Concurso IBAMA

Concurso do IBAMA poderá oferecer centenas de vagas. A expectativa é de que o edital seja autorizado ainda em 2018, mas não há certezas.

Para quem está aguardando ansiosamente pelo concurso do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), é bom aproveitar para continuar estudando. O órgão, desde 2017, aguarda liberação do MMA (Ministério do Meio Ambiente) para abrir o edital, mas até o momento o pedido apenas tramita no Ministério do Planejamento, como tantos outros...

O órgão espera preencher centenas de vagas distribuídas entre cargos que exigem o ensino médio e superior, tais como: Técnico administrativo (com remuneração inicial por volta de R$ 4,4 mil), Analista administrativo e Analista ambiental (remuneração em torno de R$ 9,9 mil).

As futuras vagas servirão para repor o quadro de servidores do Instituto, que estão prestes a se aposentar ou que fizeram pedido de exoneração, ou até mesmo de falecimentos. De acordo com a Associação Nacional dos Servidores Ambientais (Ascema Nacional), o concurso é muito necessário, pois há, de fato, esse déficit de concursados que prejudica a fiscalização responsável por evitar o desmatamento e a emissão de gases de efeito estufa.

Benefícios atrativos

Assim como acontece com os servidores públicos de outros órgãos federais, os futuros contratados do IBAMA terão direito às vantagens inerentes às suas respectivas carreiras, a exemplo de: auxílio-transporte, assistência médica e assistência pré-escolar.

No entanto, para o superintendente do IBAMA no Rio de Janeiro, Pedro Castilho, o que deve ser priorizado não é apenas a carteira de vantagens financeiras. Segundo ele, é importante que o novo servidor público tenha consciência social e “sensibilidade ambiental”, já que o objetivo do órgão é preservar os recursos naturais para gerações futuras.

Último concurso do IBAMA

O último concurso do IBAMA foi realizado em 2012 pelo Cebraspe/Cespe, e há a expectativa de que essa mesma banca esteja cotada para organizar o próximo concurso. As etapas da seleção incluíam provas de língua portuguesa, informática, ética no Serviço Público, noções de Direito Administrativo e noções de Direito Constitucional para todos os cargos, incluindo os demais citados abaixo:

Prova objetiva para Técnico administrativo:

  • Matemática;
  • Legislação;
  • Legislação do Setor de Meio Ambiente;
  • Noções de Arquivologia;
  • Noções de Gestão de Pessoas;
  • Noções de Administração, Orçamento, Finanças e Contabilidade Pública.

Prova objetiva para Analista Ambiental:

  • Legislação;
  • Atualidades;
  • Licenciamento Ambiental;
  • Monitoramento, Regulação, Controle, Fiscalização e Auditoria Ambiental;
  • Gestão, Proteção e Controle da Qualidade Ambiental.

Prova discursiva: redação.

Prova objetiva para Analista administrativo:

  • Raciocínio lógico;
  • Matemática;
  • Atualidades;
  • Legislação do Setor de Meio Ambiente;
  • Gestão de Pessoas;
  • Administração Geral e Pública;
  • Administração Orçamentária, Financeira e Orçamento Público;
  • Administração no Serviço Público;
  • Ética no Serviço Público.

Prova discursiva: redação.

Compartilhe