Concurso Prefeitura de São Paulo (SME SP): Auxiliar e Coordenador

Concurso Prefeitura de São Paulo (SME SP) oferece mais de 1,7 mil oportunidades para Auxiliar Técnico de Educação e Coordenador Pedagógico.

A Prefeitura de São Paulo anunciou a realização do concurso Prefeitura de São Paulo SME SP (Secretaria Municipal de Educação) através da publicação dos editais nº 03 e 04/2019. Em disputa estão 1737 para dois diferentes cargos, destinados a profissionais de níveis médio e superior. A realiação é de responsabilidade da Fundação Vunesp.

Vagas

  • Auxiliar Técnico de Educação: 1109 vagas. Para concorrer a este cargo, é necessário possuir o ensino médio completo. A remuneração inicial é de R$ 1.541,14 para 40 horas semanais;
  • Coordenador Pedagógico: 628 vagas. Para concorrer a este cargo, é necessário possuir licenciatura em Pedagogia ou Pós-Graduação (stricto sensu ou lato sensu) na área de educação, além de ter experiência mínima de três anos no magistério. A remuneração inicial é de R$ 5.187,01 para 40 horas semanais.

Os profissionais serão contratados pelo regime estatutário.

Inscrições

As inscrições serão realizadas entre os dias 04 de junho e 05 de julho de 2019, apenas via internet, através do endereço eletrônico www.vunesp.com.br.

O valor da taxa de inscrição para o cargo de Auxiliar Técnico de Educação é de R$ 41,80. No edital para o cargo de Coordenador Pedagógico, não há referências sobre a cobrança da taxa de inscrição.

Provas

O concurso Prefeitura de São Paulo (SME - SP) será composto por prova objetiva, prova dissertativa e prova de títulos. A prova de títulos possui caráter apenas classificatório, enquanto que as demais provas possuem caráter eliminatório e classificatório.

A prova objetiva e dissertativa terá duração máxima de cinco horas e será realizada na data provável de 01 de setembro de 2019.

Para realizar as provas escritas, o candidato deverá comparecer com antecedência mínima de 60 minutos, de forma a evitar atrasos, portando seu documento de identidade oficial com foto, original do comprovante de pagamento (se for o caso) e caneta esferográfica de tinta de cor preta.

Os candidatos deverão responder uma prova objetiva composta por 60 questões, distribuídas da seguinte forma:

  • Auxiliar Técnico de Educação: 15 questões de Língua Portuguesa, 15 questões de Matemática, 10 questões de Noções de Informática e 20 questões de Publicações Institucionais e Legislação;
  • Coordenador Pedagógico: 30 questões de Conhecimentos Gerais e 30 questões de Conhecimentos Específicos.

A prova dissertativa para o cargo de nível médio será composta por um estudo de caso, enquanto que para o cargo de nível superior esta etapa terá três questões dissertativas.

Somente será possível sair do local de prova, após decorrido 75% do tempo de sua duração total. Ao final, o candidato deverá entregar para o fiscal seu caderno de provas e a folha de resposta personalizada.

Serão aprovados, neste concurso público, os candidatos que obtiverem a nota mínima de 50 pontos na prova objetiva e de 50 pontos na prova dissertativa.

A prova de títulos valerá até 10 pontos e serão pontuadas as seguintes titulações:

  • Para o cargo de nível médio: curso de graduação em qualquer área e a experiência profissional em áreas relacionadas ao cargo na Prefeitura de São Paulo e em outros órgãos;
  • Para o cargo de nível superior: Doutorado em Educação, Mestrado em Educação e experiência profissional como docente do magistério na Prefeitura de São Paulo.

Validade

O concurso Prefeitura de São Paulo (SME - SP) possui validade de dois anos, a contar da data de sua homologação, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da Secretaria Municipal de Educação.

Edital

Para demais informações sobre o concurso SME - SP, como atribuições dos cargos, conteúdo programático com sua respectiva bibliografia, cronograma previsto e demais formulários, consulte os editais publicados no site da Vunesp: Auxiliar Técnico de Educação e Coordenador Pedagógico.

