FHGV - RS abre concurso e seletivos

Com mais de 200 vagas para profissionais de todos os níveis de ensino, a Fundação Hospitalar Getúlio Vargas - FHGV, oferta vencimentos de até R$ 8.140,78.

A Fundação Hospitalar Getúlio Vargas (FHGV), localizada no estado do Rio Grande do Sul, abriu por meio da Fundação La Salle, quatro novos editais de concurso público e processos seletivos. Todos visam preencher 206 vagas e formar cadastro de reserva em empregos de ensino fundamental, médio e superior, para lotação nos municípios de Sapucaia do Sul, Lajeado, Pelotas e Tramandaí.

No edital 01/2018 há 44 vagas para a cidade de Sapucaia do Sul, nos empregos de Técnico em Enfermagem Socorrista, Técnico em Hidráulica, Técnico em Informática, Enfermeiro Socorrista, Médico Anestesiologista, Médico Cardiologista, Médico Cirurgião Torácico, Médico Clínico para Atendimento Adulto e Infantil, Médico Clínico Plantonista, Médico Clínico Rotineiro, Médico Gastroenterologista, Médico Gineco-Obstetra Plantonista, Médico Hematologista, Médico Neonatologista Rotineiro, Médico Neurocirurgião, Médico Neurologista, Médico Pediatra Plantonista, Médico Pediatra Rotineiro, Médico Pneumologista, Médico Psiquiatra Rotineiro, Médico Radiologista Intervencionista, Médico Reumatologista, Médico Socorrista e Médico Traumatologista.

Apostilas da FHGV para Técnico de Enfermagem e outros empregos de nível médio/técnico/superior (COMUM A TODOS)


O edital 03/2018 disponibiliza 37 vagas na cidade de Lajeado para os empregos de Auxiliar de Manutenção, Auxiliar de Serviços Gerais, Técnico em Enfermagem, Técnico em Segurança do Trabalho e Médico Clínico para Atendimento Adulto e Infantil.

Já no edital 04/2018 conta com 5 vagas na cidade Pelotas nos empregos de Técnico em Segurança do Trabalho e Médico Clínico para Atendimento Adulto e Infantil.

E por fim, o edital 05/2018 oferta 120 vagas para o município de Tramandaí nas ocupações de Auxiliar de Manutenção, Auxiliar de Segurança, Técnico em Enfermagem, Técnico em Enfermagem com Instrumentação Cirúrgica, Técnico de Radiologia, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico Anestesiologista, Médico Auditor, Médico Cirugião Geral Rotineiro, Médico Cirurgião Vascular, Médico Clínico Rotineiro, Médico do Trabalho, Médico Ecografista, Médico Gineco-Obstetra Rotineiro, Médico Hematologista, Médico Infectologista, Médico Intensivista Rotineiro, Médico Neonatologista Plantonista, Médico Neonatologista Rotineiro, Médico Neurocirurgião Plantonista, Médico Pediatra Plantonista, Médico Pediatra Rotineiro, Médico Radiologista, Médico Traumatologista Plantonista, Médico Traumatologista Rotineiro, Nutricionista e Psicólogo.

De acordo com os editais, os vencimentos oferecidos pela Fundação podem chegar até R$ 8.140,78, em jornadas trabalhistas de até 200 horas mensais.

As inscrições devem ser feitas até o dia 05 de março de 2018, pela internet, através do site www.fundacaolasalle.org.br/concursos. A taxa de inscrição varia de R$ 30,00 a R$ 100,00.

As provas objetivas serão aplicadas provavelmente no dia 25 de março de 2018, sendo os locais e horários divulgados antecipadamente. Já os gabaritos provisórios sairão no dia seguinte ao da aplicação, pelo site da Fundação La Salle.

Os certames terão validade de um ano, a contar da data de publicação do edital de encerramento, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da FHGV.

O edital completo e demais atualizações sobre estes certames devem ser obrigatoriamente acompanhados na págia da FUNDAÇÃO LA SALLE. http://fundacaolasalle.org.br/concursos/

***

Dicas para as provas da FHGV/RS: Código de Ética em Enfermagem

O Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem (CEPE) é um documento que reúne os princípios fundamentais para a conduta profissional de Enfermeiros, Técnicos de Enfermagem, Auxiliares de Enfermagem, Obstetrizes e Parteiras e Atendentes de Enfermagem. Aprovada e editada pelo Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), a resolução com a versão mais recente do CEPE foi publicada no Diário Oficial da União no dia 6 de novembro de 2017, entrando em vigor 120 dias após sua publicação.

A nova revisão reúne os direitos, os deveres, as proibições, as infrações, as proibições e as infrações e penalidades a serem observados e cumpridos durante o exercício da profissão. Este breve artigo visa apresentar, de forma prática, os principais pontos dispostos no novo CEPE. É importante destacar que o profissional da área não estará isento da leitura completa do documento original.

O que é a Enfermagem?

É “uma ciência, arte e uma prática social” essencial para a área da saúde e comprometida com o cuidado ao ser humano. O profissional desta área é responsável por prestar cuidados conforme a necessidade da pessoa, família e coletividade.

