Movimento Armorial

Entenda mais sobre o Movimento Armorial e esclareça as suas dúvidas sobre o assunto.

Foi um movimento que teve como base o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, lançado na década de 1970, inseriu a arte e literatura nacional no mapa mundial e alcançou o respeito às obras brasileiras.

Continue o artigo e deleite-se com a história do Movimento Armorial!

A origem do Movimento Armorial

Para contar a história do Movimento Armorial, é preciso que você comece entendendo que este foi um rico e importante marco para a arte nacional em um panorama geral:  literatura, dança, pintura, música, teatro, artes plásticas dentre outras foram vertentes que se envolveram neste movimento.

Tendo como pilar, o escritor e dramaturgo integrante da Academia Brasileira de Letras Ariano Suassuna morto em 2014 depois de saborear oito décadas e quatro anos de uma vida que se iniciou na Paraíba e criou raízes em páginas de obras como:

      “Uma mulher vestida de sol;” (1947)

“O castigo da soberba” (1953)

“Fortuna” (1958)

“Cantam as harpas de Sião ou O desertor de Princesa” (1948”

“Auto da Compadecida” (1955)

“Os homens de barro” (1949)

“Torturas de um coração” (1950)

Vislumbrando a criação de uma arte de origem erudita com uma mescla entre as artes populares fazendo um casamento perfeito como a poesia e o lirismo.

Esta harmonização foi lançada em 1970 aos dezoito dias de outubro, durante uma mostra de Artes plásticas embalada pela orquestra Armorial de Câmara regida pelo maestro Cussy de Almeida em um ritual dos Clérigos, Na Igreja de São Pedro.

Suassuna e sua constante sintetização de figuras e elementos da cultura dos nordestinos com obras clássicas da cultura mundial e essa mistura agridoce inspiram constantemente o autor e os colegas que compunham o Movimento Armorial.

O Movimento Armorial teve 3 etapas

1- De 1970 a 1980 foi a etapa experimental - Ariano Suassuna era diretor do Departamento de extensão Cultural da Universidade Federal de Pernambuco quando iniciou o movimento. Destacam-se na cerâmica e na pintura:  Miguel do Santos e Francisco Brennand

A pintura Armorial tem o espirito poético das xilogravuras e do romanceiro. A gravura Armorial tem como inspiração capaz de folhetos utiliza a madeira como gravura contornando as figuras com traços negros que envolta dos espaços brancos se sobressaem. Gilvan Samico É GRAVADO do Movimento Armorial.

Trazendo o espirito apocalíptico vindo da literatura, de livros proféticos da literatura de Cordel e de seu contato com escritores e poetas armoriais, o escultor Fernando Lopes da Paz fazia o uso de materiais como madeira e pedra o que também caracteriza a Escultura Armorial.

“a Compadecida” (1969) foi a única obra do cinema Armorial que foi produzida na primeira fase do movimento. Ariano Suassuna (autor do movimento e da obra) diz que haveria de ter um filme cômico ou trágico que representasse o elemento festivo e espetacular do teatro popular nordestino.

No decorrer da primeira fase, não havia nada no campo da dança tampouco da arquitetura que representasse no Movimento.

Uma utopia para o momento inspirou este sonho de Suassuna, expressado nessas palavras:

Sonho com uma arquitetura civil e religiosa brasileira, a qual partindo do bom-senso meio mouro e chão da arquitetura das casas, desse salto maior para o Divino com florestas de pedras, colunas de arenito retorcendo em forma de tronco vegetais dividindo fachadas e espaços revestidos de azulejos e cerâmicas, com linhas curvas cariádites de pedra, algo que lançasse tortuosa e triunfantemente para o alto, através do maciço, do pesado e do irregular, exatamente como faz a alma humana que compensa a rotina com a Poesia e a exatidão com a loucura”

2- Fase romançal

Entre os anos 1980 a 1995 - Suassuna é nomeado Secretário de Cultura do Recife, e cria o Balé Armorial que durou pouco. Entretanto, o balé popular do Recife também foi criado neste período.

Também em fase ROMANÇAL é registrado o fim do Quinteto Armorial e o início da Orquestra ROMANÇAL brasileira.

 3- Fase 3

Ariano Suassuna torna-se responsável pela secretária de Cultura do Estado do Pernambuco. Nesta fase, o filho e a esposa pintores- Dante e Zélia integram o Movimento Armorial.

Também participam deste momento o escultor Arnaldo Barbosa, o artista plástico Romero de Andrade Lima.

Na Dança, Suassuna funda o grupo Grial e foi criado dois espaços para apresentações populares: Teatro Arraial e Espaço Ilumiara.

Conclusões finais

O Movimento Armorial nasceu com a missão de valorizar a cultura popular nordestina brasileira com uma corrente entre arte erudita e raízes populares obteve sucesso e ganhou o respeito mundial.

Que tal compartilhar essa história com seus amigos?

Autora: Érica Calefi

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »