Concurso PM SP 2019: vagas para Soldado

Concurso PM - SP 2019 abre 2.700 vagas para Soldado. As oportunidades são para ambos os sexos e a remuneração total é de R$ 3.164,58.

Um dos editais mais esperados do ano foi publicado pela Vunesp. O concurso PM - SP irá preencher 2.700 vagas para Soldado PM de 2ª Classe do Quadro de Praças de Polícia Militar (QPPM). As vagas são para ambos os sexos. Este concurso público será regido pelo edital nº  DP-2/321/19.

Para participar deste concurso público é necessário possuir idade entre 17 e 30 anos, possuir altura mínima de 155 cm para as candidatas do sexo feminino e de 160 cm para os candidatos do sexo masculino, ter o ensino médio completo e CNH entre as categorias “B” e “E”.

A remuneração básica total para Soldado é de R$ 3.164,58, sendo R$ 1.226,03 do vencimento básico, R$ 1.226,03 do Regime Especial de Trabalho Policial (RETP) e R$ 712,52 de insalubridade.

Atribuições do cargo

  • Policiamento ostensivo;
  • Preservação da ordem pública;
  • Repressão às infrações penais e administrativas;
  • Aplicação da lei, sempre primando pela defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa humana.

Inscrições

As inscrições serão realizadas entre os dias 03 de maio e 13 de junho de 2019, apenas via internet, pelo endereço eletrônico www.vunesp.com.br.

O candidato que não tiver acesso à internet poderá utilizar os infocentros do Programa Acessa São Paulo, espalhados por todo o estado.

O valor da taxa de inscrição é de R$ 50,00.

Poderá solicitar a redução de 50% da taxa de inscrição, o candidato que comprovar cumulativamente que:

  • É estudante do ensino médio, curso pré-vestibular ou curso superior (graduação ou pós-graduação);
  • Recebe remuneração mensal inferior a dois salários mínimos ou está desempregado.

Provas

O concurso PM - SP 2019 será composto por exame de conhecimentos (prova objetiva e dissertativa), exame de aptidão física, exame de saúde, exame psicológico, avaliação da conduta social, da reputação e da idoneidade e análise da documentação.

A prova objetiva será composta por 60 questões, sendo 20 questões de Língua Portuguesa e Interpretação de Textos, 14 questões de Matemática, 14 questões de Conhecimentos Gerais, 6 questões de Noções Básicas de Informática e 6 questões de Noções de Administração Pública.

Esta prova valerá 60 pontos, sendo que cada questão da prova valerá um ponto.

A prova dissertativa será composta por uma redação e valerá 40 pontos.

As provas escritas terão duração máxima de quatro horas e serão realizadas nos municípios de Araçatuba, Bauru, Campinas, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba.

Esta prova será realizada na data provável de 28 de julho de 2019, no turno da tarde.

Para realizar as provas escritas, o candidato deverá comparecer com antecedência mínima de 60 minutos portando seu documento de identidade original com foto, comprovante de pagamento da taxa de inscrição, caneta esferográfica fabricada em material transparente de tinta preta ou azul, lápis preto e borracha.

O exame de aptidão física valerá 100 pontos e possui caráter eliminatório e será composto pelas seguintes etapas:

  • Apoio de frente sobre o solo (flexão e extensão de cotovelos);
  • Resistência abdominal (tipo remador);
  • Corrida de 50 metros;
  • Corrida de 12 minutos.

Estude o conteúdo das provas PM SP - A abertura política e a redemocratização do Brasil

A abertura política e o processo de redemocratização do Brasil são assuntos atuais, ao mesmo tempo em que têm sido mal compreendidos na atualidade.

Durante a década de 80 o Brasil passou por intensas modificações políticas, as quais foram marcadas principalmente pela transição entre o regime militar e a democracia.

Todo esse processo foi repleto de mobilizações sociais, as quais buscavam por mudanças políticas e almejavam o progresso do país, que na época passava por um dos seus piores períodos econômicos.

Em termos gerais, os historiadores consideram que a abertura política e a redemocratização do Brasil ocorreram no período de 1970 a 1989.

Tal assunto é cada vez mais atual e, com a ampla difusão de “fake news” esses processos estão sendo mal compreendidos na atualidade.

