Modernismo 2ª fase: característica e principais autores

A 2ª fase do modernismo iniciou em 1930 até 1945 durante a crise cafeeira e a Segunda Guerra Mundial. Conheça os principais autores e suas obras.

Modernismo 2ª fase: característica e principais autores

Saiba mais sobre esta fase do modernismo - Foto: Concursos no Brasil

A 2ª fase do modernismo iniciou-se no ano de 1930 e foi até 1945. Nascida em um período difícil, após a queda da bolsa de valores em 1929, que culminou em diversos problemas sociais e econômicos e no fim da “política do café com leite”, a segunda fase modernista se fez presente em uma época marcada por outro marco na história: a Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945).

Isso não impediu que novos nomes da literatura surgissem na 2ª fase do modernismo, como Carlos Drummond de Andrade, Rachel de Queiroz, Jorge Amado e Graciliano Ramos. Escritores que trouxeram o romantismo, a realidade social e econômica, a cultura local, a linguagem regionalista e os temas politizados descritos em forma de prosa ou poesia.

Conheça mais sobre a segunda geração do modernismo e seus maiores expoentes. Acompanhe!

Características da 2ª fase do modernismo

A segunda geração modernista foi bastante rica para a literatura brasileira com temas mais políticos, históricos e sociais, abordadas de maneira poética.

Ainda que tenha sofrido repressão na chamada era Vargas (assim chamado o período comandado por Getúlio Vargas, de 1937 a 1945), os autores literários souberam aproveitar a atmosfera política para trazer um debate sobre a realidade brasileira, sua cultura, raça e a imigração.

A 2ª fase do modernismo foi marcada pelas principais características a seguir:

  • Realismo e romantismo;
  • Versos livres e brancos;
  • Temática social, cultural e econômica;
  • Linguagem coloquial, cotidiana, próxima do povo;
  • Regionalismo, nacionalismo e universalismo;
  • Viés crítico e politizado.

Prosa de 30 – A era dos romances regionalistas

A prosa de 30 veio para destacar os problemas sociais que afetavam o país, colocando o povo brasileiro como protagonista da história, cada um em sua região. Por isso, a linguagem usada nos romances da década de 30 eram mais regionais, urbanas e coloquiais, a fim de se aproximar de diferentes pessoas, independente de sua moradia.

Outros temas que fizeram parte da prosa de 30 foram o romance psicológico, romance poético metafísico e o romance surrealista.

Principais autores e suas obras da segunda fase do modernismo

Carlos Drummond de Andrade (1902 – 1987)

Precursor da 2ª fase do modernismo com a publicação de sua primeira obra “Alguma Poesia”. Poeta, contista, jornalista e tradutor, suas principais obras na geração de 30 foram:

  • Alguma Poesia (1930);
  • Brejo das Almas (1934);
  • Sentimento do Mundo (1940);
  • A Rosa do Povo (1945).

Rachel de Queiroz (1910 – 2003)

Escritora, dramaturga brasileira, jornalista e tradutora, Rachel de Queiroz lançou o romance “O Quinze”, no qual retrata a seca, uma dura realidade do nordeste em 1915.

Suas principais obras foram:

  • O Quinze (1930);
  • João Miguel (1932);
  • Caminho de Pedras (1937);
  • As Três Marias (1939).

Jorge Amado (1912 – 2001)

Importante escritor da prosa regionalista e urbana, que sempre abordava os problemas sociais na Bahia em uma linguagem simples e acessível. De suas obras mais famosas da geração de 30, destacam-se:

  • País do Carnaval (1931);
  • Cacau (1931);
  • Capitães de Areia (1937);
  • Bahia de Todos-os-Santos (1945).

Além desses autores, a 2ª fase do modernismo também revelou outros grandes escritores que deixaram sua marca na literatura brasileira, tais como:

  • Graciliano Ramos (1892 – 1953);
  • Érico Veríssimo (1905 – 1975);
  • José Américo de Almeida (1887 – 1980);
  • José Lins do Rego (1901 – 1957);
  • Vinícius de Moraes (1913 – 1980).

Nome: Vania Ferreira

Veja também:

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »