Peter Zumthor

Arquiteto suíço de grande prestígio internacional. Conheça a vida de Zumthor.

Vida pessoal

Peter Zumthor é oriundo de uma família tradicional suíça. Nasceu em 26 de abril de 1943 na cidade de Basel, a terceira maior cidade da Suíça, e desde os primeiros anos já era instruído para o ofício de marceneiro, sob a tutela de seu pai.

Casou-se com Annalisa Zumthor-Cuorad e possuem três filhos, todos adultos: Anna, Peter e John, além de dois netos.

Vida profissional

Em 1963, então com 20 anos, Zumthor estudou na Kunstgewerbeschule, Vorkurs e Fachklasse, onde permaneceu até 1967. Após esse período, decidiu aperfeiçoar-se mais nos estudos de design no Pratt Institute, na cidade de Nova York.

Nesse mesmo ano, voltou à Suíça e começou a trabalhar no Departamento de Preservação de Monumentos pelo Cantão de Grisões.

Inicialmente exerceu a função de consultor de construção e planejamento, analista de arquitetura. Trabalhou em algumas aldeias históricas, inclusive na restauração completa de algumas.

No ano de 1979, começou a trabalhar de forma independente, na cidade de Haldenstein, dispondo de uma equipe com apenas quinze pessoas.

Zumthor obteve relativo sucesso com professor universitário. Atuou como professor visitante nos Institutos de Arquitetura da University ou Southern California e SCI-ARC em Los Angeles, em 1988.

Um ano depois lecionava na Universidade de Munique, em 1996, na Academia de Arquitetura da Universitá Della Svizzera Italiana e em 1999 na Escola de Graduação em Design da Universidade de Harvard.

Professor e premiado arquiteto

Zumthor é um grande colecionador de títulos na carreira. Entre os de maior destaque, podemos citar: Praemium Imperiale da Japan Art Association em 2008, o Carlsberg Architecture Prize na Dinamarca em 1998 e o Mies van der Rohe Award para Arquitetura Européia em 1999.

No ano de 2006, o renomado arquiteto receberia ainda a Medalha da Fundação Thomas Jefferson em Arquitetura na Universidade de Virgínia. Dois anos depois, Zumthor seria novamente homenageado ao receber o Prêmio Memorial Arnold W. Brunner em Arquitetura.

Ainda em 2008, Zumthor seria novamente homenageado, porém, desta vez, através de uma obra literária. O grande historiador de Arquitetura de origem australiana, Miles Lewis, publicou o livro Architectura, Elements of Architectural Styl, onde citou o arquiteto aludindo-o através de uma de suas técnicas.

O artigo literário descreve a técnica de “banho térmico” de Zumthor como um “excelente exemplo de simples detalhamento que é usado para criar espaços altamente atmosféricos”.

A publicação continua descrevendo em detalhes o trabalho de Zumthor, detalhando-o de forma ainda mais abrangente:

“O design contrasta paredes de pedra cinzenta com o calor das grades de bronze, e luz e água são usadas para esculpir os espaços. As juntas horizontais da pedra imitam as linhas horizontais da água e há uma mudança sutil na textura da pedra na linha d'água. Clarabóias inseridas em fendas estreitas no teto criam uma dramática linha de luz que acentua a fluidez da água. Cada detalhe do edifício reforça, assim, a importância do banho em vários níveis.”

Porém, não seria essa a primeira vez que o nome de Zumthor seria citado em um artigo literário.

No livro entitulado “Arquitetura de Pensamento”, publicado originalmente no ano de 1998, em Birkhauser, o próprio arquiteto exprimiu, em suas palavras, o que considerava como filosofia de arquitetura.

Entre as tantas citações de Zumthor no livro, uma das que mais definem seu pensamento sobre seu trabalho é quando ele afirma que a arquitetura “precisa refletir sobre suas tarefas e possibilidades que são inerentemente suas.”

Zumthor continua seu raciocínio afirmando que a arquitetura não é um vício ou símbolo para coisas que não pertencem à sua essência.

Numa sociedade com valores distorcidos sobre a visão que ele considera correta sobre o “não essencial”, o trabalho de arquitetura pode resistir, neutralizar o desperdício de formas e significados de forma que expressem sua própria linguagem.

Atualmente Zumthor está com 75 anos e ainda é bastante ativo no mundo da Arquitetura.

Por Alan Lima