adversidade (oposição): entretanto, mas, porém, contudo, todavia. Joana foi à sorveteria, porém não tomou sorvete.
Alternância: ora... ora, ou... ou, seja... seja, quer... quer. Camila ora estuda, ora brinca.
Conclusão: Portanto, pois (após o verbo), logo. Penso logo existo!
Explicação: Porque, que, pois (antes do verbo). Estudem muito, pois só assim serão aprovados.

Já as conjunções subordinativas são:

Causa: Já que, visto que, como, porque. Já que faltou a aula terá que copiar a matéria de um colega.
Comparação: Assim como, mais... que, menos... que, tão/tanto... como. Beatriz é mais esperta do que sua prima.
Concessão: ainda que, mesmo que, conquanto, embora. Mesmo que esteja doente, ainda irei à inauguração do restaurante.
Condição: Caso, desde que, a menos que, se, a não que. Desde que voltou, está mais esperta.
Conformidade: como, segundo, conforme. Fizeram tudo conforme o combinado.
Consequência: de modo que, tão/tanto... que. Comeu tanto, que teve distúrbio intestinal.
Finalidade: a fim de que, para que. Trabalhou muito a fim de ser reconhecido.
Proporcionalidade: à proporção que, à medida que. À medida que crescia, ficava mais bonita.
Tempo: logo que, mal, enquanto, assim que, quando. Quando chegou, a reunião já havia começado.

Os pronomes relativos, por sua vez, são estes, principalmente:

Que: usado em relação a coisas ou pessoas. Este é o livro que você está lendo.
Quem: refere-se apenas a pessoas e sempre vem preposicionado. Esta é a garota a quem ele amava.
Cujo: indica posse, vem entre dois substantivos e concorda com o mesmo. Este é o escritor cuja obra eu li.
Onde: equivale a em que ou no qual, é empregado para indicar local. Onde eu estou morando é muito bonito.
Quanto: vem precedido de um pronome indefinido: tudo, tanta, todo, todas. Tenho tudo quanto preciso.
Quando: é um pronome relativo quando o antecedente dá ideia de tempo. Em janeiro quando eu estava na casa da minha avó eu cai da árvore.
As palavras “que” e “se”, além de serem conjunções e pronomes também tem outras funções. Fique atento! A palavra “que” pode ser: conjunção, substantivo, preposição, partícula expletiva ou de realce, advérbio, pronome, interjeição.

E a palavra “se” pode ser: parte integrante do verbo, conjunção, partícula expletiva ou de realce, partícula apassivadora, pronome reflexivo, índice de indeterminação do sujeito.

Algumas orações com exemplos das funções do “que”:

O quê! Seu cachorro sumiu? (interjeição)

Ele tem certo quê misterioso. (substantivo)

Tenho que ir embora. (preposição)

Quase que ela não chega a tempo. (partícula expletiva ou de realce)

Que barato! (adverbio)

Não encontramos as pessoas que saíram. (pronome relativo)

Que aconteceu com você? (pronome substantivo)

Que vida é essa? (pronome adjetivo)

Venha logo, que é tarde. (conjunção)

E alguns exemplos das funções do “se”:

Perguntei se ele estava triste. (conjunção)

Se todos tivessem prestado atenção, as notas teriam sido boas. (Conjunção subordinativa condicional)

Passavam-se as horas e nada mudava. (partícula expletiva ou de realce)

Ele arrependeu-se do que fez. (parte integrante do verbo)

Vendem-se apartamentos. (partícula apassivadora)

Precisa-se de vendedores. (índice de indeterminação do sujeito)

Ele cortou-se com a faca. (objeto direto)

Ele se atribui muito valor. (objeto indireto)

Camila deixou-se estar à janela. (sujeito de um infinitivo).

- Saiba mais adquirindo as Apostilas para os cargos da UFMA (Aux. em Administração, Assist. em Administração

Tópico: UFMA