Concurso ITEP - RN

Concurso executado pelo Instituto AOCP oferece 156 vagas para profissionais de níveis médio e superior, com remuneração de até R$ 7.440,00.

O Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (ITEP - RN) está realizando concurso público regido pelo edital n.º 003/2017, cujo objetivo é a contratação de 156 profissionais de níveis médio e superior, sob o regime estatutário. Os contratados irão receber remuneração inicial de até R$ 7.440,00, por jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Cargos

Agente de Necrópsia, Agente Técnico Forense, Perito Criminal (áreas de Ciências Contábeis, Ciências Biológicas, Engenharia Civil, Ciências da Computação, Engenharia Elétrica, Química, Farmácia Bioquímica e Psicologia) e Perito Médico Legista (Médico e Médico Psiquiatra). Às pessoas com deficiência serão reservadas 5% das vagas.

Inscrições

Os interessados devem se inscrever a partir das 8h do dia 1 de novembro às 23h59min do dia 19 de dezembro de 2017, observado horário oficial de Brasília, através do endereço eletrônico www.institutoaocp.org.br. Será cobrada taxa de inscrição nos seguintes valores:

Nível médio: R$ 70,00;
Nível superior: R$ 110,00.

Provas 

As provas objetivas e discursivas serão aplicadas na data provável de 4 de fevereiro de 2018, em horário e local a ser informado no site do Instituto AOCP e no cartão de informação do candidato. O gabarito preliminar será divulgado um dia após a aplicação, lembrando também que haverá ainda as etapas de curso de formação profissional e avaliação de títulos.

Este concurso será válido por 180 dias a contar da data de homologação do certame, podendo ser prorrogado por igual período a critério do ITEP/RN.

***

Dicas para as provas do ITEP/RN: Medicina Legal

Medicina legal é o ramo da medicina que dedica seus estudos, conhecimentos e ações para o ramo jurídico. Tem como objetivo ajudar na interpretação e formulação de relatórios relacionados a esclarecimentos de acontecimentos que envolvem a justiça, no âmbito do Direito constituído.

Além disso, a medicina legal ajuda na elaboração e execução das leis. Esse ramo do conhecimento pode ser dividido em três grupos de estudos e atuação, que são:

  • Medicina Legal judiciária: trata da parte relacionada ao Direito Penal, Direito Processual, Direito Civil. Inclui vários temas, como: Tanatologia, Medicina Legal Psiquiatria, Criminalística, Medicina legal, Medicina Legal Sexóloga, Traumatologia, Medicina Legal Psiquiátrica e Psicologia Forense.·.
  • Medicina legal social: É o ramo que se dedica à Medicina Legal trabalhista, Medicina Legal preventiva e Medicina Legal Securitária.
  • Medicina legal profissional: É o ramo que trata dos direitos e deveres dos médicos.

Morte natural e morte violenta

Esses são dois conceitos de morte presentes na medicina Legal existem certos tipos de classificação e subclassificação para as mortes ocorridas.  A morte natural pode ser dividida em assistida e não assistida. Veja abaixo a diferença:

  • Morte natural assistida: É quando o indivíduo morre e o médico, que já o acompanhava, dá o aval da morte, o atestado de óbito. Isso ocorre quando não há suspeitas de morte violenta.
  • Morte natural não assistida: refere-se às pessoas que não estão sendo acompanhadas por um médico e vêm a falecer. Dessa forma, é necessário pedir a verificação do óbito por um local que presta esse serviço, ou pedir que o corpo seja encaminhado para o IML mais próximo, a fim de realizar tal verificação.

A morte violenta pode ser dividida em pelo menos três classes:

  • Acidente: Quando a causa não tem relação com a intenção da ação ou com alguma omissão.
  • Suicídio: Ação de autolesão.
  • Crime: Neste caso, o óbito é dado apenas pelo Instituto Médico Legal (IML) e o delegado é quem requisita o exame no Instituto.

A morte suspeita é caracterizada quando não se tem certeza se ela se deu por uma causa suspeita ou por uma causa violenta, sendo, dessa forma, considerada como de causa desconhecida.

Tipos de morte violenta

Na medicina legal, quando ocorre uma morte violenta, o cadáver passa a ser de interesse jurídico e policial e o corpo deve ser mandado para o IML, para análise e a emissão de um laudo que explique o motivo da morte.

Existem alguns indícios que podem ser considerados de morte violenta. Um deles é o tipo de trauma e ou de lesão que ficam no corpo, mesmo depois de constatada a morte. Exemplos práticos de morte violenta são os homicídios, os suicídios e os acidentes de trânsito, como um exemplo mais abrangente.

Armas, Instrumentos e munições

Através da medicina legal é possível identificar por qual tipo de instrumento, arma e munição foi feito determinado ferimento encontrado no cadáver. O ramo da medicina legal que é responsável por explicar essa área é a Traumatologia Forense. Conheça um pouco mais sobre essa ciência. 

Saiba mais comprando as Apostilas completas do ITEP RN

Balística

A Balística é responsável pelo estudo dos projéteis e armas usadas na morte de alguém. As armas de fogo são criações mecânicas que lançam os projéteis através da combustão da pólvora.

Munições

Existem os cartuchos que são munições para espingardas e possuem, em 1 cartucho, vários projéteis conhecidos como balins. Há também os chamados chumbos que possuem formato arredondado, com vários tamanhos.

Instrumentos

Alguns instrumentos podem causar lesões e morte no indivíduo. Veja abaixo alguns tipos dos instrumentos mais conhecidos:

  • Instrumentos mecânicos: cortantes, perfurantes, contundentes, perfuro contundentes, corto-contundente, pérfuro-cortante.

Tipos e características de lesões

  • Lesões perfurantes: São causadas por instrumentos finos e pontiagudos.
  • Lesões cortantes: São causados por deslizamento de um gume afiado em linha reta na pele.
  • Feridas contundentes: São lesões mais fáceis de visualizar externamente, são elas:
    • Rubefação: Manchas avermelhadas. Congestão de uma parte do corpo de forma passageira.
    • Equimose: A hemorragia interna vai pra dentro da malha no tecido, há variação de cores que vão desde a violeta, passando pelo azul, esverdeada, amarelada e então desaparece. Cada cor mostra há quanto tempo ocorreu a equimose.
    • Escoriação: Arrancamento da parte superficial da derme, onde flui sangue e serosidade.
    • Hematoma: Causa inchaço, uma espécie de relevo na pele e vermelhidão. Ocorre pelo extravasamento de um vaso sanguíneo. É mais comum em traumas no couro cabeludo, no qual a saliência deixada é bem perceptível.
    • Bossa sanguínea: É apresentado em cima ou perto do osso.
    • Luxação: É o deslocamento de 2 ossos e os mesmos perdem a articulação.
    • Entorse: Ruptura do ligamento.
    • Fratura: Osso fraturado. Fechada, a pele por fora está intacta. Aberta, a pele por fora foi rompida.
    • Rotura de vísceras: Lesões profundas que atingiram os órgãos.
    • Empalamento/ Encravamento: Penetração de um objeto afiado no corpo do indivíduo.