Concurso Banpará

São ofertadas 126 vagas para cargos de níveis médio/técnico e superior, com salários que variam entre R$ 2.192,88 e R$ 5.770,90.

O Banco do Estado do Pará S.A. (Banpará) atualizou informações referentes ao seu edital n° 01/2018 de concurso público destinado ao provimento de vagas de níveis médio/técnico e superior em seu quadro de pessoal. O certame está sendo executado sob responsabilidade da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa – FADESP.

São ofertadas 126 vagas, parte delas (5%) para pessoas com deficiência, distribuídas entre os seguintes cargos:

  • Nível médio: Técnico Bancário.
  • Nível superior: Assistente Social, Contador, Engenheiro Civil, Engenheiro Eletricista, Engenheiro Mecânico, Médico do Trabalho e Técnico em Informática – Áreas: Desenvolvimento de Sistema e de Acompanhamento de Projetos, Suporte e de Banco de Dados.

Em retificação publicada no dia 21 de março foram alterados os requisitos de formação para o cargo de Técnico em Informática - Áreas: Desenvolvimento de Sistema e Acompanhamento de Projetos, Suporte e Banco de Dados. As mundanças devem ser conferidas pelos candidatos diretamente na página da FADESP.

Apostilas Banpará - TÉCNICO BANCÁRIO - CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR – (exceto TÉCNICO EM INFORMÁTICA) (COMUM A TODOS)

As vagas são distribuídas para as seguintes cidades: Belém, Ananindeua, Marituba, Mosqueiro, Benevides, Abaetetuba, Abel Figueiredo, Acara, Afuá, Água Azul do Norte, Alenquer, Almeirim, Altamira, Anajás, Anapú, Augusto Correa, Aurora do Pará, Baião, Barcarena, Belterra – Prospecção, Bom Jesus do Tocantins, Bonito, Braganca, Brejo Grande do Araguaia, Breu Branco, Breves, Bujaru, Cachoeira do Arari, Cametá, Canaã dos Carajás, Capanema, Capitao Poco, Castanhal, Conceição do Araguaia, Concórdia do Pará, Cumaru do Norte, Curionópolis, Curralinho, Curuá, Curuçá, De Moz – Prospecção, Dom Eliseu, Eldorado do Carajás, Faro, Floresta do Araguaia, Garrafão do Norte, Goianésia do Para, Igarapé Açu, Igarape – Miri, Ipixuna do Para, Itaituba, Itupiranga, Jacundá, Juruti, Limoeiro do Ajuru, Marabá, Maracanã, Marapanim, Medicilândia, Melgaço, Moju, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Muaná, Novo Progresso, Óbidos, Oeiras do Pará, Oriximiná, Ourilândia do Norte, Paragominas, Parauapebas, Pau D”arco – Prospecção, Ponta de Pedras, Primavera – Prospecção, Redenção, Rio Maria, Rondon do Pará, Salinópolis, Salvaterra, Santa Bárbara do Pará, Santa Isabel do Pará, Santa Luzia do Pará, Santa Maria das Barreiras, Santa Maria do Pará, Santana do Araguaia, Santarém, Santo Antonio do Tauá, São Caetano de Odivelas, São Félix do Xingu, São Geraldo do Araguaia, São João de Pirabas, São Miguel do Guamá, Sapucaia, Senador José Porfírio, Soure, Tailândia, Terra Santa, Tome Açu, Tracuateua, Trairão, Tucumã, Tucuruí, Vigia, Viseu, Vitória do Xingú e Xinguara.

Os candidatos aprovados e convocados atuarão em regime de trabalho de até 40 horas semanais, com salários que variam entre R$ 2.192,88 e R$ 5.770,90.

As inscrições já estão abertas e os interessados têm até o dia 16 de abril de 2018 para efetuar as inscrições via internet, por meio do site www.portalfadesp.org.br. Os valores cobrados como taxa de inscrição são de R$ 50,00 para nível médio/técnico e R$ 90,00 para nível superior.

De acordo com o edital, o certame constará de provas objetivas, com previsão de que sejam aplicadas no dia 06 de maio de 2018, em locais informados posteriormente. Para cargos de nível superior, haverá ainda avaliação de títulos.

O concurso terá validade de dois anos, a contar da data do ato de homologação do resultado para cada cargo/polo, podendo ser prorrogado por igual período. Para conferir os conteúdos dos outros cargos e demais informações atualizadas (edital, anexos) acesse o site oficial da FADESP.

Dicas para as provas Banpará 2018: Garantias do Sistema Financeiro

Toda operação de cunho financeiro, seja para investimento ou mesmo concessão de crédito, envolve procedimentos passíveis de riscos. Portanto, para diminuí-los, as garantias tornam-se medidas imprescindíveis na manutenção da saúde do Sistema Financeiro Nacional.

