Aprovado em concurso dos Correios - Recife garante vaga na Justiça

O candidato A.C.C.P. procurou a Defensoria para obter a nomeação para o cargo de Agente dos Correios - Atividade Carteiro.

A Defensoria Pública da União (DPU) no Recife conseguiu a nomeação de candidato que foi classificado em concurso da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. O aprovado não foi convocado porque a empresa utilizava trabalhadores terceirizados, mas a Justiça Federal em Pernambuco determinou a nomeação do assistido no prazo de 30 dias.

O candidato A.C.C.P. procurou a Defensoria para obter a nomeação para o cargo de Agente dos Correios - Atividade Carteiro, referente ao concurso dos Correios de 2011, no qual foi aprovado na primeira e segunda fase, ficando na posição classificatória 579ª. Ele passou a aguardar a convocação para a apresentação dos exames admissionais, próxima etapa do certame, o que nunca chegou a ocorrer.

A ECT convocou 556 dos candidatos aprovados, porém existiam 51 profissionais temporários atuando na mesma  função e localidade-base onde ele aguardava a nomeação. Diante disso, a defensora pública federal Tarcila Maia Lopes, do 2º Ofício Cível, ingressou com ação pedindo a imediata nomeação do assistido no cargo em que ele havia sido aprovado.

Segundo a ação civil pública (ACP) movida pelo Ministério Público Federal (MPF), a ECT adotou a prática de terceirização dos cargos, em vez de convocar o número necessário de candidatos aprovados para os cargos de que necessitava. 

Edição com informações da Assessoria de Comunicação Social da DPU

Tópico: Correios

Compartilhe