COPOM

Entenda como funciona o COPOM e quais suas principais atribuições.

O COPOM (Comitê de Política Monetária) foi criado em junho de 1996 e seu objetivo principal é estabelecer as diretrizes da política monetária, a fim de definir as taxas de juros.

O comitê nasceu da necessidade de se proporcionar maior transparência, aliado a um ritual adequado de processo de poder de decisão, tal como já era praticado por órgãos internacionais, como o Federal Open Market Commite (FOMC), além dos Bancos Centrais dos Estados Unidos e Alemanha.

Numa explicação mais detalhada, o COPOM é o órgão da política monetária responsável por estabelecer a meta da Taxa Selic. Esse modelo de plano de metas foi estabelecido três anos após a criação do COPOM, em 1999, pelo Banco Central, e possui como índice de medição da inflação, o IPCA (Índice de Preços do Consumidor Amplo).

Cabe também ao COPOM, além da definição de metas, a divulgação do Relatório de Inflação. As taxas de juros fixadas nas reuniões do Comitê corresponderão à meta para a taxa Selic. Esse percentual médio de taxas fica estabelecido através das operações de financiamentos diários, com lastro em títulos federais, os quais vigoram por todo o período nesse ínterim de reuniões ordinárias do Comitê.

Geralmente essas reuniões ordinárias são divididas em duas sessões, onde a primeira fica reservada às apresentações técnicas de caráter econômico, e o segundo período destinado apenas a decisão do estabelecimento da meta da Taxa Selic.

Normalmente essas reuniões contam com a presença do Presidente e diretores do Banco Central (considerados membros do COPOM), também os chefes de departamentos internos do Banco, tais como: Departamento de Operações Bancárias (DEBAN), Departamento de Operações de Mercado Aberto (DEMAB), Departamento de Estudos e Pesquisas (DEPEP) e Departamento de Assuntos Internacionais (DERIN).

A Estrutura do COPOM geralmente procura trabalhar com medidas incólumes, normalmente com datas e períodos fixos. Além das Atas de reunião semanais, publica trimestralmente Relatórios de Inflação, respectivamente entre os meses de março, junho, setembro e dezembro.

Dentro do atual regime de metas, o objetivo principal da política monetária desenvolvida pelo COPOM é cumprir os índices estabelecidos pelo CMN. Caso aconteça de a inflação ultrapassar a meta estabelecida pelo órgão, o presidente do Banco Central deverá encaminhar uma Carta Aberta ao ministro da Fazenda, explicando as razões pelas quais a meta não foi cumprida. Assim como, também, apresentar medidas que visem trazer a inflação de volta à trajetória original, dentro de um prazo pré-estabelecido.

Por mais que o bom acompanhamento da taxa Selic não seja a única medida para o controle da inflação, sua estabilidade é, hoje, uma das medidas mais eficientes para o bom andamento da economia.

Algo importante a ser observado são as medidas de rígido controle sobre o consumo e os preços praticados no mercado nacional, por influência do Banco Central. Atitudes que trabalham num processo de aquecimento e desaquecimento da economia, obtendo seus resultados através desse importante instrumento de política monetária.

Geralmente, quando o índice de taxa de juros é anunciado pelo CMN, o COPOM pode estabelecer um viés, que pode ser de elevação ou redução. Essa medida funciona como uma autorização prévia ao Banco Central que permite a alteração da meta de inflação conforme o que é decidido nas reuniões do COPOM.

Normalmente esse viés ocorre quando se espera alguma mudança significativa, de caráter econômico, principalmente considerando as oscilações da Selic.