Mahatma Gandhi

Mahatma Gandhi foi um líder indiano que lutou pela independência de seu povo, pelo fim da violência e pela paz no mundo.

Nascimento e vida de Mahatma Gandhi

Mahatma Gandhi nasceu em Porbandar na Índia, em 2 de outubro de 1869. Sua família era pertencente à casta dos comerciantes, conhecida por vaishya.

Seu nome verdadeiro era Mohandas Karamchand Gandhi e foi criado sob a crença hinduísta.

Como a tradição hindu preconiza, Gandhi teve um casamento arranjado aos 13 anos de idade, se casando com Kasturba, com quem teve quatro filhos homens.

Nessa época, a Índia estava sob o domínio inglês. Foi estudar Direito em Londres e em 1891 voltou à Índia para exercer a profissão.

Em 1893, ele foi para África do Sul que também era colônia britânica e trabalhou como advogado de uma firma indiana presente no país.

Foi na África do Sul, ao presenciar a discriminação contra os hindus, que Gandhi iniciou sua política de resistência pacifista em protesto contra os maus tratos sofridos por seu povo.

Em 1904, se tornou editor do jornal “Opinião Indiana”, onde defendia os direitos e denunciava os atos de discriminação contra os indianos.

Leitor assíduo, Gandhi fez a leitura de textos religiosos hinduístas, os evangelhos, o Corão e autores como Tolstoi, Ruskin e Henry David, que o ajudaram a descobrir a base da desobediência civil.

Em 1908, escreveu “Autonomia Indiana”, no qual faz uma reflexão sobre os valores da sociedade ocidental.

Em 1914, volta à Índia e começa a espalhar suas ideias e fazer campanha pela paz entre hindus e muçulmanos, que viviam em conflito.

Gandhi e a luta pela independência da Índia

Após o fim da Primeira Guerra Mundial, houve um forte movimento de cunho nacionalista na Índia, realizado pela burguesia indiana que formou o Partido do Congresso Nacional Indiano, liderado por Mahatma Gandhi e Jawaharlal Nahru.

Eles queriam a independência total da Índia, a criação de uma confederação democrática, a igualdade política para todos (independentemente de raça, religião ou classe social), reformas socioeconômicas e administrativas e a modernização do Estado.

Mahatma Gandhi foi o principal defensor da independência indiana. Fazia marchas e incentivava a desobediência civil com o não pagamento de impostos e o boicote aos produtos ingleses.

A repressão inglesa foi feita com uso de violência, porém, sem confronto aberto.

Em 1922 Mahatma Gandhi foi detido, condenado e julgado a seis anos de prisão por participar de uma greve contra o aumento de impostos, que reuniu milhares de pessoas que queimaram um posto policial.

Em 1929, com sessenta anos, Gandhi retoma sua luta pela libertação da Índia. Percorreu o país levando a sua ideia de liberdade.

Em 1930, ele organizou e liderou a marcha para o mar. Milhares de pessoas andaram mais de 320 quilômetros, de Ahmedhabad a Dandi, a fim de protestar contra os impostos sobre o sal.

Em 1931, vai a Londres pedir a independência do seu país, sem sucesso.

Em 1932, volta a ser preso, sendo solto em 1933 após fazer uma longa greve de fome que chamou a atenção do mundo.

No início da Segunda Guerra Mundial, Gandhi retoma a luta pela independência do seu país.

Em 1942, foi novamente preso após o Congresso Indiano aprovar a resolução “Saiam da Índia”, dirigida ao governo britânico.

Com Gandhi preso, a situação saiu do seu controle, e aumentou a violência na luta pela independência.

Sua esposa Kasturb ficou com ele na prisão. Ela morreu em 22 de janeiro de 1944, devido a complicações cardíacas e bronquite. Gandhi sentiu a perda da esposa e companheira.

Em 6 de maio foi libertado por causa de pressões públicas e advertências dos médicos que constataram que ele estava bastante debilitado devido a doenças que havia adquirido na prisão.

Em 1947, havia grande rivalidade entre os hindus e muçulmanos, que acabaram por iniciar uma Guerra Civil.

Contudo, Gandhi continuava sua pregação pela não violência. Para ele, a Índia deveria ser unificada e pacificada.

Em 15 de agosto de 1947, a Índia foi proclamada território independente, mas com uma divisão entre Índia (hindus) e Paquistão (muçulmanos).

De início, hindus e muçulmanos festejaram a independência, mas a paz não durou muito e se iniciou atos de pura violência entre os dois grupos.

Isso gerou a maior migração cruzada da história com 12 milhões de pessoas fugindo. Eram muçulmanos que estavam na Índia e iam para o Paquistão e hindus que estavam no Paquistão e voltavam para a Índia. Milhares de pessoas morreram nessas migrações.

Gandhi fazia seu protesto contra o aumento da violência com jejum e pregando a união entre os dois grupos. Quando a violência diminuía ele parava o jejum.

Em 30 de janeiro de 1948, após terminar mais um jejum que havia durado 5 dias, Gandhi foi assassinado com três tiros pelo hindu Nathuram Vinayak Godse, em sua casa.

Godse disse que matou Gandhi por que era contra a tolerância religiosa que ele pregava e que teria auxiliado na criação do Paquistão, que ele (Godse) era contrário.

O cortejo fúnebre teve duração 5 horas e foi acompanhado por milhões de pessoas até o rio Yamuna, onde seu corpo foi depositado em uma jangada e queimado, como manda a tradição hindu.

Pensamento e obra de Mahatma Gandhi

A filosofia de Gandhi era da não violência, pois somente a paz pode levar a igualdade. Usar de violência contra a violência só faz aumentar o mal.

Gandhi acreditava que a libertação da alma humana da servidão terrestre, só pode ser alcançada através de disciplina, meditação, jejuns e orações que levam a um domínio completo dos sentidos.

Ele escreveu diversas obras e entre as principais estão:

  • A Palavra da Verdade
  • A única revolução possível é dentro de nós
  • À descoberta do amor
  • Creia Positivamente
  • Diga Não À Violência, Não Seja Covarde
  • Mergulhe em você mesmo
  • Deficiências ???
  • Meu Deus…
  • O Perdão é mais nobre que a punição
  • Não Grite, Seja Paciente
  • Os sete pecados capitais
  • Quem deserta…
  • Se…
  • Seja Corajoso
  • Seja Crente
  • Se eu pudesse
  • Ser responsável e crente
  • Tenha Um Valor Positivo

Algumas de suas frases:

- "De nada vale a liberdade, se não temos a liberdade de errar".

- "O mais perfeito ato do ser humano é a paz".

- "Minha maior arma é a oração silenciosa".

- "Seja a mudança que você quer ver no mundo".

Por Simone Oliveira