Compreensão e interpretação de textos: tudo o que você precisa saber

Tire todas as suas dúvidas sobre compreensão e interpretação de textos: conheça regras, diferenças e dicas para compreender e interpretar textos.

Compreensão e interpretação de textos: tudo o que você precisa saber - a foto em destaque mostra um ícone de uma pessoa lendo

Tire todas as suas dúvidas sobre o tema compreensão e interpretação de textos. - Foto: Concursos no Brasil

Todas as provas de vestibular, do Enem e de concursos em geral abordam questões de compreensão e interpretação de textos. Dedicar-se a entender melhor esse assunto pode fazer a diferença no futuro, e a boa notícia é que, uma vez que você aprenda a interpretar textos, responder às perguntas dessa área de conhecimento será algo muito mais simples.

Pense um pouco nos tipos de texto que você costuma ler (matérias em sites de notícias, postagens de jornalistas ou escritores, críticas de filmes, livros, bulas de remédio – vale tudo) e perceba como as suas leituras favoritas são fáceis de ler.  Se você se interessa por Economia, ler sobre esse assunto é mais fácil do que ler sobre algo diferente, como Física Quântica.

Com esse exemplo, podemos perceber que o conhecimento prévio sobre determinados assuntos nos ajuda a compreender e interpretar textos que falem sobre eles. Então, antes de qualquer coisa, é preciso que você abra o leque das suas leituras e, inclusive, consuma conteúdos sobre assuntos que não despertam seu interesse de imediato. Ler mais é o que nos ajuda a melhorar em termos de compreensão e interpretação de texto e, consequentemente, até na hora de fazer uma redação, mas esse já é outro assunto.

O que é compreensão de textos?

Compreender um texto significa ser capaz de fazer uma leitura objetiva e entender o que está escrito de forma objetiva, decodificando e analisando as sentenças presentes no corpo textual. A compreensão é o momento no qual você percebe quais são as principais palavras de cada ideia e quais são os dados e as informações possíveis de serem coletadas.

Nas provas, a compreensão do texto costuma ser cobrada em exercícios que começam com “De acordo com o texto”, “Segundo a publicação”, “O texto informa que”, “No texto”, "Tendo em vista o texto”. Ou seja: a resposta, aqui, deverá levar em conta o que está escrito literalmente no texto a ser avaliado.

O que é interpretação de textos?

A interpretação de texto vai um pouco além da compreensão através de uma análise mais subjetiva do que o autor quis dizer com o que escreveu. Trata-se, portanto, do que o autor deixou subentendido, ou seja, do que podemos concluir para além do que está escrito.

Uma boa interpretação de texto está diretamente ligada à sua bagagem de leitura, por isso é importante ler frequentemente a respeito de diversos assuntos, principalmente História, Geografia, Geopolítica, Atualidades, Meio Ambiente, Economia, Saúde.

Nos enunciados de exercícios de interpretação de texto temos expressões como “Podemos deduzir”, “Ao falar sobre X, o autor quis dizer que”, “Com o apoio do texto, infere-se que”, “Diante do que foi exposto, pode-se concluir que”, “O texto nos permite entender que”, “O texto encaminha o leitor para”.

Qual a diferença entre compreensão e interpretação?

ItemCompreensãoInterpretação
DefiniçãoAnálise objetiva do conteúdo, compreendendo frases, ideias e dados presentes no texto.A conclusão subjetiva do texto. É o que o leitor entende que o texto quis dizer.
InformaçãoAs informações necessárias estão dispostas no texto.A informação vai além do que está no texto, embora tenha uma relação direta com ele.
AnáliseObjetiva. Ligada mais aos fatos.Subjetiva. Pode estar relacionada a uma opinião.

Dicas para compreender e interpretar textos

A maior dica de todas é, certamente, a leitura, e já explicamos por que isso é fundamental na hora de compreender e interpretar textos – e também quando for preciso escrever algum tipo de redação.

