Expandir Menu PrincipalPesquisarPor Estado

Concurso Prefeitura de Embu das Artes - SP

Prefeitura de Embu das Artes, em São Paulo, abre concurso com 50 vagas para Guarda Civil Municipal. Vencimento inicial é de R$ 2.641,05.

Publicado em Comunicar erro

Em São Paulo, a Prefeitura de Embu das Artes divulgou o edital n° 01/2017 de concurso público que tem por objetivo o provimento de vagas em cargos de nível médio na Garda Municipal. O certame será realizado sob responsabilidade pelo Instituto Zambini.

Vagas e Requisitos

São disponibilizadas 50 vagas para o cargo de Guarda Civil Municipal, sendo 45 para candidatos do sexo masculino e as outras cinco para o sexo feminino. Os aprovados e convocados atuarão em regime de trabalho de 40 horas semanais, com vencimento inicial de R$ 2.641,05.

Dentre os requisitos para participar da seleção, estão: ser brasileiro nato ou naturalizado; estar quite com o Serviço Militar e Justiça Eleitoral; ter ensino médio completo; CNH na categoria "AB"; idade mínima de 21 ano e máxima de 40; e ainda, no caso de homens, ter altura mínima de 1,65m, e mulheres, 1,60m.

Inscrições

As inscrições estarão abertas no período de 15 de maio a 16 de junho de 2017 e deverão ser efetuadas exclusivamente via internet, por meio do site da organizadora, com endereço eletrônico em: www.zambini.org.br. O valor cobrado como taxa de inscrição é de R$ 69,00.

Provas

O certame constará das seguintes etapas:

  • Prova Objetiva de múltipla escolha;
  • Aferição de Altura;
  • Teste de Aptidão Física;
  • Prova Prática de Direção Veicular;
  • Avaliação Psicotécnica e Investigação Social;
  • Exame Médico;
  • Entrega de Documentos;
  • Curso de Formação.

De acordo com o cronograma do edital, as provas objetivas têm previsão de serem aplicadas no dia 02 de julho de 2017, em locais e horários a serem divulgados posteriormente. Os candidatos habilitados em todas as etapas e nomeados no certame passarão por um processo de formação de Guardas Civis Municipais, que terá carga horária mínima e a grade curricular estabelecidas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP).

Validade

Vale ressaltar que as informações de todas as etapas, resultados, convocações e avisos, serão publicados no Diário Oficial do Estado, no mural e site da Prefeitura (www.embudasartes.sp.gov.br) e também no site da Zambini. O prazo de validade do concurso público será de um ano, contado da data de homologação dos resultados, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da administração municipal.

Edital e eventuais atualizações: https://goo.gl/0DCb58

***

Dicas para as provas de Embu das Artes - SP

Juscelino Kubitschek e a campanha desenvolvimentista, Revolução de 1964

Um tema importante que será cobrado na prova para a Guarda de Embu das Artes é "Juscelino Kubitschek e a campanha desenvolvimentista", juntamente com a chamada “Revolução” de 1964. Para ajudar nesses estudos, confira algumas observações sobre tais assuntos.

Juscelino Kubitschek e a campanha desenvolvimentista

Juscelino Kubitschek foi um dos presidentes mais aclamados do Brasil. Governou entre os anos de 1956 a 1961, que acabaram ficando conhecidos como os “Anos Dourados”. O principal lema de governo de Juscelino foi “50 anos em cinco”, ou melhor, “50 anos de progresso em 5 anos de governo”.

No campo da economia, o governo de Kubitschek foi marcado por um expressivo crescimento econômico, um dos momentos de maior desenvolvimento econômico que o Brasil já atravessou em sua história. Para alcançar seus objetivos, foi elaborado o chamado Plano de Metas. A ideia era promover um crescimento econômico expressivo iniciando a partir da expansão do setor industrial, com investimento nas chamadas indústrias de base: aço, alumínio, cimento, papel, borracha, maquinaria pesada, entre outras.

O foco do governo de Juscelino, como dissemos, foi o crescimento econômico do país. De certa forma, a sua campanha desenvolvimentista deu certo: a construção de Brasília, que se tornou a capital do país, por exemplo, gerou diversos empregos.

