Concurso TJ SE: Edital para ampliação do quadro em pauta

Edital do concurso TJ SE (Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe) não deve demorar. Estudos iniciais já estão sendo feitos.

Cresce a expectativa pela abertura do próximo edital do concurso TJ SE (Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe). Ainda não há publicações oficiais a respeito, porém, é fato que o órgão já trabalha na realização do evento.

Também não há um relatório detalhado sobre o real déficit de servidores do órgão. Mas sabe-se que a necessidade de novas contratações é crescente, principalmente por conta de aposentadorias.

Concurso TJ SE 2014: base para começar os estudos

O concurso TJ SE, assim que for lançado, deverá priorizar as posições de níveis médio e superior, seguindo a tendência óbvia do último edital, que foi lançado em 2014.

Aquele concurso foi executado pelo Cebraspe e, portanto, serve como parâmetro fundamental para a preparação dos candidatos. As remunerações foram de até R$ 4.032,45.

DICAS PARA AS PROVAS TJ SE - Organização do Judiciário Sergipano

O Poder Judiciário do Estado de Sergipe, organizado pela Lei Complementar 88/03 e alterações posteriores, é composto pelo Tribunal de Justiça, Juízes de Direito; Tribunal do Júri e pelo Conselho de Justiça Militar.

A legislação admite também que integrarão os órgãos do Judiciário sergipano, os Tribunais, Turma Recursal, Juízes e Juizados que vierem a ser criados por lei, bem como Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania que for instituído pelo Tribunal de Justiça.

O Tribunal de Justiça é o órgão máximo do Poder Judiciário estadual. Ele representa a segunda instância ou segundo grau, é composto por 13 desembargadores e quatro órgãos julgadores: Tribunal Pleno, Conselho da Magistratura, Câmara Cível e Câmara Criminal.

Dentro da hierarquia do Tribunal de Justiça, o Tribunal Pleno, que reúne todos os desembargadores, é o órgão superior. Suas competências abrangem desde funções administrativas, como estabelecer normas relativas ao uso dos prédios destinados aos serviços da Justiça, ao exame de normas legais, como declarar inconstitucionalidade de lei ou de atos do Poder Público e propor criação de comarcas e varas judiciárias, entre outras.

Competências do Tribunal de Justiça

Ao Tribunal de Justiça, compete ainda julgar ações direta de inconstitucionalidade de leis e atos normativos estaduais; processar e julgar os recursos cíveis e criminais, conflitos de jurisdição e competência entre os juízes de primeiro grau, infrações penais comuns de autoridades estaduais, exceto do Governador, crimes de responsabilidade não conexos às autoridades estaduais, mandados de injunção, entre outros.

Por meio da Câmara Criminal, é ainda competência do Tribunal de Justiça, julgar os prefeitos nos crimes comuns e crimes de responsabilidade; pedidos de habeas corpus, quando atos de violência, coação ilegal ou ameaça for atribuída a Juízes de Direito, a membros do Ministério Público Estadual, ao Procurador Geral de Justiça, ao Comandante da Polícia ou a autoridades estaduais e municipais.

Correição e fiscalização

As atividades de correição e fiscalização são desempenhadas pelo Conselho da Magistratura e pela Corregedoria Geral da Justiça.

O Conselho da Magistratura é vinculado hierarquicamente ao Tribunal Pleno e composto por cinco desembargadores, incluindo o Presidente e Vice-Presidente do Tribunal de Justiça e o Corregedor Geral.

Entre suas funções, estão a de julgar os recursos das decisões do Presidente, das decisões da Corregedoria, determinar sindicâncias e instauração de processos administrativos.

Já a Corregedoria Geral de Justiça, órgão de inspeção, fiscalização, disciplina e orientação administrativa, com jurisdição em todo o Estado, tem, entre outras funções, a competência para:

- verificar o cumprimento das normas e legislação por parte dos servidores e magistrados;

- recomendar providencias para evitar nulidades, erros e irregularidades nos processos;

- visitar as prisões verificando cumprimento de regime penal por parte dos réus;

- as condições de segurança e salubridades das unidades prisionais e determinar realização de sindicância ou abertura de processo administrativo.

Primeira Instância

Para efeitos administrativos, a Justiça estadual do Sergipe, em nível de primeira instância ou primeiro grau, divide-se em circunscrições (agrupamento de comarcas); comarcas (território onde o juiz de Direito de primeira instância exerce sua competência) e distritos judiciários (subdivisão das comarcas).

As comarcas abrangem um ou mais municípios, tendo a denominação do município sede, e são classificadas em entrância – inicial e final, de acordo com o movimento forense, densidade demográfica, rendas públicas, entre outros fatores socioeconômicos.

Atualmente, conforme estabelece a Lei Complementar 301/18, que alterou a Lei Complementar 88/03, a Justiça do Sergipe possui 40 comarcas, sendo 13 de Entrância Final e 27 de Entrância Inicial.