Porque aconteceu a abertura política do Brasil?

De forma geral, o processo foi desencadeado por diversos fatores, sendo os principais:

- Durante o período militar o país passava por uma série de crises econômicas;
- Os índices inflacionários estavam totalmente desestabilizados;
- A dívida externa estava cada vez mais alta e impedia que o Brasil tivesse notoriedade internacional;
- Havia inúmeros presos políticos em cárcere e estes sofriam tortura, inclusive, muitos foram assassinados;
- No que se refere à cultura havia muita censura;
- Apesar de o desenvolvimento econômico aparentar estabilidade, os índices de desemprego eram exorbitantes.

Como aconteceu a abertura política e a redemocratização do Brasil?

Por conta dos grandes problemas econômicos e a intensa reprovação social, o presidente (que era um militar), Ernesto Geisel (Partido Arena), declarou que iria iniciar um processo de abertura política, o qual ocorreria de forma gradual. Geisel deu inicio a tal processo, apesar de ter ocorrido de forma ambígua.

Como consequência, o presidente enfrentou uma série de reações negativas dos militares e alguns chegaram até a serem afastados.

No ano de 1974 o partido da oposição (MDB- Movimento Democrático Brasileiro) vence as eleições de senadores em grande parte do país (16 das 22 vagas), associa-se tal vitória a abertura da campanha eleitoral gratuita em rede nacional (rádio e TV) e tem-se tal fato como um marco inicial do declínio do militarismo no Brasil.

Em 1979 a presidência é assumida por João Baptista Figueiredo, que tinha posturas peculiares em relação à abertura política do país.

Neste período movimentos sindicais eram mal vistos e penalizados, a inflação subiu de 77 para mais de 200%, o desemprego aumentou ainda mais e a dívida externa cresceu também cresceu.

Figueiredo ficou no poder até 1985 (mandato presidencial mais longo da história do país) e durante sua permanência já começavam a surgir iniciativas que propunham a democratização do país (Dante Oliveira foi autor de uma ementa pró-diretas, mas fora derrotado no Congresso).

O movimento “Diretas Já” causou grande mobilização popular e em 1985 Tancredo Neves ganha as eleições presidenciais, ele era um grande articulador da redemocratização e tinha ganho grande simpatia com a sociedade.

Tancredo morreu antes de assumir a presidência e seu vice (José Sarney) assumiu o cargo.

Sarney teve importante papel no processo de redemocratização do Brasil, pois manteve seguras as liberdades que tinham sido conquistadas e deu inicio a promulgação da Constituição Federal (1988).

O marco inicial da redemocratização do país foi a Constituição e desde então o país vive em um sistema democrático. Em 1989, Fernando Collor é eleito presidente pelo povo brasileiro, que havia deixado de votar por 21 anos consecutivos.

Detalhes estão na Apostila para SOLDADO PM DE 2ª CLASSE - PM SP 2019

Critérios de aprovação e desempate nas provas PM SP

Serão aprovados, na prova escrita, os candidatos que obtiverem a nota mínima de 30 pontos na prova objetiva e de 20 pontos na prova dissertativa.

A nota final do candidato será igual à soma dos pontos obtidos no exame de conhecimentos, considerando as notas da prova objetiva e dissertativa.

Em caso de empate, serão adotados os seguintes critérios de desempate:

  1. Maior nota obtida na prova objetiva;
  2. Maior nota na prova dissertativa;
  3. Idade mais avançada.

Validade

O concurso público terá validade de seis meses, a contar da data de sua homologação e poderá ser prorrogado por igual período, a critério da administração pública.

Edital

Para mais informações sobre o concurso PM - SP, consulte o edital publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, a partir da página 214, em sua edição de 27 de abril de 2019.

Concurso PM SP: vagas para Aluno-Oficial

Além do concurso para Soldados, a PM - SP está realizando outro concurso público, visando preencher 190 vagas para Alunos-Oficial, com remuneração inicial de R$ 3.116,76.

O concurso para Aluno-Oficial também está sendo realizado pela Vunesp e também terá exame de conhecimentos e exame de aptidão física.

Compartilhe

Concursos por E-mail
Assine nosso boletim para receber Concursos PM SP diretamente no seu e-mail