Ao contrário do que se pode pensar, práticas como essas, visando uma negociação “mais segura”, datam de muito tempo. A história registra que procedimentos como fiança, por exemplo, já faziam parte de negociações desde o período do império romano, praticamente desde que fora inserido nas civilizações a intermediação de produtos e serviços por meio de ativos monetários (moedas).

Em linguagem jurídica, garantia pode ser entendida como “meio de assegurar ou acautelar o direito de outrem, contra qualquer lesão resultante da inexecução de uma obrigação”. É uma forma de proteger legalmente à pessoa ou o direito que lhe cabe numa negociação.

Entretanto, de forma geral, as garantias reais podem ser representadas pelos bens pertencentes ao devedor, como em casos de hipoteca e outros, ou mesmo a presença de um terceiro que possua valor suficiente para quitar a dívida em caso de inadimplência ou falta do real credor, onde se incluem casos como aval e fiança. As garantias mais comuns subdividem-se em aval e fiança (garantias por meio de envolvimento de terceiros), penhor, caução, hipoteca, alienação fiduciária e anticrese.

1 - AVAL E FIANÇA

Os dois casos envolvem avaliação de patrimônio na negociação como garantia do pagamento de dívida. A diferença está no fato de na primeira exigir a presença de uma terceira pessoa denominada avalista, se comprometendo a pagar a dívida por meio de título de crédito, geralmente em letra de câmbio, em favor do avalizado. Ou seja, a pessoa que precisa do benefício da concessão de crédito ou benefício. Desta forma, o avalista torna-se garantidor da intermediação. A segunda, através de contrato acessório ou subsidiário, visa garantir a satisfação do credor por meio de análise patrimonial, portanto pode envolver tanto a presença de uma terceira pessoa, denominada fiador, quanto à análise dos bens do próprio devedor.

2 - PENHOR

Penhor é uma forma de garantia cuja segurança da negociação está num bem móvel (objetos de valor, por exemplo) ou em direitos. A negociação só terá efeito quando o objeto empenhado for entregue ao credor, seja por posse direta ou por meio de documento que registre disponibilidade exclusiva ao credor. No Brasil existem instituições bastante tradicionais que trabalham com concessão de  crédito através de penhor. A Caixa Econômica Federal é uma delas, onde o cliente pode conseguir dinheiro de forma rápida e com menos burocracia que outras formas de empréstimo.

3 - CAUÇÃO 

É uma forma de garantia bastante comum em negociações, principalmente em casos de transações imobiliárias, seja venda ou aluguel. Consiste no depósito de um valor, geralmente pré-determinado, como garantia para o cumprimento de uma obrigação ou mesmo indenização em casos de possível reparação de dano. As cauções podem ser de caráter real ou fidejussória. A primeira é quando se oferece bem móvel ou imóvel como garantia da negociação; a segunda, quando a garantia é transmitida em caráter pessoal. Mesmo entendendo que a lei nem sempre pode determinar especificamente a forma de caução, em trâmites de negociação, ela pode ser feita através de depósito em espécie, papéis de crédito, títulos da União, entre outros.

4 - HIPOTECA

Do latim, derivada do grego Hypotheca, é a forma de negociação cuja garantia envolva um bem (geralmente imóvel) como garantia real ao credor. Pode ser confundida com alienação fiduciária, mas juridicamente existem diferenças legais para ambos os casos. A negociação se dá através de sujeição do bem hipotecado, com registro em escritura pública, mas sem a transferência de posse direta ao credor. Mesmo o bem sendo a garantia da negociação, este continua em posse do devedor.

5 - ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA

Numa forma literal de pensamento, “alienar” é o mesmo que prender. Na forma de negociação por meio de alienação fiduciária, a transferência do bem é a própria garantia, feita através de acordo direto firmado entre credor e devedor. Também conhecida como alienação em garantia, é uma prática bastante comum em nosso país, principalmente em compras de imóveis ou veículos. O devedor adquire o direito de uso do bem, pagando-o em prestações, mas o registro fica em nome do credor, obviamente o que lhe outorga o direito de adjudicação (reintegração de posse) do bem, em caso de inadimplência.

6 - ANTICRESE

Anticrese é uma forma de garantia, instituto do direito civil, cuja segurança da negociação se dá através dos frutos de rendimento de um bem imóvel, conforme o art. 1506 do Código Civil. Por se tratar de uma negociação menos comum, além de ser definida por meio de relação jurídica contratual, é necessário também um registro em cartório junto ao tabelião. Como exigência da negociação, o bem não pode estar alienado, deverá ser preservado em bom estado, e mesmo que esteja em posse de mais um proprietário, o responsável legal pela administração do imóvel fica incumbido de reaver a dívida com base nos rendimentos que a propriedade em questão originar, como por exemplo, rentabilidade por meio de locação.

O QUE É O FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO (FGC)?

Existem as formas de garantia como pagamento de dívidas a um credor, tais como as mais comuns, citadas acima, e existem aquelas garantias do Sistema Financeiro Nacional, concedidas aos que, de alguma forma investem algum tipo de dinheiro como forma de fazer girar a economia ou mesmo, resguardo para um maior conforto financeiro pessoal. O Fundo Garantidor de Crédito, ou simplesmente FGC, é um dos mais comuns no cenário atual.

Trata-se de uma entidade privada, sem fins lucrativos, que visa administrar de forma protetiva os depositantes e investidores dentro do cenário econômico do SFN. É importante frisar que, mesmo os limites estabelecidos por meio de regulamentação que em certa parte vão de encontro às instituições financeiras associadas ao FGC, como casos de intervenção ou liquidação extrajudicial, reconhecidas pelo Banco Central do Brasil, visam contribuir com a missão institucional de manter a estabilidade do Sistema Financeiro Nacional, buscando evitar uma possível crise bancária sistêmica e fazendo com que as instituições associadas, seja de forma direta ou por intermédio de empresas indicadas, possam dispor de assistência de suporte financeiro por meio de contratação de operações com esse fim.

As formas de garantia, tanto para concessão quanto para investimento, são as mais seguras na tentativa de estabelecer uma economia mais estável.

Saiba mais nas Apostilas para Técnico Bancário e demais cargos do Banpará 2018

Outros links que podem ajudar:

https://www.bcb.gov.br/fis/fgc/introducao-fgc.asp

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-76122008000100009

https://www.fgc.org.br/garantia-fgc/perguntas-e-respostas

Conteúdo das Provas de Técnico Bancário - Banpará 2018

CONHECIMENTOS BÁSICOS LÍNGUA PORTUGUESA

1. Ortografia oficial, tipologia textual, acentuação gráfica; 2. Flexão nominal e verbal; 3. Emprego das classes de palavras; 4. Pronomes: emprego, formas de tratamento e colocação; 5. Tempos e modos  verbais;  6.  Vozes  do  verbo;  7.  Concordância  nominal  e  verbal;  8.  Regência  nominal  e verbal; 9. Crase; 10. Pontuação; 11. Significação das palavras; 12. Homônimos e parônimos; 13. Compreensão e interpretação de texto.

RACIOCÍNIO LÓGICO

1. Estrutura lógica de relações arbitrárias entre pessoas, lugares, objetos ou eventos fictícios; 2. Deduzir  novas  informações  das  relações  fornecidas  e  avaliar  as  condições  usadas  para estabelecer a estrutura daquelas relações; 3. Compreensão e elaboração da lógica das situações, por  meio  de:  raciocínio  verbal;  raciocínio  matemático  (que  envolva,  dentre  outros,  conjuntos numéricos  racionais  e  reais  –  operações,  propriedades,  problemas  envolvendo  as  quatro operações,  nas  formas  fracionária  e  decimal;  Conjuntos  numéricos  complexos;  Números  e grandezas  proporcionais;  razão  e  proporção;  divisão  proporcional;  regra  de  três  simples  e composta; porcentagem); 4. Raciocínio sequencial; Orientação espacial e temporal; 5. Formação de conceitos; Discriminação de elementos. Compreensão do processo lógico que, a partir de um conjunto de hipóteses, conduz, de forma válida, a conclusões determinadas.

NOÇÕES DE INFORMÁTICA

1. Conceitos básicos do hardware, periféricos de um microcomputador e software; 2. Conceitos de tecnologias relacionadas à Internet e Intranet, Protocolos Web, World Wide Web, Navegador Internet (Internet Explorer e Google Chrome 6), busca e pesquisa na Web; 3. Conceitos de proteção e segurança, vírus e ataques a computadores; 4. Correio eletrônico Microsoft Outlook – versão 2007 ou superior: conceitos; aplicativos; envio e recebimento de mensagens; arquivos anexos; utilização de listas de distribuição de mensagens; 5. Conhecimento em Microsoft Office: Word, Excel e Power Point – versão 2007 ou superior; Libre Office 5.3; 6. Conhecimentos básicos em ambientes Windows: XP SP3 e Microsoft Windows 7; 7. Conceitos de organização de arquivos e métodos de Ace.

CONHECIMENTOS GERAIS

1.  Domínio  de  tópicos  relevantes  de  diversas  áreas,  tais  como:  Política,  economia,  sociedade, educação, tecnologia, energia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável, segurança, artes e literatura e suas vinculações históricas, a nível regional, nacional e internacional e noções de Direitos Humanos.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MATEMÁTICA

1. Números inteiros, racionais e reais; 2. Razão e proporção; divisão proporcional; regra de três simples  e  composta;  porcentagem;  3.  Juros  simples  e  compostos.  Taxas  de  juros:  nominal, efetiva, equivalente, proporcional, real e aparente; 4. Rendas uniformes e variáveis; 5. Planos de amortização  de  empréstimos  e  financiamentos;  6.  Cálculo  financeiro:  custo  real  efetivo  de operações de financiamento, empréstimo e investimento; 7. Inflação, variação cambial e taxa de
juros; 8. Análise de investimentos: método do valor anual uniforme equivalente, método do valor presente.

