Concordância nominal e verbal

A concordância nominal é baseada na relação entre um substantivo, pronome, ou numeral substantivo e as palavras que são ligadas a ele para dar qualidades/ características.

Concordância Nominal é a concordância, em gênero (masculino ou feminino) e número (singular ou plural), entre o substantivo (nomes) e seus determinantes ("partes" que acompanham os nomes): o adjetivo, o pronome adjetivo, o artigo, o numeral.

O candidato a concursos ou mesmo o estudante ou o usuário da língua em geral talvez sinta dificuldade em assimilar o que sejam essas classes de palavras (adjetivo, pronome adjetivo, numeral, artigo, etc), mas não se preocupe: concentre-se em entender os exemplos. Ou seja, concentre-se em entender o uso da língua.

  • Opções de concordância: o adjetivo concorda com o adjetivo mais próximo (Eu dei de presente uma bolsa e um tênis preto) ou o adjetivo refere-se a dois substantivos de gêneros diferentes – prevalece o masculino e fica no plural (Eu dei de presente uma bolsa e um tênis pretos).
  • As palavras BASTANTE, POUCO, MUITO, CARO e BARATO concordam com o substantivo quando têm valor de adjetivo. Quando são advérbios, são invariáveis. Ex: estas revistas são caras (adjetivo) e as revistas custaram caro (advérbio).
  • ANEXO, MESMO, PRÓPRIO, INCLUSO: concordam com o substantivo a que se referem.
  • As expressões “É PROIBIDO”, “É NECESSÁRIO”, “É PRECISO” ficam invariáveis quando acompanhadas apenas de substantivo. Porém, se o substantivo estiver determinado pelo artigo, a concordância é feita normalmente.
  • Lembre-se que a palavra ‘meia’ é um adjetivo, enquanto ‘meio’ é um advérbio, significando ‘um pouco’.
  • Obrigado/obrigada – concordam com o substantivo a que se referem.

A concordância nominal é baseada na relação entre um substantivo, pronome, ou numeral substantivo e as palavras que são ligadas a ele para dar qualidades/características.

Exemplos de palavras que se ligam ao substantivo e seus derivados são:

- Artigo;

- Adjetivo;

- Pronome adjetivo;

- Numeral adjetivo;

 Regra Geral

A concordância nominal acontece quando há concordância em gênero, feminino/masculino, e número, plural/singular, entre o adjetivo e o substantivo. Veja abaixo alguns exemplos:

- O garoto estudioso passou na prova.

- A garota estudiosa passou na prova.

- Os garotos estudiosos passaram na prova.

- As garotas estudiosas passaram na prova.

Para recapitular, a regra geral da concordância nominal é a seguinte:

o adjetivo que se referente ao substantivo, tem que concordar em gênero e número com esse mesmo substantivo.

Concordância Nominal - Casos específicos

Como em toda regra há exceção com a concordância nominal não poderia ser diferente, abaixo você conhecerá algumas:

Adjetivos que caracterizam pronomes pessoais

Neste caso o adjetivo deve concordar em número e gênero com o pronome no qual se refere. Exemplo:

- Ele ficou entusiasmado com a novidade.

- Ela ficou entusiasmada com a novidade.

- Eles ficaram entusiasmados com a novidade.

- Elas ficaram entusiasmadas com a novidade.

Adjetivo que caracteriza vários substantivos

Quando há um adjetivo e vários substantivos, o adjetivo concorda em gênero e número com o substantivo que está mais próximo dele. Exemplo:

- O garfo e a colher dourada estão na gaveta.

- As garfos e as colheres douradas estão na gaveta.

Outra forma de concordância para este caso é que o adjetivo pode assumir a forma masculina no plural, quando há substantivo masculino e feminino junto. Exemplo:

- O garfo e a colher dourados estão na gaveta.

- A colher e o garfo dourados estão na gaveta.

Com os substantivos do mesmo gênero e no singular o adjetivo pode ficar no singular ou plural. Exemplo:

- Viram a estrada e a mansão deserta.

- Viram a estrada e a mansão desertas.

Quando se tratar de substantivos próprios ou que expressam graus de parentesco o número do adjetivo deve ficar no plural.

- Meus lindos avôs e avós.

- Os felizes Carlos e Pedro foram os ganhadores hoje.

Adjetivo + verbo ser

O adjetivo deve concordar com substantivo na presença de artigos ou algum determinante, mas quando está isolado, o adjetivo fica no masculino e singular.

- A felicidade é benéfica para a humanidade.

- Felicidade é benéfico para a humanidade.

Diversos adjetivos no singular se refere a um só substantivo

Com essa disposição, o substantivo fica no singular quando há artigo entre os adjetivos e ficam no plural quando não há artigo e nem determinante. Exemplo:

- Aprendi novas coisas com a professora inglesa e a americana.

- Aprendi novas coisas com as professoras inglesa e americana.

Pronome indefinido neutro/ de/ adjetivo

Alguns pronomes indefinidos neutros são: nada, tanto, algo, entre outros, juntamente com proposição “de” o adjetivo fica no singular e masculino. Exemplo:

- Ela tem nada de encantador.

- Eles tem nada de encantador.

- Elas tem nada de encantador.

- Ele tem nada de encantador.

