Taxa Selic: entenda essa taxa básica de juros

A Selic é um índice de juros aplicado no mercado bancário brasileiro. É usada como referência para financiar operações diárias dos títulos públicos.

O Banco Central do Brasil baseia-se na taxa Selic para ter uma gestão da emissão, da compra e da venda de títulos. A sigla significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia e denomina a taxa aplicada pelos bancos nessas transações. A taxa referencial faz com que toda a economia gire em torno dela.

O que é Taxa Selic

Para investir em obras públicas o Governo precisa de recursos que chegam por meio dos impostos. Apesar disso existe uma outra maneira de arrecadar dinheiro, que é por meio de títulos do Tesouro Nacional.

Os bancos adquirem estes títulos e por sua vez usam como garantia para emprestar dinheiro a outras instituições. O índice de juros deste empréstimo é usado como base para calcular a denominada taxa Selic over.

Já o índice divulgado na imprensa, que define a taxa básica da economia brasileira, é denominado taxa Selic meta. Ela normalmente é a menor taxa de juros que existe na economia.

Como é calculada a Taxa Selic

Entre julho de 1996 e março de 1999 a taxa básica para definir as demais taxas de juros da economia era a TBC (Taxa Básica do Banco Central), definida todos os meses pelo Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central do Brasil.

A partir de janeiro de 1998, esses valores passaram a ser fixados na forma anual. Após março de 1999, com a extinção da TBC, o Copom passou a divulgar a meta para a taxa Selic.

O índice Selic é calculado verificando a taxa média dos juros que as instituições financeiras estão cobrando. Este número influencia muito na economia brasileira.

Importância da Taxa Selic

A taxa Selic reflete o custo do dinheiro para empréstimos bancários, tendo como referencial a remuneração dos títulos públicos. Isso faz com que o número influencie no rendimento dos valores investidos.

Os títulos públicos, conhecidos como Tesouro Direto, usam a Selic como fator de valorização. Quando a taxa aumenta, o valor o título também aumenta, gerando a rentabilidade. O mesmo acontece no caso da sua redução.

Outros investimentos, como caderneta de poupança, CDB, LCA, LC e LCI também sofrem influência dos valores da taxa. Isso quer dizer que a Selic influencia diretamente no cotidiano das pessoas.

À medida que a Selic sobre, os juros aumentam e o poder de compra dos brasileiros cai. É o caso de quem poupa para adquirir um carro, com a taxa maior a prestação também vai aumentar.

Além disso, a elevação do índice é um grande incentivador para o adiamento do consumo. Isso porque o aumento faz com que o povo prefira investir o dinheiro que recebe a usá-lo para consumir. Assim, adiam os gastos para quando resgatarem seus investimentos.

Essa característica provoca a diminuição no ritmo de produção. Com o número de vendas baixo, existe a necessidade cada vez menor de colaboradores trabalhando nas áreas de produção ou na venda direta com o cliente, causando desemprego.

Por Fábio Pacheco

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »