Pedro Nava

O mineiro Pedro Nava era médico e escritor, membro do movimento modernista.

As terras de Juiz de fora, em Minas Gerais, foram o local onde Pedro da SilvaNava nasceu em 05 de junho de 1903. Filho de um médico cearense José Pedro da Silva Nava e da senhora Diva Mariana Jaguaribe Nava, uma simplória mineira.

Pedro Nava estudou no colégio Pedro II, na capital Carioca. Ingressaria, anos mais tarde, na faculdade de Medicina de Belo Horizonte. Sua curiosidade por anatomia humana desencadeou e revelou seu talento como escritor.

Em 1928, Pedro Nava já exibia seu diploma em medicina. Nesta época, já praticava seu ofício em cargos públicos no setor da saúde em Belo horizonte.

Status social de Pedro Nava

O escritor Pedro Nava era considerado rico, tanto financeiramente, quanto intelectualmente. Sua família era influente, assim como todos os seus parentes. Seu pai era um médico de alto quilate e benquisto. Todos esses fatores contribuíram para que Pedro Nava pudesse ser contemplado com excelentes cargos públicos na área da medicina.

O escritor ainda na carreira da medicina foi membro da Sociedade Brasileira de Medicina e Cirurgia e da Academia Nacional de Medicina. Além disso, foi livre docente na universidade Brasil.

A mando do Ministério da Educação e Cultura, foi estudar na Europa e, paralelo ao ofício de médico, a carreira de escritor emergia em sua vida. Publicou, nesta época, a obra “Capítulos de História da Medicina no Brasil”. 

Pedro Nava e a literatura

Pedro se dedicou à literatura somente após aposentar-se do oficio de médico. No ano de 1969, Nava deixou de prestar atendimento ao serviço publicou e dedicou-se exclusivamente ao seu consultório particular até o ano de 1983.

Nesta fase, possuindo mais tempo, começou a se dedicar à literatura com mais afinco. Entretanto, abandonou de vez a carreira na medicina após ser acometido por uma doença auditiva.

Pedro Nava voltaria a publicar seus livros no início da década de 70. “Baú de Ossos” é uma obra memorialística que narrava com extrema sensibilidade sobre fatos ocorridos no decorrer do século XX.

Como não poderia ser diferente, sua experiência na medicina estava presente nos relatos. Foi assim que Pedro Nava se consagrou historiador da medicina.

Vida social de Pedro Nava

O escritor era rodeado por intelectuais e figuras importantes e assim permaneceu ao longo de toda a sua vida. Teve a feliz oportunidade de estudar com Juscelino Kubitscheck e teve Manuel Bandeira como amigo, assim como Carlos Drummond de Andrade, que exaltava os textos do mineiro.

A escrita de Pedro Nava foi fortemente influenciada  pelos lugares em que viveu (em sua  maioria, centros urbanos) Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Juiz de Fora.  Um livro publicado em 1972 retrata memórias inspiradoras  do escritor.

Um ano mais tarde, publicou a obra intitulada “Balão Cativo”, exaltando mais uma vez a sua cidade de origem. Em 1976, ele relata a experiência vivida no período em que se mudou para a idade do Rio de Janeiro.

Dois anos mais tarde publicou a obra: “Beira-mar”, que narra a experiência durante os anos 20 em relação aos históricos acontecimentos no cenário nacional.

A controversa morte de Pedro Nava

As últimas obras de Pedro Nava têm um tom melancólico, como se ele estivessem se despedindo através de suas obras. “Galo das trevas” e “Círio Perfeito” antecederam sua morte. Nelas, é possível identificar que o escritor previa sua morte.

Em 13 de maio de 1984, um tiro na cabeça encerrou sua história ceifando sua vida. Muito embora a imprensa tentasse ocultar o fato, houve burburinhos de que Pedro Nava teria se suicidado após ser severamente chantageado por um garoto de programa.

A dúvida surgiu devido o fato do escritor ter recebido uma ligação misteriosa e, após, ele havia ido à praça do bairro da Glória traçar o seu último gesto e decretar o fim de seus dias.

No ano de 2006, foi publicado um livro-póstumo  que compilou obras incompletas e que foi intitulado de: “Cera das Almas”.

Por Érica Calefi