Concurso ADAGRO PE 2018/2019: Edital com 140 VAGAS; até R$ 4.860!

Vagas para Assistente de Defesa Agropecuária e Fiscal Estadual no concurso ADAGRO PE 2018/2019 (Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco).

A Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (ADAGRO PE) publicou a prorrogação das inscrições do edital n.º 001/2018 do seu novo processo de seleção pública. Organizado pela equipe técnico-operacional do IAUPE, o concurso ADAGRO PE 2018/2019 vai preencher vagas nos cargos de Assistente de Defesa Agropecuária e Fiscal Estadual Agropecuário.

O anúncio da prorrogação das inscrições foi feito no Diário Oficial do Estado, edição do dia 19 de outubro de 2018, nesta publicação também foi divulgado que os conteúdos programáticos de todos os cargos passaram por alterações.

A remuneração mensal inicial para os cargos em oferta será de R$ 2.601,93 ou R$ 4.860,21 e todos cumprirão jornada semanal de 40 horas.

As unidades regionais de lotação dos aprovados e convocados serão as situadas em Caruaru, Garanhuns, Ouricuri, Palmares, Petrolina, Recife, Salgueiro, Sanharó, Serra Talhada, Sertânia e Surubim.

VAGAS

A distribuição das vagas da ADAGRO PE é a seguinte: 90 oportunidades para o cargo de Assistente de Defesa Agropecuária e 50 para o cargo de Fiscal Estadual Agropecuário. Desse total, está reservado o percentual legal de vagas para pessoa com deficiência.

Os candidatos que quiserem concorrer ao cargo de Assistente de Defesa Agropecuária precisam ter diploma de nível técnico nas áreas de Técnico em Agropecuária ou Técnico Agrícola.

Para disputar as vagas de Fiscal Estadual Agropecuário é preciso, por sua vez, possuir diploma de nível superior em Medicina Veterinária ou em Agronomia e inscrição no respectivo Conselho de classe.

Os requisitos gerais (válidos para ambos os cargos) são: ter nacionalidade brasileira ou portuguesa (neste caso, conforme a legislação); estar em dia com as obrigações eleitorais; ter certificado de reservista ou de dispensa de incorporação, em caso do candidato do sexo masculino; ter idade mínima de 18 anos completos ou ser emancipado civilmente; gozar de boa saúde; não acumular cargos, empregos ou funções públicas, salvo nos casos constitucionalmente admitidos; não possuir antecedentes criminais ou civis incompatíveis; e possuir carteira nacional de habilitação (CNH) atualizada, no mínimo categoria B.

Inscrições

Agora as inscrições poderão ser feitas até o dia 18 de novembro de 2018, através do site www.upenet.com.br.

O candidato deverá indicar o cargo e a região a que pretende concorrer e efetuar o pagamento da taxa de inscrição, através de boleto bancário, em qualquer Agência bancária ou nas Casas Lotéricas, até a data prevista no cronograma, nos valores de R$ 50,00 para o cargo de Assistente de Defesa Agropecuária e de R$ 64,00 para o de Fiscal Estadual Agropecuário.

Provas Concurso ADAGRO 2018/2019

O concurso terá apenas uma única etapa, de prova objetiva de conhecimentos, de caráter eliminatório e classificatório, e que visará avaliar o grau de conhecimento e habilidade do candidato para o desempenho das atribuições do cargo a que irá concorrer.

A prova objetiva será aplicada no dia provável 03 de fevereiro de 2019 nas cidades de: Recife, Nazaré da Mata, Garanhuns, Caruaru, Palmares, Arcoverde, Salgueiro e Petrolina. Essa prova constará de 50 questões de múltipla escolha nas áreas de Língua Portuguesa, Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos (Legislação Agropecuária).

Dicas para as provas da SES PE 2018: elementos de coesão

Os elementos de coesão são aqueles os que ligam as frases ou palavras dentro de um texto. Podemos dizer que tais elementos são responsáveis pela organização das ideias no plano da linguagem textual. É o uso correto desses conectivos que dará ao texto a consistência necessária para a compreensão, isto é, para que o texto comunique alguma coisa.

Dentre esses elementos, citemos os pronomes relativos e as conjunções. Muitos professores de cursinhos presenciais ou online aconselham, inclusive, que os candidatos - além de compreenderem a "lógica" por trás de cada um - memorizem pelo menos uma parte desses elementos, pois isso poderá fazer toda a diferença na hora da prova.

Com relação às conjunções, temos as coordenativas, que são:

Adição: e, nem, mas também. Julia come e brinca.
Adversidade (oposição): entretanto, mas, porém, contudo, todavia. Joana foi à sorveteria, porém não tomou sorvete.
Alternância: ora... ora, ou... ou, seja... seja, quer... quer. Camila ora estuda, ora brinca.
Conclusão: Portanto, pois (após o verbo), logo. Penso logo existo!
Explicação: Porque, que, pois (antes do verbo). Estudem muito, pois só assim serão aprovados.

Já as conjunções subordinativas são:

Causa: Já que, visto que, como, porque. Já que faltou a aula terá que copiar a matéria de um colega.
Comparação: Assim como, mais... que, menos... que, tão/tanto... como. Beatriz é mais esperta do que sua prima.
Concessão: ainda que, mesmo que, conquanto, embora. Mesmo que esteja doente, ainda irei à inauguração do restaurante.
Condição: Caso, desde que, a menos que, se, a não que. Desde que voltou, está mais esperta.
Conformidade: como, segundo, conforme. Fizeram tudo conforme o combinado.
Consequência: de modo que, tão/tanto... que. Comeu tanto, que teve distúrbio intestinal.
Finalidade: a fim de que, para que. Trabalhou muito a fim de ser reconhecido.
Proporcionalidade: à proporção que, à medida que. À medida que crescia, ficava mais bonita.
Tempo: logo que, mal, enquanto, assim que, quando. Quando chegou, a reunião já havia começado.

Os pronomes relativos, por sua vez, são estes, principalmente:

Que: usado em relação a coisas ou pessoas. Este é o livro que você está lendo.
Quem: refere-se apenas a pessoas e sempre vem preposicionado. Esta é a garota a quem ele amava.
Cujo: indica posse, vem entre dois substantivos e concorda com o mesmo. Este é o escritor cuja obra eu li.
Onde: equivale a em que ou no qual, é empregado para indicar local. Onde eu estou morando é muito bonito.
Quanto: vem precedido de um pronome indefinido: tudo, tanta, todo, todas. Tenho tudo quanto preciso.
Quando: é um pronome relativo quando o antecedente dá ideia de tempo. Em janeiro quando eu estava na casa da minha avó eu cai da árvore.
As palavras “que” e “se”, além de serem conjunções e pronomes também tem outras funções. Fique atento! A palavra “que” pode ser: conjunção, substantivo, preposição, partícula expletiva ou de realce, advérbio, pronome, interjeição.

E a palavra “se” pode ser: parte integrante do verbo, conjunção, partícula expletiva ou de realce, partícula apassivadora, pronome reflexivo, índice de indeterminação do sujeito.

Algumas orações com exemplos das funções do “que”:

O quê! Seu cachorro sumiu? (interjeição)

Ele tem certo quê misterioso. (substantivo)

Tenho que ir embora. (preposição)

Quase que ela não chega a tempo. (partícula expletiva ou de realce)

Que barato! (adverbio)

Não encontramos as pessoas que saíram. (pronome relativo)

Que aconteceu com você? (pronome substantivo)

Que vida é essa? (pronome adjetivo)

Venha logo, que é tarde. (conjunção)

E alguns exemplos das funções do “se”:

Perguntei se ele estava triste. (conjunção)

Se todos tivessem prestado atenção, as notas teriam sido boas. (Conjunção subordinativa condicional)

Passavam-se as horas e nada mudava. (partícula expletiva ou de realce)

Ele arrependeu-se do que fez. (parte integrante do verbo)

Vendem-se apartamentos. (partícula apassivadora)

Precisa-se de vendedores. (índice de indeterminação do sujeito)

Ele cortou-se com a faca. (objeto direto)

Ele se atribui muito valor. (objeto indireto)

Camila deixou-se estar à janela. (sujeito de um infinitivo).

Atividades da ADAGRO PE

Planejar, elaborar, coordenar e executar programa de promoção e proteção da saúde animal e vegetal e a educação zoofitossanitária, constituindo-se na autoridade estadual de sanidade agropecuária;

Fiscalizar a entrada, o trânsito, o comércio, o beneficiamento de produtos, subprodutos e derivados de origem animal e vegetal, inclusive atividades em propriedades rurais no território pernambucano;

Levantar, mapear e monitorar as ocorrências zoofitossanitárias no território pernambucano, objetivando o estabelecimento de ações de prevenção e controle de pragas e doenças dos vegetais e animais;

Exercer as atividades de vigilância epidemiológica, profilaxia e controle de pragas e doenças animais e vegetais;

Fiscalizar e inspecionar as pessoas físicas e jurídicas de direito público e privado, que manipulem, produzem, beneficiem, classifiquem, armazenem, transportem ou comercializem produtos e derivados agropecuários e insumos do setor primário;

Registrar no que couber, cadastrar, fiscalizar e inspecionar pessoas físicas e jurídicas que produzem, comercializam e distribuem produtos quimioterápicos, biológicos, agrotóxicos e afins, demais produtos agropecuários, bem como prestadores de serviços zoofitossanitários;

Aplicar multas e outras sanções aos infratores das leis, decretos, portarias e normas de defesa sanitária animal e vegetal ou de produtos correlatos, que regem as atividades da ADAGRO;

Interditar, por descumprimento de medida sanitária, profilática ou preventiva, estabelecimento público ou particular e proibir o trânsito de animais, vegetais e seus subprodutos em desacordo com a regulamentação sanitária;

Desenvolver estudos e executar ações objetivando o estabelecimento de áreas livres de ocorrência quarentenária;

Gerir o Fundo de Defesa Agropecuária de Pernambuco;

Exercer outras atividades correlatas.

Edital e atualizações

O edital completo e demais atualizações devem ser obrigatoriamente acompanhados no site do IAUPE. A versão oficial do edital foi publicada no Diário Oficial do Estado de Pernambuco, de 22 de setembro de 2018.

Compartilhe