No entanto, esse crescimento se deu sob circunstâncias que ocasionaram elevados custos. Os investimentos do governo nas indústrias foram pautados na abertura econômica ao capital estrangeiro e na emissão monetária. O impacto que isso causou foi que a economia ficou desnacionalizada, ou seja, começou a diminuir consideravelmente o espaço para empresas brasileiras, dando lugar de modo expressivo às empresas estrangeiras. O controle estrangeiro dominou a economia e todo o lucro gerado aqui era remetido de volta ao exterior.

Além disso, a emissão de papel-moeda acabou gerando um enorme processo inflacionário. Todo esse contexto econômico desfavorável gerou profundos descontentamento na população.

A gestão de JK, como em todo governo, teve seus críticos (opositores), gente que, com o agravamento da crise, ganhou cada vez mais espaço na opinião pública. Assim, a crise econômica e financeira acabou por provocar uma instabilidade política no governo JK.

Juscelino tentou concretizar algumas medidas, mas sem sucesso, e a crise econômica e política agravou-se a tal ponto que culminou em um golpe civil-militar, que ficou como a “Revolução de 64" ou ainda o "Golpe Militar de 64".

Revolução” Militar de 64

É necessário estar atento ao fato de que, apesar de alguns livros de história classificarem essa época como uma “Revolução” Militar, o fato é tal caracterização é bastante rechaçada, principalmente entre especialistas em História do Brasil. O correto seria afirmar que se trata na verdade de um Regime Militar ou ainda a Ditadura Civil Militar de 64.

O período do Regime Militar de 64 foi um momento controverso da História do Brasil. Ele foi marcado, por um lado, pelo chamado “milagre econômico”, mas por outro lado, pela perseguição e repressão aos direitos civis. O Brasil foi governado por generais do Exército, que puseram em prática um governo autoritário e conservador. As eleições eram sempre indiretas, ou seja, os presidentes eram praticamente escolhidos entre os próprios líderes militares.

No aspecto econômico, os militares começaram a empreender diversas reformas para sanar a crise. Nacionalizou-se a economia, com um controle estatal um pouco maior. A inflação foi controlada, os níveis de desemprego eram super baixos e o PIB chegou a ter um pico de crescimento anual de 10%. Foi o chamado “milagre econômico”.

Por outro lado, os direitos civis, sociais e políticos foram reprimidos, massacrados, desprezados. Prisões, perseguições, censura, supressão de direitos, repressão, tortura. Os movimentos sociais e partidos opositores eram duramente reprimidos.

No entanto, apesar do período do "milagre", houve também o arrocho salarial. A ideia do governo era “fazer crescer o bolo para dividir”. No entanto, todo esse crescimento econômico acabou favorecendo sobretudo às elites e à burguesia. A população mais pobre acabou na verdade sendo negativamente afetada.

Todo esse cenário de crise política e econômica no Regime Militar fomentou um novo crescimento e fortalecimento da oposição e mesmo da população como um todo, que ficou descontente. O resultado disso foi o fim da Ditadura Militar, com o processo de redemocratização, já nos idos dos anos 80.

Saiba mais na: Apostila para Guarda Civil da Prefeitura de Embu das Artes 2017


Concursos RelacionadosVagas
CAIXAEstagiárioVárias
CREA/SP - Conselho Reg. de Engenharia e Agronomia de São PauloNíveis Médio e Superior9
Defensoria Pública da UniãoDefensor público17
FUNAI EstagiárioVárias
Fundação Parque Zoológico de São PauloNíveis Fundamental e Superior15
IAMSPE - Inst. de Assist. Méd. ao Servidor Público Estadual de SPTodos os níveis de escolaridade43
Prefeitura de GuarujáNível SuperiorVárias
SAP/SP - Secretaria da Administração Penitenciária de São PauloAgente penitenciário934
SAP/SP - Secretaria da Administração Penitenciária de São PauloAgente penitenciário100
SEE/SP - Secretaria de Educação de São PauloDiretor de escola 1.878
Veja todos » Concursos Abertos