Dicas para as provas da SME São Paulo - modos e tempos verbais

A língua portuguesa é um dos idiomas que mais possuem regras gramaticais relativamente complicadas, fazendo com surjam inúmeras dúvidas em relação à sua aplicação.

Um dos assuntos que mais geram dúvidas em concursos públicos e em avaliações é o emprego de modos e tempos verbais, que, como o próprio nome sugere, diz respeito à correta utilização dos verbos na língua portuguesa.

Emprego de modos verbais

Antes de iniciar o assunto sobre modos verbais, é importante relembrar que o verbo pode ser flexionado de quatro maneiras, as quais: pessoa, tempo, número e modo.

O modo verbal refere às formas com as quais o verbo pode ser utilizado e varia em função do sentido que deseja se atribuir ao mesmo.

Em termos gerais, existem apenas três modos verbais: o indicativo, o subjuntivo e o imperativo.

Entretanto, alguns professores da língua incluem como modos verbais o particípio, o gerúndio e o infinitivo.

Porém, alguns estudos linguísticos consideram esses como as formas nominais do verbo e não como modos verbais propriamente ditos.

Assim sendo, os três modos verbais são caracterizados da seguinte forma:

• Indicativo: deve ser usado quando quer expressar um tom de realidade ou verdade a fala do autor, ou seja, se expressa com o modo indicativo uma certeza. Por exemplo: ele sempre faz boas ações;

• Subjuntivo: ao contrário do modo indicativo, o modo subjuntivo não expressa tons de verdade ou de realidade, sendo que aparece sempre como uma hipótese. Por exemplo: a professora no início do ano letivo espera que os alunos mereçam boas notas;

• Imperativo: expressa uma ordem, um conselho ou um pedido e varia em função do contexto em que é usado e da entonação que o acompanha. É muito importante que se tenha em mente que o modo imperativo pode aparecer tanto na forma afirmativa, quanto na negativa. Por exemplo: esqueça de uma vez por todas esse assunto ou não deixe de buscar seus direitos.

Emprego dos tempos verbais

Os tempos verbais são utilizados para informar ao leitor (ou ouvinte) se o verbo já aconteceu, se irá acontecer, ou se acontecerá no momento da fala.

Dessa forma, existem três tempos verbais básicos, os quais: presente, passado (pretérito) e futuro. E assim sendo, estes podem ser definidos e exemplificados da seguinte forma:

• Presente: é utilizado para expressar que o verbo acontece no momento da fala. Por exemplo: eu amo esse lugar e as comidas que são servidas;

• Passado (ou pretérito): pode ser perfeito ou imperfeito.

o O pretérito perfeito é utilizado para expressar uma ação pontual e que ocorreu antes da fala, por exemplo: eu amei aquele lugar e as comidas que foram servidas;
o Já o pretérito imperfeito deve ser utilizado para expressar uma ação que ocorreu em um intervalo de tempo antes da fala, por exemplo: eu amava aquele lugar e as comidas que eram servidas;

• Futuro: pode ser do presente ou do pretérito.

o No caso do futuro do presente esse tempo verbal é utilizado para expressar algo que provavelmente acontecerá (posterior à fala), por exemplo: eu amarei aquele lugar e as comidas que serão servidas;

o Já o futuro do pretérito é utilizado para expressar algo que provavelmente aconteceria, mas não aconteceu de fato, por exemplo: eu amaria aquele lugar e as comidas que eram servidas.

Saiba mais  - Apostilas para os cargos da SME São Paulo

Compartilhe

Concursos por E-mail
Assine nosso boletim para receber Concursos em São Paulo diretamente no seu e-mail
Concursos RelacionadosVagas
Bombeiros - SPGuarda-vidas600
Governo de São PauloEstagiário862
CaixaEstagiárioVárias
Câmara de AlvinlândiaAssessor jurídico e Contador2
Câmara de Mirante do ParanapanemaNíveis Médio e Superior3
Câmara de Pedra BelaAdvogado e Assessor jurídico1
Câmara de São Miguel ArcanjoNíveis Médio e Superior5
CODESGTodos os níveis de escolaridade31
CRIS - TupãNíveis Médio e Superior3
ESEF de JundiaíNíveis Médio e Superior3
Veja todos » Concursos Abertos