ATENDIMENTO E ÉTICA

Noções de Atendimento: 1. Legislação: Lei n°. 8.078/90 (Código de Defesa do Consumidor); Lei nº. 10.048/00; Lei Federal nº. 10.098/00; Decreto Federal nº. 5.296/04; Resolução CMN nº4.433, de 23/07/15 – Sobre a constituição e o funcionamento de componente organizacional de ouvidoria pelas instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil; 2. Marketing em empresas de serviços: Marketing de relacionamento; 3. Satisfação, valor e retenção  de  clientes;  4.  Propaganda  e  promoção;  Telemarketing;  5.  Etiqueta  empresarial: comportamento, aparência, cuidados no atendimento pessoal e telefônico. 6. Vendas: técnicas, planejamento, motivação para vendas; relações com clientes; 7. Segmentação de mercado versus segmentação do setor bancário. Noções de Ética: 1. Conceitos: ética, moral, valores e virtudes; 2. Ética aplicada: Noções de ética empresarial e profissional; 3. O padrão ético no serviço público; A  gestão  da  ética  nas  empresas  públicas  e  privadas;  conflito  de  interesses;  ética  e responsabilidade social.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

1. Abertura e movimentação de contas: documentos básicos; 2. Pessoa física e pessoa jurídica: capacidade e incapacidade civil, representação e domicílio; 3. Documentos comerciais e títulos de crédito: nota promissória, duplicata, fatura. Nota fiscal: principais características; 4. Documento deCrédito  (DOC):  noções  básicas;  5.  Cheque  -  requisitos  essenciais,  circulação,  endosso, cruzamento, compensação; 6. Sistema de Pagamento Brasileiro; 7. Tipos de sociedade: em nome coletivo,  por  quotas  de  responsabilidade  limitada, anônimas,  firma  individual  ou  empresária;  8. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional (SFN): Conselho Monetário Nacional; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos comerciais; caixas econômicas; cooperativas de crédito; bancos comerciais cooperativos; bancos  de  investimento;  bancos  de  desenvolvimento; sociedades  de  crédito,  financiamento  e investimento; sociedades de arrendamento mercantil; sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários; sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários; bolsas de valores; bolsas de mercadorias  e  de  futuros;  Sistema  Especial  de  Liquidação  e  Custódia  (SELIC);  Central  de Liquidação  Financeira  e  de  Custódia  de  Títulos  (CETIP);  sociedades  de  crédito  imobiliário; associações  de  poupança  e  empréstimo;  Sistema  de  Seguros  Privados:  sociedades  de capitalização; Previdência Complementar: entidades abertas e entidades fechadas de previdência privada;  9.  Tipos  de  garantias  -  Garantias  pessoais:  aval;  fiança.  Garantias  reais:  alienação fiduciária; penhor; hipoteca; fianças bancárias; Fundo Garantidor de Crédito (FGC); 10. Noções de política econômica, noções de política monetária, instrumentos de política monetária, formação da taxa de juros; 11. Produtos e serviços financeiros: depósitos à vista; depósitos a prazo (CDB e RDB); cobrança e pagamento de títulos, boletos e carnês; transferências automáticas de fundos; arrecadação de tributos e tarifas públicas; home banking, mobile banking, banco virtual; cartão de crédito  (dinheiro  de  plástico);  fundos  mútuos  de  investimento;  hot  money;  contas  garantidas; crédito  rotativo;  descontos  de  títulos;  financiamento  de  capital  de  giro;  leasing  (tipos, funcionamento, bens); financiamento de capital fixo; crédito direto ao consumidor; empréstimo em consignação;  cadernetas  de  poupança;  cartões  de  crédito;  títulos  de  capitalização;  planos  de aposentadoria  e  pensão  privados;  planos  e  apólices de  seguros;  12.  Mercado  Financeiro  - mercado monetário; mercado de crédito; mercado de capitais: ações - características e direitos, debêntures,  diferenças  entre  companhias  abertas  e  companhias  fechadas,  funcionamento  do mercado  à  vista  de  ações,  mercado  de  balcão;  mercado  de  câmbio:  instituições  autorizadas  a operar;  operações  básicas;  contratos  de  câmbio  -  características;  taxas  de  câmbio;  remessas; SISCOMEX; 13. Mercado Primário e Mercado Secundário.

Tópico: Banpará