Nelson Mandela

Nelson Mandela foi o primeiro presidente negro da África do Sul e importante líder político responsável por decretar o fim do Apertheid.

Nelson Mandela (1918 – 2013) foi líder de um movimento que derrubou o Apertheid, presidente da África do Sul (1994 – 1999) e ganhador do Prêmio Nobel da Paz, em 1993, por lutar contra o regime de segregação racial.

Nascido Rolihlahla Dalibhunga Mandela, em 18 de julho de 1918, no clã Madiba, em uma província sul-africana, do Cabo Leste, Nelson Mandela veio de uma família nobre, cujo pai (Nkosi Mandela) era o principal conselheiro do rei do povo Thembu.

Recebeu o nome “Nelson” na escola, em 1925, devido à tradição de dar nomes ingleses às crianças que frequentavam a escola. Fugindo do destino de chefia que as influências sociais da sua tribo poderiam lhe conferir, Mandela, aos 23 anos, decide estudar Direito, em Joanesburgo.

Antes de ingressar na faculdade de Joanesburgo, ele já havia participado de um movimento estudantil para lutar contra a falta de democracia racial em Fort Hare, Universidade da África do Sul.

Envolvido em protestos, precisou abandonar o curso, que mais tarde, teria concluído por correspondência depois de terminar o bacharelado em Artes, em Joanesburgo. A partir daí, começaria a sua luta pelas causas sociais.

A luta contra o Apertheid

O Apertheid foi um regime político e segregacionista de 1948 a 1994, comandado pela minoria branca, com o objetivo de evitar relações entre negros e brancos e impedir o desenvolvimento da raça negra em todas as esferas possíveis: social, política, geográfica e econômica.

Essa segregação racial imposta pelo governo branco, a falta de direitos políticos e a obrigação de negros em se manter em áreas isoladas e determinadas pelos políticos causaram uma grande onda de massacres ao povo negro.

Foi então que Nelson Mandela fundou, em 1944, a Liga Jovem do Congresso Nacional Africano (CNA) ao lado de Walter Sisulo e Oliver Tambo, em favor da população negra sul-africana que pedia o fim do Apertheid.

Prisão de Nelson Mandela

Mandela defendeu, por anos, os direitos iguais aos cidadãos sul-africanos e sempre preferiu as lutas pacíficas, uma de suas grandes características. No entanto, em 21 de março de 1960, manifestantes negros foram mortos pela polícia em Shaperville, obrigando Nelson Mandela a partir para a luta armada.

Tornou-se comandante do CNA, fez campanha de sabotagem contra o governo e militares e obteve treino militar na Etiópia e em Marrocos. Ao regressar ao seu país, Mandela foi preso, fugiu, foi capturado em seguida e condenado a prisão perpétua em 1964 por conspirar contra o regime.

Da liberdade à presidência

Após muitas negociações, incluindo campanha internacional “Libertem Nelson Mandela” e a persistência do CNA, Mandela foi libertado em fevereiro de 1990.

Quatro anos depois, Nelson Mandela é eleito presidente da África do Sul na primeira eleição livre do país. Porém, foi a partir de 1995 que o líder político conseguiu unir uma sociedade separada pelo Apertheid através do desporto.

Foi durante a Taça Mundial de Râguebi – praticamente a religião para os brancos – que Mandela uniu as duas raças por amor ao esporte.

Morte de Nelson Mandela

Após terminar seu mandato presidencial em 1999 e ter ganhado prêmios, como o Nobel da Paz, Mandela disse adeus à vida política cinco anos depois, mas continuou sua luta contra a SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Humana Adquirida).

Nelson Mandela faleceu no dia 5 de dezembro de 2013, vítima de uma infecção pulmonar.

Por Vania Ferreira