Direita e Extrema - Direita

A Europa, os EUA e recentemente o Brasil têm conhecido melhor as ideologias de direita e extrema-direita. Saiba como diferencia-las.

Os termos “direita" e "esquerda”, apesar de serem atuais, não surgiram recentemente. Tais termos surgiram no século XVIII, ao final da Revolução Francesa.

Nesta época “os delegados” a favor do igualitarismo e da reforma social, sentavam-se do lado esquerdo do rei.

Já os que se beneficiavam com a aristocracia e era a favor do conservadorismo, sentavam-se do lado direito do rei.

Com o passar do tempo, as distinções entre direita e esquerda começaram a ser associadas com liberalismo ou conservadorismo, respectivamente.

Conheça a seguir, o que define a direita e a extrema-direita e saiba como diferencia-las.

Direita

A direita é uma corrente ideológica política, que visa à adoção do Estado Mínimo e as decisões são centradas no “individual” e não no “coletivo”.

De forma geral, a direita concentra suas forças políticas para assegurar a ordem. Mesmo que isso soe “injusto”, essa é a sua prioridade e o seu objetivo.

Contudo, cabe lembrar que a direita defende a democracia principalmente após a sua evolução histórica.

Extrema-direita

Já a extrema-direita é o extremo das posições de direita. Geralmente associado ao nacionalismo e ao conservadorismo.

Geralmente as manifestações da extrema-direita estão associadas a partidos políticos radicais e a movimentos independentes.

A exaltação do nacionalismo imposta pela extrema-direita sugere que existe uma superioridade entre as raças. Isso dá origem a ações racistas ou xenófobas (aversão a estrangeiros).

A insatisfação política, crises econômicas e até mesmo a globalização (por conta da abertura das relações entre países) motivam a ascenção da extrema direita em um país.

Variáveis

Contudo, os movimentos de extrema-direita são variáveis em função da região do mundo e do contexto histórico em que estão inseridos. Apesar disso, eles possuem muita similaridade entre si.

Países da Europa e os EUA são claros exemplos da diversidade encontrada nos movimentos desta natureza.

Utilizando os exemplos dos países supracitados, pode-se perceber que extremismos podem induzir a construção de governos totalitários ou ditatoriais. Tais regimes ameaçam a democracia.

Esse fato não pode ser atribuído somente aos partidos de extrema-direita. Os de extrema-esquerda também pode significar uma ameaça à democracia.

Direita e extrema-direita no Brasil

Partidos de direita sempre estiveram presentes no processo de redemocratização do Brasil, como é o caso do PSDB, por exemplo. Uma das mais marcantes contribuições da direita para o país fora a estabilização da moeda nacional, com o Plano Real (déc. 90).

Já os movimentos de extrema-direita foram fortalecidos principalmente após o impeachment da Presidenta Dilma Rousseff no ano de 2015.

Como mencionado anteriormente, há fatores que contribuem para a ascensão da extrema-direita.

Entretanto, alguns historiadores consideram que a extrema-direita no Brasil não se assemelha muito à europeia ou à americana até o momento, principalmente pela falta de estratégias.

Há ainda o fortalecimento do discurso contra a corrupção (presente também na extrema esquerda), que é uma tradição na política brasileira desde os anos 40. Isso deu voz e entregou o poder a oligarquias tradicionais.

Por fim, cabe lembrar que os extremismos podem trazer danos à sociedade, seja em qual for a ideologia que esta inserido.

Por Letícia de Alcântara Moreira