Além disso, existem outras coisas que você pode colocar em prática para se dar bem na hora de interpretar textos em alguma prova. Confira algumas delas a seguir:

  • Buscar ao máximo compreender as regras da Língua Portuguesa, seus meandros e sua gramática;
  • Compreender figuras de linguagem (hipérbole, ironia, paradoxo, antítese, personificação, metáfora, catacrese, gradação, sinestesia etc.);
  • Diferenciar a linguagem literal da linguagem figurada;
  • Saber identificar itens de coesão no texto: portanto, porque, dessa maneira, assim sendo, enfim, além disso etc.;
  • Compreender a coerência: é quando o texto faz sentido, expressa ideias que se relacionam entre si e consegue fazer com que a lógica do texto flua naturalmente. Por isso, um texto dito incoerente é aquele que “não tem pé nem cabeça” ou não é pontuado devidamente;
  • Sempre que puder, leia textos em voz alta ou balbuciando, pois isso ajuda a compreender melhor o que está escrito, uma vez que a língua falada nos permite perceber na prática as pausas e outras nuances do texto;
  • Leia o texto mais de uma vez, sempre com calma;
  • Sublinhe ou circule palavras-chave ou as ideias que fundamentam o texto;
  • Diferencie fatos de opiniões.

Exemplos de exercícios sobre compreensão e interpretação de textos

Com base nas dicas e explicações dadas até agora, que tal tentar resolver algumas questões sobre a temática que estamos trabalhando?

1. (Enem - 2012) “Ele era o inimigo do rei”, nas palavras de seu biógrafo, Lira Neto. Ou, ainda, “um romancista que colecionava desafetos, azucrinava D. Pedro II e acabou inventando o Brasil”. Assim era José de Alencar (1829-1877), o conhecido autor de O guarani e Iracema, tido como o pai do romance no Brasil.

Além de criar clássicos da literatura brasileira com temas nativistas, indianistas e históricos, ele foi também folhetinista, diretor de jornal, autor de peças de teatro, advogado, deputado federal e até ministro da Justiça. Para ajudar na descoberta das múltiplas facetas desse personagem do século XIX, parte de seu acervo inédito será digitalizada.

História Viva, n.° 99, 2011.

Com base no texto, que trata do papel do escritor José de Alencar e da futura digitalização de sua obra, depreende-se que

a) a digitalização dos textos é importante para que os leitores possam compreender seus romances.
b) o conhecido autor de O guarani e Iracema foi importante porque deixou uma vasta obra literária com temática atemporal.
c) a divulgação das obras de José de Alencar, por meio da digitalização, demonstra sua importância para a história do Brasil Imperial.
d) a digitalização dos textos de José de Alencar terá importante papel na preservação da memória linguística e da identidade nacional.
e) o grande romancista José de Alencar é importante porque se destacou por sua temática indianista.

Resposta correta: letra D, pois a digitalização da obra de José de Alencar é, obviamente, uma forma de preservar seu trabalho, sua memória linguística e, por consequência, ter material que nos remete à identidade nacional daquele momento.

2. (UERJ - 2016/1) “Todo abacate é verde. O incrível Hulk é verde. O incrível Hulk é um abacate.”

Todo argumento pode se tornar um sofisma: um raciocínio errado ou inadequado que nos leva a conclusões falsas ou improcedentes.

O último parágrafo do texto é um exemplo de sofisma, considerando que, da constatação de que todo abacate é verde, não se pode deduzir que só os abacates têm cor verde.

Esse é o tipo de sofisma que adota o seguinte procedimento:

a) enumeração incorreta
b) generalização invertida
c) representação imprecisa
d) exemplificação inconsistente

Resposta correta: letra B, pois, no caso da generalização invertida, chegamos a uma conclusão precipitada com base em uma amostra pequena, de modo que não se pode sustentar a generalização. Dessa forma, o exemplo acima mostra um erro de lógica.

Leia também:

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »