Cronograma do concurso do Corpo de Bombeiros - PA não será alterado

De acordo com a titular da SEAD, a tentativa de fraude que foi desarticulada por policiais civis e militares em Belém não mancha o certame.

O Concurso 001/2015 do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Pará seguirá o cronograma estabelecido pelo edital. A informação foi confirmada em coletiva no dia 25 de janeiro de 2016, na sede da Secretaria de Estado de Administração (SEAD).

De acordo com a titular da SEAD, Alice Viana, a tentativa de fraude que foi desarticulada por policiais civis e militares em Belém ontem, 24, não mancha o certame. "Todo o certame ocorreu de forma tranquila até o ocorrido. Considerando que o gabarito encontrado com os suspeitos, daria aos candidatos apenas sete acertos em relação a um tipo de prova (a prova verde), e que não haveria acerto de 50%, mínimo para os candidatos serem aprovados na prova objetiva, em nenhum dos quatro modelos de prova utilizados, por segurança, pela Consulplan, não há demonstração de que o certame seja maculado. Por isso, o concurso está mantido”, afirmou a secretária. Segundo Alice Viana, o cronograma segue normalmente com a divulgação do resultado das provas objetivas no dia 22 de fevereiro.

De acordo com o delegado geral da polícia civil, Rilmar Firmino, 49 pessoas - 47 adultas e dois adolescentes - foram detidas. "Todas foram conduzidas para a sede da Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), para responder por tentativa de fraude em certame de interesse público, com base no artigo 311A, do Código Penal, que prevê pena de 1 a 4 anos de reclusão. Infelizmente as pessoas que compraram o resultado foram enganadas já que o indivíduo não conseguiria repassar um gabarito que interferisse no resultado do concurso. Ele também será enquadrado por falsidade ideológica já que a inscrição dele foi indeferida pela comissão do concurso por ele ter mais de 27 anos, e ele fez a prova com uma identidade falsificada”, explicou.

O delegado também informou como a tentativa de fraude foi planejada. Um dos presos, com apoio de outros comparsas, iria enviar toques de celular correspondentes às supostas alternativas corretas da prova. No meio deste processo, o grupo foi detido pelo serviço de inteligência da Polícia Militar, que estava com policiais no lado de fora de uma escola no bairro do Tenoné, distrito de Icoaraci, em Belém. Eles detiveram um dos suspeitos em um colégio perto da escola onde ocorria o concurso. Com ele, um caderno com anotações das supostas respostas foi encontrado. A partir disso, as demais pessoas, que estavam tentando fraudar o concurso, foram detidas e conduzidas para a DIOE. Todos os telefones celulares foram apreendidos para apuração.

Pedro Fraga, coordenador da Consulplan, falou sobre os dispositivos de segurança que são adotados para que o certame ocorra de forma integra. "Há seguranças especializados para fiscalização dos locais de prova. No certame, quatro tipos de prova foram aplicadas sem o conhecimento dos candidatos e, além disso, os candidatos devem lacrar os equipamentos eletrônicos e objetos não permitidos, antes do ingresso nas salas de aplicação de prova", detalhou o coordenador, que também informou que as impressões digitais dos candidatos são comparadas com os documentos oficiais e então rapidamente o candidato que tenta fraudar é desclassificado.

O comandante do Corpo de Bombeiros, Coronel Zanelli, disse que o percentual de acertos das questões repassadas pelos suspeitos de fraudar o concurso, não interfere no resultado final. “Daremos continuidade ao concurso e vamos acompanhar as investigações que prosseguem sob a responsabilidade do delegado Aurélio Paiva, da DIOE", disse.

A SEAD explicou ainda que não houve nenhuma ocorrência nos outros três polos que serviram de local de prova para o concurso, Altamira, Marabá e Santarém. 

Compartilhe