SESDEC - RO abre vagas na Polícia e Corpo de Bombeiros Militar

A Secretaria da Segurança de Rondônia oferece 200 vagas de nível médio para serviço voluntário na Polícia e Corpo de Bombeiros Militar.

A Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania de Rondônia (SESDEC - RO) publicou o edital n° 001/2017 de seleção para ingresso no Programa de Prestação Voluntária de Serviço Administrativo (PPVSA) na Polícia e Corpo de Bombeiro Militar.

O certame oferece 200 vagas (176 para a PM e 24 para o CBM), para atuação nos municípios de Porto Velho, Candeias do Jamari, Ji-Paraná, Vilhena, Pimenteiras d'Oeste, Colorado d'Oeste, Cocal, Rolim de Moura, Pimenta Bueno, Espigão d'Oeste, Guajará-Mirim, Nova Mamoré, Ariquemes, Cujubim, Jaru, Machadinho d'Oeste, Buritis, Ouro Preto d'Oeste, Cerejeiras e Cacoal. O candidato aprovado e convocado fará jus a auxílio mensal de natureza indenizatória no valor bruto de R$ 1.000,00, mais benefícios, já com previsão de reajuste, se o contrato for renovado.

Entre os requisitos exigidos ao Prestador Voluntário estão: ter concluído o ensino médio; ser brasileiro; estar comprovadamente desempregado no ato da assinatura do contrato; ter no mínimo 18 e máximo de 23 anos incompletos até o último dia de inscrição; e estar em dia com as obrigações eleitorais. Esses servidores atenderão as demandas de atendimento telefônico no Centro Integrado de Operações PM e BM na capital e Centro de Operações PM e BM nas demais localidades, bem como as de vídeo monitoramento e Serviços Administrativos nas organizações policiais e bombeiros militares.

As inscrições podem ser realizadas até 26 de julho de 2017, através do site do CBM (http://www.cbm.ro.gov.br/concursopvsa). A taxa de inscrição será de R$ 50,00.

Os candidatos serão selecionados por meio de prova teórica (prevista para 13 de agosto de 2017), inspeção de saúde, investigação social e curso de formação. Todas as fases do certame serão realizadas nas seguintes cidades: Porto Velho, Guajará-Mirim, Ariquemes, JiParaná, Cacoal e Vilhena nas demais datas informadas no edital. 

A prestação voluntária de serviço administrativo será de um ano, sem geração de vínculo empregatício, prorrogável por igual período, desde que haja manifestação expressa do Prestador Voluntário e interesse da corporação.

Confira o edital: http://www.diof.ro.gov.br/data/uploads/2017/07/DOE-10-07-2017.pdf (a partir da página 42).

***

Dicas de Português para SESDEC: relações e sentidos entre orações e elementos de coesão textual

Os elementos de coesão textual são os que ligam as frases ou palavras dentro de um texto. Dessa forma, os enunciados ganham em coerência, as ideias são concatenadas. A coesão se estabelece basicamente pelo uso correto dos conectivos, entre eles os pronomes relativos e as conjunções.

Para ilustrar como se processa a coesão textual, analisemos as conjunções coordenativas, que expressam tradicionalmente as seguintes ideias/circunstâncias:

Adição: e, nem, mas também. Julia come e brinca.

Adversidade (oposição): entretanto, mas, porém, contudo, todavia. Joana foi à sorveteria, porém não tomou sorvete.

Alternância: ora... ora, ou... ou, seja... seja, quer... quer. Camila ora estuda, ora brinca.

Conclusão: Portanto, pois (após o verbo), logo. Penso logo existo!

Explicação: Porque, que, pois (antes do verbo). Estudem muito, pois só assim serão aprovados.

E temos as conjunções subordinativas, que são:

Causa: Já que, visto que, como, porque. Já que faltou a aula terá que copiar a matéria de um colega.

Comparação: Assim como, mais... que, menos... que, tão/tanto... como. Beatriz é mais esperta do que sua prima.

Concessão: ainda que, mesmo que, conquanto, embora. Mesmo que esteja doente, ainda irei à inauguração do restaurante.

Condição: Caso, desde que, a menos que, se, a não que. Desde que voltou, está mais esperta.

Conformidade: como, segundo, conforme. Fizeram tudo conforme o combinado.

Consequência: de modo que, tão/tanto... que. Comeu tanto, que teve distúrbio intestinal.

Finalidade: a fim de que, para que. Trabalhou muito a fim de ser reconhecido.

Proporcionalidade: à proporção que, à medida que. À medida que crescia, ficava mais bonita.

Tempo: logo que, mal, enquanto, assim que, quando. Quando chegou, a reunião já havia começado.

E os pronomes relativos, que são:

Que: usado em relação a coisas ou pessoas. Este é o livro que você está lendo.

Quem: refere-se apenas a pessoas e sempre vem preposicionado. Esta é a garota a quem ele amava.

Cujo: indica posse, vem entre dois substantivos e concorda com o mesmo. Este é o escritor cuja obra eu li.

Onde: equivale a em que ou no qual, é empregado para indicar local. Onde eu estou morando é muito bonito.

Quanto: vem precedido de um pronome indefinido: tudo, tanta, todo, todas. Tenho tudo quanto preciso.

Quando: é um pronome relativo quando o antecedente dá ideia de tempo. Em janeiro quando eu estava na casa da minha avó eu cai da árvore.

As palavras “que” e “se”, além de serem conjunções e pronomes também tem outras funções. Fique atento!

A palavra “que” pode ser: conjunção, substantivo, preposição, partícula expletiva ou de realce, advérbio, pronome, interjeição.

E a palavra “se” pode ser: parte integrante do verbo, conjunção, partícula expletiva ou de realce, partícula apassivadora, pronome reflexivo, índice de indeterminação do sujeito.

Seguem alguns exemplos das funções do “que”:

 O quê! Seu cachorro sumiu? (interjeição)

Ele tem certo quê misterioso. (substantivo)

Tenho que ir embora. (preposição)

Quase que ela não chega a tempo. (partícula expletiva ou de realce)

Que barato! (adverbio)

Não encontramos as pessoas que saíram. (pronome relativo)

Que aconteceu com você? (pronome substantivo)

Que vida é essa? (pronome adjetivo)

Venha logo, que é tarde. (conjunção)

E alguns exemplos das funções do “se”:

Perguntei se ele estava triste. (conjunção)

Se todos tivessem prestado atenção, as notas teriam sido boas. (Conjunção subordinativa condicional)

Passavam-se as horas e nada mudava. (partícula expletiva ou de realce)

Ele arrependeu-se do que fez. (parte integrante do verbo)

Vendem-se apartamentos. (partícula apassivadora)

Precisa-se de vendedores. (índice de indeterminação do sujeito)

Ele cortou-se com a faca. (objeto direto)

Ele se atribui muito valor. (objeto indireto)

Camila deixou-se estar à janela. (sujeito de um infinitivo)