Direitos

O Art. 1º do COFEN garante o direito de exercer a profissão com liberdade, segurança, autonomia, livre de discriminação e em consonância com os princípios legais, de direitos humanos e da ética. Aos profissionais da Enfermagem também deve ser dado o direito de trabalhar em um local que respeite sua dignidade humana, proteja seus direitos e permita que o exercício de sua função seja desenvolvido sem riscos à sua integridade física e psicológica.

Receber todas as informações necessárias para o desempenho de suas funções também lhe é garantido, assim como o poder de recusar-se a revelar informações confidenciais que tenham chegado a ele nesta mesma circunstância. Conforme disposto no documento, o profissional de Enfermagem pode recusar-se a ser filmado, fotografado ou exposto em mídias sociais enquanto desempenha seu trabalho.

Outro direito importante garantido no CEPE é o de negar-se a desempenhar atividades que estejam em desacordo com sua competência, que ofereçam risco à sua própria segurança, ou à segurança de terceiros.

Deveres

O exercício da profissão de Enfermagem deve ser feito com “justiça, compromisso, equidade, resolutividade, dignidade, competência, responsabilidade, honestidade e lealdade”. As relações devem ser baseadas no direito, na solidariedade e no respeito às diversidades.

Caso seja observada alguma ação que fira os dispositivos ético-legais da profissão, ele deve informar imediatamente ao Conselho Regional de Enfermagem e aos órgãos competentes.

Outro dever a ser destacado é o de disponibilizar ao paciente todas as informações necessárias à boa continuidade de sua assistência, esclarecendo seus direitos, riscos e benefícios em todas as etapas de sua assistência.

O exercício da função deve ser livre de discriminações de qualquer natureza. O pudor, a intimidade e a privacidade da pessoa devem ser respeitados tanto em vida, quanto em morte e pós morte. Também cabe ao profissional respeitar as diretivas antecipadas tomadas pelo paciente de forma livre e esclarecida sobre sua saúde. As responsabilidades aceitas pelo profissional devem estar sempre em acordo com sua capacidade técnica, científica e legal.

Sua inscrição profissional precisa ser mantida no Conselho Regional de Enfermagem, bem como os dados cadastrais e as obrigações financeiras devem estar regularizados.

Proibições

O primeiro artigo do Capítulo III do CEPE informa que o profissional não deve executar ações que sejam contrárias ao estabelecido pelo próprio Código de Ética e à legislação vigente referente à Enfermagem.

Assim como disposto nos deveres, reafirma-se que o profissional está proibido de assumir a execução de atividades que estejam fora de sua competência ou que não ofereçam segurança a si mesmo ou a terceiros.

Também é proibido pleitear ou aceitar empregos dos quais profissionais da área tenham se desligado pela necessidade do cumprimento do código de ética ou da legislação que rege a profissão.

É vedada a utilização de seu cargo para obter qualquer tipo de vantagem em troca de assistência profissional, bem como é proibido utilizar-se de seus conhecimentos profissionais para praticar atos criminosos ou contravenções.

Desde que não haja risco à sua própria integridade física, o profissional não deve negar assistência em situações de “urgência, emergência, epidemia, desastre e catástrofe”.

De acordo com o disposto no Art. 74, é proibida a participação ou prática que tem fim a antecipação da morte de outro indivíduo.

Penalidades

Ao desobedecer ou deixar de observar as disposições do Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem e demais códigos regionais, o profissional poderá receber as seguintes penalidades: Advertência Verbal, Multa, Censura, Suspensão do Exercício Profissional e Cassação do direito ao Exercício Profissional.

Para definir a penalidade a ser aplicada, será considerada a gravidade da infração, os agravantes e atenuantes, os danos e resultados, e os antecedentes do infrator.

Benefícios do código

Embora definir um conjunto de princípios a serem seguidos não seja fácil, é preciso assumir tal responsabilidade em benefício da conduta profissional de qualquer categoria.

Por se tratar de uma área que lida essencialmente com o cuidado ao ser humano, o exercício da Enfermagem apresenta sempre desafios que levam à necessidade constante de tomada de decisões importantes por parte de seus profissionais.

Promover uma assistência de saúde adequada, de qualidade e acessível exige ele siga princípios éticos em sua conduta. Ao se deparar com situações que gerem dúvidas durante o exercício de sua função, o profissional de Enfermagem poderá se amparar e encontrar os subsídios necessários nas disposições do CEPE. (redação: Lorena de Sousa)

Saiba mais nas Apostilas para os cargos da FHGV/RS - Técnico em Enfermagem


Concursos RelacionadosVagas
Brigada Militar e Corpo de Bombeiros do Rio Grande do SulNível Superior250
IMESF - Instituto Municipal de ESF de Porto AlegreMédico10
PetrobrasNíveis Médio e Superior111
Polícia CivilDelegado de polícia100
TranspetroNíveis Médio e Superior1.806
Câmara de CerritoNíveis Fundamental e Superior3
Câmara de ImbéNíveis Fundamental e Médio6
Defensoria Pública da União no Rio Grande do SulEstagiário10
Instituto Federal de Educação Farroupilha Todos os níveis de escolaridade38
Prefeitura de Não-Me-ToqueTodos os níveis de escolaridade15
Veja todos » Concursos Abertos