Síntese Proteica

A síntese proteica consiste em um procedimento biológico em que ocorre a produção da proteína por meio das células. A síntese da proteína ocorre no citoplasma através de três etapas classificadas em transcrição, ativação e tradução.

A produção da proteína é um processo natural e rápido do nosso organismo e exige muita energia das células para que possa ocorrer. O retículo endoplasmático rugoso está envolvido no processo pelo fato da síntese proteica acontecer nos ribossomos, estruturas presentes nessas membranas e responsável pela produção das proteínas.

Atuando no processo da síntese temos o DNA, RNA e os ribossomos. O DNA (ácido desoxirribonucleico) está presente no núcleo da célula de todo ser vivo, ele carrega as informações genéticas e ajudam a coordenar o desenvolvimento do ser vivo. O RNA (ácido ribonucleico) ajuda a controlar a produção das proteínas e os ribossomos são os responsáveis pela produção dessa importante substância.

Etapas da síntese proteica

Embora a síntese proteica seja um processo rápido, mas que gaste muita energia das células envolvidas, todo o procedimento de produção da proteína acontece em três etapas.

- Transcrição

O processo de transcrição ocorre a partir de uma mensagem que está contida em uma porção do DNA que contém a informação genética necessária para a produção da proteína, essa porção do DNA é denominada de cístron. Essa mensagem é transcrita pelo RNA (mensageiro).

Na transcrição ocorre o pareamento das bases nitrogenadas do DNA com as bases nitrogenadas do RNA, com isso é gerada uma quebra das ligações das moléculas de hidrogênio presente entre as bases nitrogenadas (das duas fitas do DNA), acarretando assim no afastamento da estrutura dos filamentos de dupla hélice.

Após o afastamento, o RNA-polimerase (responsável pela catalisação da transcrição do DNA) começa a produzir o RNA mensageiro.

- Ativação

Na segunda etapa o RNA (transportador) é responsável por transportar os aminoácidos soltos no citoplasma da determinada célula para os ribossomos. Durante esse transporte, o RNA transportador deve reconhecer em que parte do RNA mensageiro os aminoácidos devem ser soltos e para isso há uma determinada sequência composta de três bases complementares ao códon (definido como um conjunto de três nucleotídeos correspondente a um aminoácido) do RNA mensageiro denominada como anticódon. Durante o processo de transporte dos aminoácidos a célula consome ATP (que é responsável pelo armazenamento e a sua energia envolvida nas ligações químicas das células).

- Tradução

Na última etapa ocorre o processo mais longo, que é onde o RNA mensageiro é lido pelo ribossomo, mas para que esse processo de decodificação aconteça é necessário que haja três situações diferentes: a formação da cadeia polipeptídica, crescimento da cadeia polipeptídica e conclusão da cadeia polipeptídica.

Na formação da cadeia polipeptídica há a associação do ribossomo e o RNA mensageiro e transportador. Em seguida acontece o crescimento da cadeia polipeptídica, onde o ribossomo se move sobre o RNA mensageiro. Já na última situação do processo de tradução temos a conclusão da cadeia polipeptídica, onde o ribossomo atinge um códon de parada, sendo um dos três códons, onde cada um tem um aminoácido.

Por Tatiele Silva Moreira