AGU realiza maior nomeação desde 2007

Os 252 novos membros da AGU serão lotados em 18 estados e no Distrito Federal.

A Advocacia- Geral da União (AGU) publicou a nomeação de 252 procuradores federais, sendo a maior desde 2007, segundo a Procuradoria-Geral Federal (PGF), órgão da AGU, responsável pela representação judicial e extrajudicial das autarquias e fundações federais. Naquele ano, 529 foram empossados.

Os novos membros da AGU serão lotados em 18 estados e no Distrito Federal. A posse está marcada para o dia 18 de setembro de 2015. A cerimônia ocorrerá às 15h, no Teatro Calmon, localizado no Quartel Geral do Setor Militar Urbano, em Brasília. A solenidade deve contar com a presença de dirigentes da AGU e de autoridades de outros órgãos federais.

O concurso foi realizado entre o final de 2013 e o início de 2014. Com o reforço, a PGF passa a contar com 4.092 procuradores federais em todo o país. Os novos membros da Advocacia-Geral devem trabalhar, principalmente, nas áreas previdenciária, agrária, ambiental, indigenista e no contencioso.

"Com esta nomeação, teremos um reforço da equipe para melhor equalizar a distribuição dos mais de cinco milhões de processos movimentados anualmente pela PGF, o que contribuirá com a produção de resultados ainda mais expressivos", diz o procurador-geral Federal, Renato Vieira.

Lotação

Entre os nomeados, 111 vão para a Região Norte, sendo 25 no Pará, 14 no Amazonas, 34 em Rondônia, oito em Roraima, 16 em Tocantins, nove no Acre e cinco no Amapá. No Centro-Oeste, serão lotados 49, em unidades de Brasília (3), Goiás (5), Mato Grosso (25) e Mato Grosso do Sul (16).

Para a Região Sudeste irão 44, divididos entre os estados de São Paulo (26), Minas Gerais (17) e Espírito Santo (1). O Sul receberá 29, que vão para o Rio Grande do Sul (12), Santa Catarina (13) e Paraná (4). No Nordeste serão 19, sendo 11 na Bahia e oito no Maranhão.

A cidade que receberá o maior número de procuradores de uma só vez será Cuiabá (MT), para onde irão 21 membros nomeados, a maior parte para repor vagas abertas com a remoção de outros membros. "Eles vão atuar principalmente na área previdenciária, mas aqui temos também uma imensa demanda por questões agrárias e de defesa do meio ambiente", explica o procurador-chefe da Federal no estado, Fabrício Lopes Oliveira, que deve contar agora com 34 membros em atuação.

Ao todo, 105 vão trabalhar nas capitais estaduais e outros 147 vão para cidades do interior. Pará, Mina Gerais, Bahia, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, inclusive, devem lotar seus novos procuradores somente nos escritórios avançados e de representação, fora das grandes aglomerações urbanas.

Lariane Pereira, uma das convocadas, que assume o primeiro cargo público após dez anos na advocacia privada, diz que espera ter uma experiência agregadora com a nova função. "Quando soubemos da autorização da nomeação e quando houve a publicação foi uma enorme felicidade e sensação de alívio. Desde quando optei estudar para os concursos da advocacia pública federal aguardo por este momento", afirma.

Fonte: AGU

Tópico: AGU

Compartilhe