Cores primárias

Entenda o que são cores primárias e esclareça as suas dúvidas sobre o assunto.

Aparentemente quando se ouve falar do fenômeno das cores temos a impressão deste estar relacionado apenas ao tema arte, ou restritamente ao âmbito escolar. Mais que isso, entender o que o assunto significa compreende também o efeito que as definições de cor trazem para o nosso sistema visual.

A palavra cor vem do latim colore, do arcaico, colos, que quer dizer cobertura. Desde os tempos mais remotos que o homem se interessa pela estrutura das cores, buscando formas de como usá-las a seu favor, também como forma de expressão.

Fosse com desenhos em pedra, parede, em cômodos de suas casas ou até mesmo para homenagear os mortos em túmulos, a pintura também é considerada uma forma de expressão do próprio sentimento humano.

Através das combinações de cores o homem pôde expressar sua religiosidade, sentimentos (triste, alegre, luto, etc.), ou mesmo preparar-se para eventos.

Cores primárias

São conhecidas como cores puras, cuja combinação permite o surgimento de outras cores. Basicamente são três, vermelho (ou magneta), azul (ou ciano) e amarelo. A partir delas é que surgem as que chamamos cores secundárias ou terciárias, estas por sua vez podem ser divididas em cores frias e quentes.

As cores secundárias são obtidas através da combinação em proporções iguais de duas cores primárias. O resultado final destas combinações pode ser visualizado de forma plena através de um quadro chamado “círculo cromático”, porém basicamente as cores originadas através destas combinações são o verde, laranja e o roxo.

As cores chamadas “quentes” são aquelas que causam a sensação de calor. Entre as cores primárias, vermelho é a mais quente. Através das combinações de vermelho obtemos o laranja, o amarelo mostarda, o rosa-choque, o magneta-violeta, entre outras.

Já as cores conhecidas como frias, são aquelas que nos trazem uma ideia de calmaria, tranquilidade e serenidade. Basicamente são extraídas através das combinações com azul, de forma que obtemos o verde (e seus diversos tons), as próprias variações de azul e o violeta.

Através das inúmeras possibilidades de mistura e variação para as cores, dentro do campo da arte podemos citar dois fenômenos importantíssimos conhecidos monocromia e policromia. A primeira trata dos vários tons de uma cor num mesmo trabalho enquanto a segunda contempla a multiplicidade de cores dentro de um mesmo trabalho.

As cores e o fenômeno óptico

Ao contrário do que se pensa, branco e preto não podem ser considerados cores, e sim características da luz, onde o preto é a total ausência de luz e o branco a ausência total de cor perante a luz. No século XVII o famoso físico inglês, Isaac Newton utilizou de um prisma de três faces para exemplificar como a luz branca poderia ser decomposta em sete cores diferentes, violeta, azul, ciano, verde, amarelo, laranja e vermelho.

Através dessa exemplificação ele pôde justificar o fenômeno de decomposição onde na natureza nos proporciona a visão do arco-íris. A presença de luz solar incidindo diretamente nas gotas de água da chuva, atravessa sob as nuvens se decompondo em várias cores.

O fenômeno da cor dentro do campo visual está relacionado diretamente com as diferentes ondas de radiação emitidas pela luz do sol, onde dependendo da intensidade e do comprimento destas ondas de radiação, podem ser percebidas pela visão humana ou até mesmo de alguns animais.

Autor: Alan Lima