A jurisdição da Comarca é exercida por um Juiz de Direito, podendo, no caso de existência de duas ou mais varas, ser designado anualmente pelo Corregedor Geral de Justiça, o Juiz que presidirá o Fórum.

De acordo com a legislação, o Juiz de Direito deverá residir, obrigatoriamente, na Comarca em que desempenha suas funções.

Integram o Judiciário do Sergipe, conforme estabelece a Lei Complementar 88/03, o Tribunal do Júri, que funcionam na sede da Comarca, a Justiça Militar Estadual, exercida em primeira instância pelo Juiz Auditor e pelos Conselhos de Justiça Militar, e pelo Tribunal de Justiça, em segunda Instância.

Serviços Auxiliares

Os serviços auxiliares da Justiça sergipana são classificados em: Ofícios do Fórum Judicial, onde tramitam os processos, que são as secretarias e cartórios do Tribunal, das Varas e dos Juízos e os de Distribuição; Ofícios do Foro Extrajudicial, popularmente conhecidos como cartórios, nos quais são lavradas as declarações de vontade e executados os atos sobre registros públicos, tais como os Ofícios do Registro de Imóveis, Registro Civil das Pessoas, Registro de Títulos e Documentos.

Conteúdos básicos das provas TJ SE

Nas provas do concurso TJ SE 2014, os conteúdos de Língua Portuguesa foram comuns para todos os cargos. Veja a relação dos assuntos a seguir:

1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados.

2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais.

3 Domínio da ortografia oficial.

4 Domínio dos mecanismos de coesão textual.

4.1Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição,de conectores e de outros elementos de sequenciação textual.

4.2 Emprego de tempos e modos verbais.

5 Domínio da estrutura morfossintática do período.

5.1 Emprego das classes depalavras.

5.2 Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração.

5.3 Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração.

5.4 Emprego dos sinais de pontuação.

5.5 Concordância verbal e nominal.

5.6 Regência verbal e nominal.

5.7 Emprego do sinal indicativo de crase.

5.8 Colocação dos pronomes átonos.

6 Reescrita de frases e parágrafos do texto.

6.1 Significação das palavras.

6.2 Substituição de palavras ou de trechos de texto.

6.3 Reorganização da estrutura de orações e de períodos do texto.

6.4 Reescrita de textos de diferentes gêneros e níveis de formalidade.

7 Correspondência oficial (conforme Manual de Redação da Presidência da República).

7.1 Aspectos gerais da redação oficial.

7.2 Finalidade dos expedientes oficiais.

7.3 Adequação da linguagem ao tipo de documento.

7.4 Adequação do formato do texto ao gênero.

Além de Língua Portuguesa, alguns dos conteúdos específicos cobrados foram (dependendo de cada cargo):

Noções de informática, língua inglesa, raciocínio lógico, Código de Organização Judiciária do Estado de Sergipe, Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, gestão de governança de TI, banco de dados, direito constitucional, segurança da informação, direito administrativo, direito civil, direito processual civil, direito penal, direito processual penal, entre outras.

Cargos oferecidos no concurso TJ SE 2014

  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: ADMINISTRATIVA – ESPECIALIDADE: BANCO DE DADOS
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA:ADMINISTRATIVA/JUDICIÁRIA– ESPECIALIDADE: DIREITO
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: ADMINISTRATIVA – ESPECIALIDADE: REDES
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: ADMINISTRATIVA – ESPECIALIDADE: SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: ADMINISTRATIVA – ESPECIALIDADE: SUPORTE TÉCNICO EM INFRAESTRUTURA
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: ADMINISTRATIVA – ESPECIALIDADE: WEBDESIGNER
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: ADMINISTRATIVA – ESPECIALIDADE: TELECOMUNICAÇÕES
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: ARQUITETURA
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: CONTABILIDADE
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: ECONOMIA
  • ANALISTAJUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: ENGENHARIA CIVIL
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: ENGENHARIA ELÉTRICA
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: ESTATÍSTICA
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: MEDICINA/MEDICINA DO TRABALHO
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: MEDICINA/PSIQUIATRIA
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: PSICOLOGIA
  • ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: SERVIÇO SOCIAL
  • TÉCNICO JUDICIÁRIO – ÁREA ADMINISTRATIVA/JUDICIÁRIA
  • TÉCNICO JUDICIÁRIO – ÁREA ADMINISTRATIVA – ESPECIALIDADE: PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS

Compartilhe

Concursos por E-mail
Assine nosso boletim para receber Concursos TJ diretamente no seu e-mail
Concursos RelacionadosVagas
EBSERHNíveis Médio e Superior1.660
Prefeitura de CristinápolisTodos os níveis de escolaridade220
Veja todos » Concursos Abertos