“Só” como um adjetivo

A palavra “só” com o significado de “sozinho” é um adjetivo e deve concordar em número com o substantivo que ela vai caracterizar. Exemplo:

- Meu colega está só.

- Meus colegas estão sós.

Com uso de expressões

No que se refere ao uso de expressões como: é bom, é necessário, é permitido, é preciso e é proibido, quando não há a presença de artigos ou determinantes do substantivo, o adjetivo deve ficar no singular masculino. Exemplo:

- É proibido visitação dos parques temáticos.

- É necessário felicidade e fé para viver.

Já com a presença de artigos ou determinantes referentes ao substantivo o adjetivo deve variar em gênero e número. Exemplo:

- É proibida a visitação dos parques temáticos.

- São necessários muito aprendizado e muita fé.

Com uso de algumas palavras específicas

Ao utilizar as palavras: obrigado, próprio, mesmo, anexo, quite e incluso estas devem fazer concordância com em número e gênero com o substantivo no qual faz referência. Exemplo:

- Leia as ordens anexas.

- As próprias palavras.

- Ana e Carla estão quites.

- Nosso obrigado pela linda palestra que vocês fizeram.

Ao utilizar as palavras: barato, pouco, meio, bastante, muito longe e caro que são palavras invariáveis quando estão no papel de advérbio, se estas estiverem na frase com função de adjetivo, devem concordar em número e gênero com o substantivo no qual faz referência. Exemplo:

- Há bastantes professores alertas.

- Essas compras foram muito caras.

- Vou comprar aquelas roupas baratas.

- Escrevi todas as informações necessárias.

Ao utilizar as palavras alerta e menos, estas permanecem sem variação. Exemplo:

- Os gatos estavam alerta.

- Houve menos barulho.

Ao utilizar as palavras/ expressões: numa e noutra, um e outro, num e noutro ou uma e outra, o adjetivo deve ficar no plural mesmo que o substantivo esteja no singular. Exemplo:

- A vizinha achou um e outro garoto contentes.

- Ele escondeu isso numa e noutra gaveta desarrumadas.

Concordância Nominal - Irregular

Outra exceção dentro da regra de concordância nominal é quando você tem que fazer a concordância quando o substantivo está subentendido dentro de uma frase. Exemplo:

- São Paulo é lindo! - Faz concordância com o substantivo “estado” que está subentendido na frase.

- Alemanha é muito frio. - Faz concordância com o substantivo “país” que está subentendido na frase.

- Fortaleza é linda! - Faz concordância com o substantivo “cidade” que está subentendido na frase.

- Vossa Senhoria foi indicado. - Entende-se que está se referindo a uma pessoa do sexo masculino.

- Estamos certos. - Faz concordância com o substantivo subentendido “Nós”.

- Todas as professoras somos responsáveis. - O termo “Todos os” faz concordância com o sujeito subentendido, eu e os outros professores.

Ter conhecimento das regras gramaticais e neste caso específico, sobre a concordância nominal é mais uma oportunidade de ter mais proveito às boas chances de emprego e vagas em universidades.

 Hoje em dia, ter um bom português é um diferencial que alavanca você à frente de muitos que não se dedicam a este tópico.

Concordância Verbal

O verbo deve ser flexionado ("modificado") concordando com a pessoa do sujeito (eu, tu, ele/ela, nós, vós/vocês, eles/elas) e o número (singular ou plural):

  • Sujeito simples: o verbo concorda com o sujeito em número e pessoa, estando o sujeito antes ou depois do verbo. Ex: Foram embora, do nada, os meninos ("foram" concorda com "os meninos"). 
  • Sujeito composto: o verbo flexiona para o plural. Ex: Joana e Carlos insistiram em vir (Joana e Carlos são duas pessoas, e não pode-se usar "insistiu", mas sim "insistiram").
  • Sujeito composto de diferentes pessoas: O verbo vai para o plural na pessoa que prevalecer. Ex: Atiramos a pedra você e eu ("atiramos" concorda com "você e eu").
  • Sujeito constituído de pronomes de tratamento: verbo flexiona na 3ª. Ex: Vossa Excelência necessita de algo?
  • Sujeito constituído pelo pronome relativo QUE: verbo concordará em número e pessoa com o antecedente. Ex: Somos nós que precisamos de você.
  • Núcleos do sujeito ligados por OU: O verbo ficará no singular sempre que houver ideia de exclusão. Ex: Rosa ou azul será a cor do quarto.
  • Verbo com o pronome apassivador SE: O verbo concorda com o sujeito. Ex: Analisou-se o plano de reforma.
  • Sujeito formado por expressões: UM E OUTRO – O verbo fica no plural; UM OU OUTRO – O verbo fica no singular; NEM UM NEM OUTRO – O verbo fica no singular.
  • Sujeito formado por número percentual: O verbo concordará com o numeral. Se a indicação de porcentagem se seguir uma expressão com DE + SUBSTANTIVO, a concordância faz-se com esse substantivo. Ex: 50% dos camundongos morreram.
  • Verbos impessoais (haver, fazer, chover, nevar, relampejar...): por não possuírem sujeito, ficam na 3ª pessoa do singular. Ex: Não havia flores mais belas.
  • Verbo SER: se um dos elementos referir-se a pessoa, o verbo concordará com ela. Ex: Minha ambição são os meus sonhos.

Compartilhe