Governo do Goiás adia edital da Polícia Civil

Decisão foi tomada diante da necessidade de ajustes no contrato para contratação da empresa que realizará o certame.

A Secretaria de Gestão e Planejamento de Goiás (Segplan) informa que a publicação do edital do concurso para Escrivães substitutos e Agentes substitutos da Polícia Civil, prevista para a sexta-feira, dia 22/07/2016, foi adiada diante da necessidade de ajustes no contrato para contratação da empresa que realizará o certame.

A data de publicação será divulgada nos próximos dias, assim que for concluída uma nova análise jurídica do contrato pela Advocacia Setorial da Segplan e pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

A Segplan ressalta que o adiamento não causará prejuízo à realização do concurso, que ofertará 280 vagas para Agentes substitutos e 220 para Escrivães substitutos da Polícia Civil, e buscará compensar esse pequeno atraso nas fases subsequentes do certame. Mais informações: (62) 3201-5715.

Fonte: http://www.goiasagora.go.gov.br/adiado-edital-de-concurso-da-policia-civil/

***

Governo - GO divulga cronograma dos concursos para PM e Civil (01/07/2016)

Os concursos públicos visam o provimento de 3.396 vagas nas forças policiais do estado.

O vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás (SSPAP), José Eliton, e o titular da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), Joaquim Mesquita, divulgaram na última quinta-feira (30/6), durante entrevista coletiva no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, o cronograma dos concursos públicos para provimento de 3.396 vagas nas forças policiais do estado.

O primeiro certame será o da Polícia Civil que oferece 280 vagas para agentes substitutos e 220 para escrivães substitutos. O edital será publicado no próximo dia 22 de julho.

A data prevista para a publicação do edital para o concurso público para provimento de 2.500 vagas de soldados de 3ª classe da Polícia Militar será no dia 19 de agosto, quando se conhecerá todo o cronograma definido para a seleção.

Nos próximos dias, serão divulgados os cronogramas dos demais concursos, para o Corpo de Bombeiros, delegados da Polícia Civil, oficiais para a Polícia Militar e fiscais da Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon-GO).

Além do concurso para o provimento das 500 vagas de agentes e escrivães, a Polícia Civil terá, também, outro concurso para selecionar 36 profissionais para o cargo de delegado. Na Polícia Militar (PM), o efetivo será ampliado em 2.500 policiais e em 80 oficiais. Estão previstos, ainda, concurso para o Corpo de Bombeiros Militar, para 250 novos soldados e para a Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon), que poderá ser de até 30 vagas.

No concurso da Polícia Civil, o salário base inicial para os agentes e escrivães substitutos será de R$ 1,5 mil, e o nível de escolaridade exigido é o superior, conforme acordado entre entidades representativas das categorias e a lei aprovada na Assembleia Legislativa. Acréscimos no exercício das funções podem elevar esse valor para em torno de R$ 3 mil.

De acordo com o cronograma divulgado pela Segplan, o período de inscrições para o concurso da Polícia Civil será de 1º a 30 de agosto e a data da prova, 18 de setembro. A empresa contratada para realização do certame é o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), da Universidade de Brasília (UnB), antigo Cespe/UnB.

Regional

Sobre o concurso para a Polícia Militar, de acordo com o vice-governador e secretário José Eliton, será regionalizado para contemplar as necessidades dos municípios. Segundo ele, essa decisão foi tomada a partir de uma avaliação estratégica da Segurança Pública, em especial do comando da Polícia Militar, que está definindo o quantitativo de vagas para cada localidade.

O objetivo é, segundo ele, fixar o policial no interior do estado. “Tínhamos um modelo em que, eventualmente, eram aprovados números significativos de policiais, mas havia dificuldades em encaminhar para as regiões mais distantes porque, naturalmente, a maioria prefere ficar próximo dos grandes centros urbanos por questões de comodidade”, disse o vice-governador. Conforme ressalta, a decisão de regionalizar o concurso vai pôr fim a esse problema, uma vez que quem se inscrever em determinada região está ciente de que terá que trabalhar no local.

Fonte: Agência Goiás

Compartilhe