Quinhentismo

Saiba mais sobre o Quinhentismo e esclareça as suas dúvidas sobre o assunto.

O Quinhentismo foi a primeira manifestação literária do Brasil, que ficou conhecida como “literatura de informação”. Nesse período literário os escritores descreviam as terras descobertas pelos portugueses no século XVI. O nome do período refere-se à data de inicio: 1500.

Características

  • Primeiro movimento literário no Brasil.
  • Teve seu inicio na época do descobrimento do Brasil pelos portugueses.
  • Textos de caráter documental religioso.
  • Crônicas de informação e de viagens.
  • Destaque para as belezas naturais e riquezas presentes na terra.
  • Linguagem simples.
  • Produzido pelo homem europeu.
  • Presença de adjetivos e superlativos.
  • Literatura pedagógica: Poesia didática e teatro pedagógico.

Quinhentismo no Brasil

Em 1500, com a chegada dos portugueses ao território brasileiro, os escrivães que acompanhavam os navios fizeram importantes relatos das terras encontradas.  

A literatura brasileira ainda não possuía uma identidade própria, porém,  foi sendo produzida no inicio do século XVI, no período do Descobrimento do Brasil e das Grandes Navegações,  sob a influência da literatura portuguesa e europeia. Contudo, não havia produção literária ligada diretamente ao povo brasileiro, mas existiam obras no Brasil que forneciam acepção para os europeus. As narrativas relatavam histórias focadas nas ambições, intenções e objetivos do homem europeu, em busca de novas terras e riquezas no Brasil.

Esses textos eram produzidos principalmente por aventureiros, jesuítas e missionários que passavam pelas terras brasileiras.

Com o passar dos anos, os Jesuítas, que foram responsáveis por catequizarem os índios, criaram uma nova categoria de textos que fizeram parte do Quinhentismo: a “literatura de catequese”.  No entanto, a literatura informativa foi dando lugar a denotações da visão dos artistas brasileiros.

Principais Cronistas da época

Pero Vaz de Caminha (1450-1500): Escrivão português e vereador, responsável por registrar as primeiras impressões desde a chegada ao Brasil, em 1500.

Aborda os primeiros contatos dos portugueses com os indígenas brasileiros, continha informações e impressões sobre a descoberta das novas terras. Ele fez parte da frota de Pedro Álvares Cabral.

A Carta de Pero Vaz de Caminha, o primeiro documento escrito sobre a história do Brasil, escrita para o Rei de Portugal, D. Manuel, é considerada o marco inicial da Literatura Brasileira.

Pero Magalhães Gândavo (1540-1580): Historiador, gramatico e cronista.  Pero Magalhães foi autor do primeiro manual ortográfico da língua portuguesa e da historia da província de Santa Cruz (1576). Descreve sobre os povos indígenas e a descoberta do Brasil por Pedro Alvares Cabral.

Padre Manuel da Nóbrega (1517-1570): Jesuíta português e chefe da primeira missão jesuítica a América. O seu trabalho no Brasil foi catequizar os indígenas.

Padre José de Anchieta (1534-1597): Gramático, poeta, historiador, teatrólogo e padre. José teve a função de catequizar e defender os indígenas contra os abusos dos colonizadores portugueses.

A obra mais importante do período é a Carta do descobrimento do Brasil, de Pero Vaz de Caminha, o escrivão-mor da esquadra comandada por Pedro Álvares Cabral. O documento, escrito em 1500 e publicado pela primeira vez apenas em 1817, foi destinado ao Rei de Portugal, fala das terras brasileiras como se fossem o próprio Paraíso.

“Águas são muitas; infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas que tem.”, revela um trecho da carta.

A carta de Pero Vaz de Caminha, para alguns historiadores,  pode ser considerada a “certidão de nascimento” do Brasil.

Por Paloma Gomes

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »