Concurso Prefeitura de Codó - MA: provas suspensas!

O Concurso Prefeitura de Codó tem oportunidades em várias áreas de atuação e a lotação será nas Secretarias Municipais. Os vencimentos podem chegar a R$ 4 mil.

concurso prefeitura de codó: a foto mostra uma pessoa na frente de um notebook

Saiba mais sobre o concurso Prefeitura de Codó! - Foto: Canva

O concurso Prefeitura de Codó, estado do Maranhão, organizado pelo Instituto Legatus, comunica a suspensão das provas objetivas que seriam realizadas no dia 29 de novembro de 2020.

A retificação mais antiga informou sobre uma correção no conteúdo da prova do cargo de Professor do Ensino Fundamental II (6º ao 9º) Ano – Geografia.

Ainda sobre conteúdo programático, a retificação estabelece que os conhecimentos comuns dos cargos de nível superior terão o acréscimo do assunto “Base Nacional Comum Curricular do Ensino Fundamental”.

Os cargos de Supervisor Escolar, Professor de Educação Infantil e Professor de Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) tiveram os requisitos de formação alterados.

As outras retificações dizem respeito ao peso e pontuação mínima da prova e ao valor da taxa de inscrição para os cargos de Professor de Educação Infantil e Professor de Ensino Fundamental I (1º ao 5º Ano).

Se esses professores já efetuaram o pagamento da taxa, poderiam solicitar a restituição do valor de R$ 25,00 pelo e-mail atendimento@institutolegatus.com.br, seguindo as instruções para isso.

Cargos e vagas do concurso Prefeitura de Codó

De acordo com o edital nº 01/2020, o certame está oferecendo 115 vagas de níveis médio/técnico e superior.

Entre o total de vagas já estão incluídas as reservas para pessoas com deficiência. Vale conferir no Anexo I do edital quais são os cargos que têm essas oportunidades. As vagas do Concurso Prefeitura de Codó são para:

Nível médio/técnico

Aqueles que forem contratados irão trabalhar em jornadas de 40 horas semanais e o vencimento básico inicial oferecido pelo Concurso Prefeitura de Codó varia entre R$ 1.248,88 e R$ 1.351,83. Os cargos abertos são:

Nível superior

Os aprovados e convocados contarão com cargas horárias de 30 ou 40 horas semanais de trabalho, recebendo vencimento de R$ 2.500,00. A oferta do Concurso Prefeitura de Codó está dividida entre:

Magistério

A carga horária para Professores em diversas especialidades será de 25 horas de trabalho semanal com vencimento inicial de R$ 2.705,76. Já os Supervisores irão receber R$ 4.329,24 para jornadas de 40 horas semanais. A divisão das vagas do Concurso Prefeitura de Codó ficou da seguinte forma:

Inscrições encerradas 

O período de inscrições foi de 13 de julho até 31 de agosto de 2020. Para participar, os interessados deviam acessar o site do Instituto Legatus.

Ao terminar esse processo, seria gerado um boleto com a taxa de inscrição no valor de R$ 90 para cargos de nível médio/técnico e R$ 115 para nível superior.

Provas suspensas

O concurso contará com três etapas, sendo a primeira de provas objetivas obrigatórias para todos os cargos. 

Os candidatos terão quatro horas para responder 40 questões de múltipla de escolha acerca de:

  • Língua Portuguesa;
  • Raciocínio Lógico ‐ Matemático (menos para cargos de Magistério);
  • Noções de Informática;
  • Conhecimentos Específicos e Locais;
  • Conhecimentos Pedagógicos (apenas para cargos de Magistério).

A segunda etapa será de prova de títulos, exclusiva para quem estiver pleiteando as funções de Supervisor Escolar e Professor. Assim, o concurso Prefeitura de Codó irá considerar:

  • Doutorado: 5 pontos;
  • Mestrado: 3 pontos;
  • Especialização: 2 pontos.

Enquanto isso, a terceira e última etapa é voltada apenas para o cargo de Assistente de Administração. Essa será uma prova prática de digitação. Os candidatos terão oito minutos para escrever um texto de 2 mil caracteres num computador.

Os aprovados e convocados serão lotados nas Secretarias Municipais de Administração, Agricultura, Assistência Social, Educação, Meio Ambiente e Saúde.

A seleção terá validade de dois anos, podendo ser prorrogada uma única vez por igual período de acordo com a necessidade do município.

Dicas para as provas da Prefeitura de Codó: Base Nacional Comum Curricular da Educação Infantil

Concurso anterior da Prefeitura de Codó

O concurso anterior da Prefeitura de Codó, no estado do Maranhão, foi realizado em 2016 e disponibilizou 74 vagas para cargos de níveis médio e superior. Os vencimentos variavam de R$ 1.334,77 a R$ 4.892,65.

As vagas disponíveis eram para os cargos de Assistente Social, Enfermeiro, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico, Médico Veterinário, Nutricionista, Odontólogo, Psicólogo, Supervisor Escolar, Professor de Educação Infantil, Professor do Ensino Fundamental – 1° ao 5° ano, Agente de Arrecadação, Técnico em Enfermagem, Técnico em Laboratório. 

O município

Codó é a sexta cidade mais populosa do Maranhão, de acordo com o senso do IBGE, em 2018, a população era de aproximadamente 122 000 habitantes.

A economia da cidade atualmente gira em torno das indústrias e comércio: na cidade tem indústrias que atuam nos segmentos de higiene e limpeza e indústria de cimento.

Além disso, Codó se destaca com o comércio de peixes produzidos em diversas pisciculturas do município.

Dicas: BNCC (Base Nacional Comum Curricular) – tudo que você precisa saber

É impossível falar de educação estruturada sem pensar em aspectos básicos que gerem um formato aceitável para uma aplicação satisfatória.

É fato que a educação sempre foi pauta de discussão em nosso país, até por conta dos índices preocupantes de falta de estrutura, principalmente dentro da chamada “Educação Básica”.

Entretanto, por mais incrível que possa parecer, das contestações que mais estão em voga nos últimos tempos, destaca-se a gerada em torno da Base Nacional Comum Curricular, comumente conhecida como BNCC.

O que é a BNCC?

BNCC é um documento normativo cujo objetivo é trazer diretrizes para os ensinos das escolas públicas e privadas em nosso país.

Um documento com critérios a serem obedecidos sobre o que os estudantes devem aprender desde a Educação Infantil até o Ensino Médio.

O documento é uma referência dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento que são disponibilizados como objeto de consulta e pesquisa para direcionar um ensino pautado em características gerais, porém, também, sociais e regionais para cada parte do país.

Essas características permitem que o professor não apenas apresente o conteúdo a ser aplicado (o que implica, mesmo que involuntariamente, uma forma “engessada”) em sala, mas também o estimula a desenvolver um material que possa contemplar o objetivo traçado pela Base, permitindo enquadrar o aluno à realidade da escola, obviamente documentada no Projeto Político Pedagógico (PPP).

Esse documento, ou conjunto de normas, por assim dizer, é aplicado exclusivamente à educação escolar, e é definida pelo parágrafo 1º do Artigo 1º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

O BNCC prevê uma orientação pautada em princípios éticos, políticos e estéticos, visando uma formação humana integral e construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva. Pensamento este, fundamentado também, nas Diretrizes Curriculares da Educação Básica.

Quando foi criada a BNCC?

Ao contrário do que se pode pensar, a BNCC foi desenvolvida recentemente, mais precisamente na década atual.

Em meados de 2015 já eram discutidas a primeiras decisões a serem tomadas a esse respeito: a definição da comissão de especialistas que seriam os responsáveis na elaboração do documento, e consequentemente, o lançamento no Portal oficial.

Sequencialmente, num período que se estendeu até março de 2016, o texto preliminar da Base é disponibilizado, porém, com a novidade de oferecer a oportunidade de contribuições do público.

Somente em maio de 2016 seria publicada o que foi considerada como uma segunda versão da BNCC.

Entretanto, o documento ainda sofreria outras revisões. Nesse ínterim, além da elaboração de especialistas, já teria recebido 12 milhões de contribuições do público.

A partir de então, fora iniciado uma série de Seminários Estaduais para que estudantes, professores, instituições e coordenadores tivessem a liberdade de expressar suas opiniões e perspectivas acerca do BNCC.

Como era antes da BNCC?

Antes do surgimento da Base Nacional Comum Curricular, as instituições de ensino baseavam-se em dois principais documentos elaborados a partir de normas e processos de aprendizagem direcionados a cada série, a saber, as Diretrizes Curriculares Nacionais e os Parâmetros Curriculares Nacionais.

Diferenças entre BNCC, DCN e PCN

As DCNs mediavam o planejamento curricular. Um documento que possuía conteúdos mínimos para a Educação básica, baseadas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

Já os Parâmetros Nacionais Curriculares Nacionais (PCNs) são orientações diretas para a educação no Brasil. Diretrizes criadas e desenvolvidas separadamente para cada disciplina escolar.

Considerando uma primeira impressão, é possível que haja confusão entre a BNCC e as DCNs, considerando, também, as finalidades semelhantes. Entretanto, é preciso observar, com um pouco mais de cautela, que uma pode atuar como complemento da outra.

Para simplificar, podemos dizer que as DCNs são utilizadas como parâmetros, enquanto as diretrizes trabalham a parte estrutural.

E, finalmente, a Base desenvolve a parte específica do conteúdo das competências, considerando o que deve ser trabalhando em sala de aula.

Estrutura e competências da BNCC

Basicamente a BNCC possui uma estrutura baseada nas competências gerais consideradas essenciais que desenvolvem as habilidades cognitivas e sócio-emocionais no decorrer da Educação Básica.

Do Ensino Infantil, passando pela Educação Fundamental, até o Ensino Médio, são exploradas 10 competências exploradas:

  • 1. Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.
  • 2. Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.
  • 3. Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.
  • 4. Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital -, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.
  • 5. Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.
  • 6. Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.
  • 7. Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.
  • 8. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.
  • 9. Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.
  • 10. Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

- Saiba mais nas Apostilas para Professor e outros cargos da Prefeitura de Codó.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Concursos por E-mail
Assine nosso boletim para receber Concursos em Codó diretamente no seu e-mail
Concursos RelacionadosVagas
SEAP - MAVárias
Veja todos » Concursos Abertos